Discurso da professora Vera Maria Ferreira Rodrigues, Diretora-Geral do Colégio Pedro II

 

SOLENIDADE DE INAUGURAÇÃO DO COMPLEXO ESCOLAR REALENGO DO COLÉGIO PEDRO II

Rio de Janeiro, 4 de maio de 2012

Exmo.Sr. Ministro de Estado da Educação, Professor Doutor Aloizio Mercadante
Exmo.Sr. Vice-Prefeito e Aluno Eminente do Colégio Pedro II, Carlos Alberto Muniz
Exmo.Sr. Secretário de Educação Básica, Professor Cesar Callegari
Antigo Diretor-Geral Professor Wilson Choeri
Senhores Diretores das Unidades Escolares e Administrativas do Colégio Pedro II
Chefes dos Departamentos Pedagógicos e das Seções Administrativas
Professores e servidores técnicos administrativos
Representantes da Comunidade de Realengo e de demais bairros da Zona Oeste, em especial , integrantes do “Movimento pró-Escola Técnica Federal em Realengo”
Senhores pais e responsáveis por alunos
Queridos alunos das Unidades Escolares Realengo I e II do Colégio Pedro II

No ano em que completa 175 anos de criação, o Colégio Pedro II está vivendo grandes momentos que ficarão registrados em sua Memória Histórica. Certamente hoje é um dos principais, não só para nós que orgulhosamente pertencemos a esta Instituição, mas talvez, principalmente, para a população da Zona Oeste, em especial de Realengo. Quando em 8 de agosto de 1983 surgia o “Movimento Pró Escola Técnica Federal em Realengo”, não devia fazer parte de seus planos a criação de uma Unidade Escolar do Colégio Pedro II na região. Como também não eram esses os planos da Direção-Geral do Colégio Pedro II. Naquela ocasião, o Colégio contava com 5 Unidades Escolares, estava iniciando uma fase de retomada de sua trajetória de qualidade e começava a planejar a criação de sua primeira Unidade Escolar do então denominado 1º Segmento do 1º Grau, o que por nós veio a ser carinhosamente denominado de Pedrinho. Passaram-se duas décadas até que nossas histórias se encontraram, quando um grupo de representantes do referido movimento, liderado pelo Sr. Antonio Palmeira, aqui presente, procurou meu estimado antecessor, Professor Wilson Choeri, apresentando-lhe a proposta de criar uma Unidade do Colégio neste local. Desafio aceito e com a intermediação do Ministério da Educação, em 6 de abril de 2004, iniciamos as atividades escolares, com 6 turmas de 1ª série do Ensino Médio, contando com 194 alunos e cerca de duas dezenas de professores e técnicos, no turno noturno, funcionando provisoriamente na Escola Municipal Gil Vicente, que só nos foi cedida naquele ano. Em 2005, como ainda não tivéssemos a posse desta área e não mais contássemos com a cessão de qualquer escola municipal, graças a um acordo de cavalheiros celebrado entre dois octogenários idealistas – nosso Diretor-Geral e o Padre João Cribin, pároco da Igreja de São José, de Magalhães Bastos, funcionamos nas instalações do Centro Social de Capelinha, nos turnos vespertino e noturno. Finalmente, após obras realizadas em tempo recorde de 3 meses, com recursos próprios provenientes das inscrições para concursos, em março de 2006, iniciamos as atividades neste local. Em 16 de agosto de 2007, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva aqui esteve inaugurando a Biblioteca Digital, o primeiro pavilhão de salas de aula e as quadras de esporte localizadas na Rua Dr. Lessa. A imensidão da área ainda por recuperar, resultado de décadas de abandono que haviam transformado toda essa área em um parque de ruínas fantasmagóricas, invadidas pela vegetação, com muitos locais inacessíveis e a credibilidade transmitida por Professor Choeri, fizeram com que o Presidente Lula aceitasse o desafio que lhe foi lançado pelo velho dirigente de que se fossem dados os recursos, o Colégio recuperaria toda a área.

Coube à minha gestão colher e utilizar com responsabilidade os bons frutos dessa parceria. Eleita pela Comunidade Escolar, nomeada por Decreto Presidencial de 21 de agosto de 2008 e empossada em 27 de agosto pelo Ministro Fernando Haddad, no início de setembro daquele ano já estava assinando um Termo de Cooperação com o FNDE, garantindo os primeiros recursos para a recuperação da área. Daí em diante, todos os anos, temos tido os recursos necessários para prosseguir na empreitada, fixados em rubrica própria de nosso orçamento. Cerca de R$ 50 milhões foram investidos pelo MEC e FNDE ao longo do período, todos rigorosamente comprovados junto aos órgãos de fiscalização, traduzindo-se em dezenas de salas de aula, laboratórios, complexo esportivo, equipamentos de informática e de climatização, mobiliário, entre outros. Mais do que minhas palavras, o que os senhores tiveram e terão a oportunidade de visitar, falam por si só. Devo confessar que, mesmo sendo uma otimista inveterada, não imaginava que em menos de quatro anos conseguíssemos recuperar praticamente tudo, podendo hoje, emocionados, entregar a essa população que recebeu o Colégio Pedro II de braços abertos, as melhores e mais modernas instalações de nossa Instituição.

