Turma 52 quis saber: “Como vivem os alunos cegos?”

Publicado em

Olá, queridos e queridas visitantes,

Compartilhamos por meio deste canal o relato de experiência vivida pela turma 52, elaborado pelas mãos das docentes de Educação Infantil Carolina, Débora e Jaqueline, pelo professor de Educação Física Leandro e pela Cíntia, coordenadora do NAPNE. Que tal embarcar nesta aventura? Era uma vez…

Uma apresentação de dança dos alunos do Pedrão (Campus Realengo II) no CREIR foi o cenário para o pontapé inicial de uma investigação – alguns alunos que se apresentaram no dia eram cegos e isso chamou a atenção da turma. Seguindo as perguntas das crianças, conhecemos jogos táteis, livros em Braille, entendemos e experimentamos como assistir filmes, brincar de jogo da memória, caminhar pelo pátio e até descer no escorregador sem enxergar.

Cintia Tavares (coordenadora do NAPNE – CREIR) apresentou às crianças um livro todo em braille e um livro com a escrita em tinta e em braille, com imagens braillizadas em que as crianças tamparam os olhos com vendas e sentiram as letras e imagens.

O professor de Educação Física, Leandro, apresentou o goalball, um esporte paraolímpico, e entrou em contato com Gabrielle, aluna do Pedrão, para que pudéssemos conversar sobre sua cegueira. Produzimos um áudio convidando-a para vir até o CREIR responder algumas de muitas curiosidades das crianças. Finalmente o dia de conhecer Gabrielle chegou. Separamos uma cadeira só para ela e pudemos, no tempo reservado para a conversa, saber um pouco do cotidiano da aluna tanto no contexto escolar quanto doméstico. Para finalizar a conversa, ainda nesse dia, Gabrielle leu algumas páginas da história “O Pequeno Polegar”, livro em braille que as crianças tatearam anteriormente, e tivemos a oportunidade de observar como a leitura em braille é realizada.

Depois foi a vez de Gabrielle convidar as crianças para conhecer de perto o ambiente e os materiais que ela usa para estudar. As crianças puderam experimentar uma máquina de escrever em Braille e viram como funcionam impressora e outros aparelhos que Gabrielle usa cotidianamente. As visitas aconteceram em parceria com o NAPNE de Realengo II, em que o professor coordenador André Tato acompanhou a aluna Gabrielle até o CREIR e, para a segunda visita, disponibilizou a sala do NAPNE e preparou o ambiente para receber as crianças.

Categorizado em Produções

Assuntos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress