Prêmio InovAção 2016: Projeto ‘Videomakers not Shakers’ usa vídeos para ensinar inglês

Professora e orientadora Regina Fátima ( à esquerda) e as alunas Amanda Henriques, Sarah Pimentel e Eduarda Sasso

Professora e orientadora Regina Fátima de Sá e as alunas Amanda Henriques, Sarah Pimentel e Eduarda Sasso

 

O Videomakers not Shakers é um projeto de vídeos de inglês que tem como objetivo ensinar o idioma de forma dinâmica e divertida. Foi desenvolvido pela professora de Inglês Regina Fátima Oliveira de Sá e pelos alunos Rodrigo Alves, Pedro Ottoni, Eduarda Sasso, Amanda Henriques, Yasmin Gomes e Sarah Pimentel, do Campus São Cristóvão III.

Conversamos com as vencedoras para saber como surgiu essa ideia inovadora.

 

Fale um pouco sobre o projeto, quando foi criado o que a motivou?

Regina Fátima: O projeto surgiu a partir de uma ideia de uma amiga, em que os alunos dela estavam em um vídeo falando em inglês e dançando Gangnam Style.

Então eu propus à minha turma, 1101, que fizesse um vídeo no final da aula em resposta ao vídeo da minha amiga.

Quando eu falei que ia postar nas redes sociais, os alunos quiseram editar o vídeo, pois disseram que estava feio (risos). Então fiquei encantada com o talento, o compromisso e o carinho que eles tiveram comigo. Fiquei impressionada como meus alunos faziam aquilo com facilidade.

Daí resolvemos nos organizar para elaborar esse projeto paralelo ao da sala de aula.

Professora de Inglês Regina Fátima ganhou o Prêmio InovAção 2016 pelo seu projeto de vídeos aulas de Inglês.

Professora Regina Fátima ganhou o Prêmio InovAção 2016 pelo seu projeto de videoaulas em Inglês

 

Qual objetivo do projeto?

Regina Fátima: No começo os alunos perguntaram se envolveria matérias didáticas. Pensei que se a aula fosse ruim e chata para alguns, o projeto não iria acrescentar muito. Então a única regra que colocamos é que tudo deveria ser em inglês.

Nós abrimos algumas exceções para quem não tinha muito domínio da língua, porque o importante era a mensagem ser passada com clareza para o público.

A proposta é brincar com isso, falar em inglês, desenvolver a fluência na língua, saber seu nivelamento, desenvolver a conversação e fazer com que os alunos saiam do CPII minimamente confortáveis com o idioma, trabalhando de forma divertida.

Como foram divididas as tarefas para produção dos vídeos?

Eduarda Sasso: No início estávamos em dúvida sobre como iríamos nos organizar, pois a maioria do grupo não sabia mexer com edição de vídeo. Então o Pedro, por saber um pouco sobre isso, ficou responsável pela edição e pela elaboração do roteiro. Já o resto do grupo ficava responsável pelas entrevistas e participações nos vídeos.

Amanda Henriques: Fazíamos reuniões semanais para dar ideias sobre os assuntos, pesquisávamos sobre os temas em alta na escola, quais os vídeos que eles queriam assistir.

 

Como o projeto ajudou na sala de aula? Como está sendo a repercussão dos vídeos entre os alunos?

Sarah Pimentel: No início, nós alunos reclamávamos muito e por muitas vezes não queríamos assistir às aulas. Então conversamos com a professora, alegamos que a matéria era bastante repetitiva. Poder fazer algo diferente seria muito interessante para gente.

A turma gostou bastante e até mudou o olhar sobre o projeto e a matéria. Quando começamos, recebemos críticas, disseram que o nosso projeto não ia dar certo e hoje em dia eles pedem para participar, perguntam quando terão novos vídeos.

Alunas Amanda Henriques (à esquerda) e Eduarda Sasso foram vencedoras Prêmio InovAção 2016 pelo projeto de Inglês

Alunas Amanda Henriques e Eduarda Sasso foram vencedoras do Prêmio InovAção 2016

 

Qual a média de visualização dos vídeos?

Amanda Henriques: De duas mil a 11 mil visualizações.

 

Pretendem continuar o projeto em 2017? Se sim, haverá mudanças na equipe?

Regina Fátima: Estamos avaliando com o grupo, porque outras coisas acontecerão na vida desses alunos; essa turma não será minha este ano. Então precisamos conversar com a nova professora, para ver a possibilidade de continuidade do projeto.

Penso que vai mudar um pouco, mas é positivo para o crescimento dos alunos, com novas propostas. A intenção é continuar sim.

Amanda Henriques: Nós vamos tentar adaptar, porque é mais difícil por causa da rotina, devido aos problemas que acontecem. A gente pretende continuar de um outro jeito, mas queremos seguir com a produção de vídeos.

 

Qual a importância de ganhar o Prêmio Inovação?

Regina Fátima: Foi uma surpresa porque não tínhamos a intenção de ganhar. O videomakers veio antes de surgir o Prêmio InovAção. Foi um prazer ser premiada. É sempre muito bom quando somos desafiados, corremos um risco, muita gente disse que não ia dar certo, que fugia muito do que fazíamos em sala de aula.

E tendo a própria instituição dizendo para nós que é o diferencial que eles querem, premiando dessa forma, nos dá muita satisfação.

Canal TheVideomakersNotShakers

 

 

Por Hyanarrara Santos (estagiária de Jornalismo)

1 Comment

  1. Edna Peixoto

    Parabéns, Professora Regina Sá, pelo belo projeto junto aos alunos do CPII. É disso que nossos estudantes precisam! Grande abraço.

    Reply

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>