Hoje há 2.115 alunos matriculados em 70 turmas das duas Unidades Escolares, em cursos que vão desde a Educação Infantll de 4 e 5 anos – primeira Unidade  a contar com essa faixa etária, antecipando-se à previsão legal, passando pelo Ensino Fundamental quase completo – só nos falta o 5º ano, que será atingido em 2013 com a consolidação da Unidade I e chegando ao Ensino Médio Regular e Integrado. Para atender a esse universo discente, que vai dos 4 aos 60 anos, por vezes até os 80 anos, contamos com 184 professores e 50 servidores técnico-administrativos. É uma valorosa e competente equipe, liderada com entusiasmo e dedicação pelos dois Diretores e respectivas equipes. Temos  consciência de que precisamos de mais servidores docentes e técnicos para manter, não só aqui, mas em todas as Unidades Escolares que integram o Colégio Pedro II, a oferta de ensino público de massa e de qualidade do qual tanto nos orgulhamos. Mas estamos confiantes que, em breve, com a aprovação do PL 2134/2011, para cuja conclusão sabemos do empenho pessoal de Vossa Excelência, teremos não só a tão sonhada lei equiparando o Colégio Pedro II aos Institutos Federais, concedendo-lhe a estrutura correspondente à sua importância no panorama educacional brasileiro, como também a criação de 300 cargos docentes e 320 cargos técnico-administrativos, permitindo que realizemos concursos nos próximos anos, até 2014, pondo fim a um longo e sofrido período de carência de recursos humanos.

O Colégio Pedro II tem a singularidade de ser a única escola de Educação Básica vinculada ao MEC, bem como de ser constitucionalmente mantido como uma Instituição Federal de Ensino. Esta condição, resultado do reconhecimento do Governo e da Sociedade por este Educandário que tem atravessado séculos mantendo a tradição de ensino público de qualidade, só faz aumentar nossa responsabilidade. O Colégio Pedro II é uma velha Instituição com espírito jovem, sempre inovador. Honrando nosso passado glorioso e ao mesmo tempo conscientes de nossa importância para o momento atual da Educação brasileira, estamos engajados em praticamente todas as políticas públicas do MEC – antecipamo-nos à lei que prevê a obrigatoriedade da Educação Básica dos 4 aos 17 anos, criando neste Complexo Escolar as primeiras  turmas de Educação Infantil. Há quase trinta anos adotamos o Ensino Fundamental de 9 anos. Há mais de duas décadas, antecipamo-nos à inclusão, estabelecendo convênio com o Instituto Benjamin Constant, pelo qual alunos oriundos dessa modelar instituição e por ela selecionados, são encaminhados para cursar o Ensino Médio na Unidade Escolar São Cristóvão III. Sem abrir mão de nossa principal característica e finalidade – oferta de Educação Básica, desde 2005 passamos a ofertar além do Ensino Médio Regular, o Ensino Médio Integrado diurno, inicialmente na modalidade de Técnico em Informática, depois na de Técnico em Meio Ambiente e a partir deste ano, com a criação da Escola de Música, na modalidade de Técnico em Instrumento Musical. Também desde 2005, aderimos ao PROEJA, que hoje conta com cerca de 730 alunos matriculados em 4 Unidades Escolares, nas modalidades de Administração, Manutenção de Computadores e Manutenção Automotiva, este em parceria com o CEFET-RJ. Atualmente, cerca de 20% de alunos matriculados em nossas turmas de Ensino Médio estudam nas modalidades técnicas. Aderimos ao PRONATEC, tendo pactuado 900 vagas para este ano, a serem oferecidas em algumas de nossas Unidades Escolares, inclusive nesta. No momento está sendo finalizada a primeira turma que freqüentou o Curso de Recepcionista, ofertado na Unidade Escolar de Duque de Caxias. Através do PRONILO, disponibilizando as instalações deste Complexo, em breve daremos início a atividades de extensão programadas pela Diretoria de Extensão e Cultura junto com os Departamentos de Educação Física e de Educação Musical. Estaremos iniciando amanhã no Complexo Escolar São Cristóvão, o Programa Residência Docente em convênio com a CAPES, destinado a 68 professores em atividade nas Redes públicas estadual e municipal, que contam com até 3 anos de formados. Por fim, iniciaremos em agosto a primeira turma do Mestrado Profissional em Práticas Educativas, recentemente aprovado pela CAPES. O MEC pode ter a certeza que tem no Colégio Pedro II um grande parceiro, sempre pronto a contribuir com a expertise de seu altamente qualificado corpo docente – mais de 53% são mestres ou doutores, e com a competência de seu corpo técnico-administrativo para o gigantesco trabalho de melhoria da Educação brasileira.

Concluindo, agradeço à Vossa Excelência por nos dar a honra de vir inaugurar este Complexo Escolar, destinado a ser um pólo irradiador de cultura e Educação para a população desta imensa e por tanto tempo desassistida região de nosso município, pedindo-lhe a fineza de transmitir à Exma. Sra. Presidenta Dilma Rousseff o reconhecimento do Colégio Pedro II pelo que seu governo vem realizando e nos permitindo realizar, formulando ainda o convite para que, ao final deste ano nos honre novamente com sua visita a fim de  inaugurar a Unidade Escolar Duque de Caxias, que se encontra em adiantado estado de construção, e por fim, para que aqui regresse, no próximo ano, com a esperada companhia de nossa Presidenta, para inaugurar o Teatro do Colégio Pedro II, que resultará da restauração do último pavilhão ainda em ruína, cujo projeto está prestes a ser licitado, finalizando assim a completa transformação de uma fábrica de munições em um belíssimo Complexo Escolar e Cultural. Muito obrigada.

Vera Maria Ferreira Rodrigues

Acessos Hoje:887  Total Acessos:17036331