Projeto #BibliotecaIndica: Daniel Munduruku

Publicado em

Design sem nome (63)

Oi, crianças! Esta semana aqui no #BibliotecaIndica vamos conversar sobre um autor muito querido e seus livros, que vocês encontram nas estantes da Biblioteca Casa das Histórias. Hoje é dia de ouvir a natureza e conhecer mais sobre o Daniel Munduruku.

Daniel Munduruku.

O Daniel nasceu em 1964 lá em Belém, capital do estado do Pará, mas hoje em dia ele mora em Lorena, uma cidade que fica no interior de São Paulo. Ele já estudou Filosofia, História e Psicologia, além de ter Mestrado e Doutorado em Educação e Pós-doutorado em Linguística. Quanta coisa! Vocês também são estudiosos assim como o Daniel?

Pertencente ao povo indígena em Munduruku, ele foi estudar na cidade quando tinha 9 anos e sofreu preconceito. Nem queria mais ser indígena… Mas seu avô o ajudou a se lembrar quem era seu povo e a ouvir a natureza.

Posso falar uma coisa para vocês? PRECONCEITO NÃO TÁ COM NADA!

O Daniel é professor e quis escrever para crianças para ensinar mais sobre os povos originários. E ele é tão bom nisso de escrever que recebeu muitos prêmios no Brasil e em outras partes do mundo também! Olhem só essa lista pra ninguém botar defeito: Prêmio Jabuti, Prêmio da Academia Brasileira de Letras, Prêmio Érico Vanucci Mendes e o prêmio da Fundação Bunge pelo conjunto da obra, entre outros.

Vocês perceberam que eu me empolguei, né? É que eu sou muito fã desse autor! Mas vou deixar que o próprio Daniel se apresente e conte um pouco mais de sua história e inspirações para vocês no vídeo a seguir:

As crianças indígenas vivem de uma forma bem simples. Nesse vídeo, o Daniel fala um pouco da sua infância, mas também fala da forma como ele escreve e sobre o que gosta de escrever.

Algumas pessoas chamam os povos indígenas de índios. Eu também me confundia, até que o Daniel me explicou direitinho qual é o correto. Apesar dele usar uma ou outra palavra complicadinha nesse vídeo, acho que vocês conseguem acompanhar o que o Daniel tem a nos dizer sobre esse assunto. Que tal chamar um adulto para assistir e aprender junto com vocês?

Sabiam que os escritores são também leitores? Juro juradinho! O Daniel contou a história de uma aranha muito esperta que o fez gostar de ler. Será que essa aranha também fazia parte da equipe da biblioteca, assim como um certo sapo muito amado por todos vocês?

Na Biblioteca Casa das Histórias temos alguns dos 54 livros publicados pelo Daniel (e nós amamos todos!). Um deles se chama As serpentes que roubaram a noite e teve sua história contada no canal Sesc Piauí pela Aliã Wamir, que também é indígena e mora na aldeia Ukair.

Vozes Ancestrais é um outro livro do Daniel que tem vários contos indígenas, entre eles o do povo Paiter Suruí. Além deste conto, no link a seguir também podemos ler um trecho no qual o Daniel fala sobre como foi o processo de escrita desta obra.

Design sem nome (20)
CLIQUE PARA ACESSAR

A equipe da Prefeitura de Jundiaí, uma cidade de São Paulo, também escolheu um contador para a história do livro chamado Kaba Darebu. Essa é a história de um menino com o mesmo nome e como é sua vida na aldeia.

O Daniel também participou de livros escritos com autores vindos de diferentes povos indígenas, como o livro Nós. A Mayra Sigwalt compartilhou em seu canal porque ela acha este livro tão importante para quem quer conhecer um pouco mais sobre literatura indígena.

Querem mais leitura?

Vou deixar aqui trechos de outros dois livros do Daniel: Karu Taru e Foi vovó que disse. Divirtam-se!

CLIQUE PARA ACESSAR
CLIQUE PARA ACESSAR

 

CLIQUE PARA ACESSAR
CLIQUE PARA ACESSAR
Gostaram do #BibliotecaIndica especial sobre o Daniel Munduruku? Quais histórias vocês já conheciam e qual a sua preferida? Me contem aqui nos comentários ou pelo nosso e-mail: casadashistorias@g12.cp2.br.

Muitas beijocas do seu sapinho favorito,

Papa Livros Flicts de Sousa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress