SOEP e NAPNE: (Re)conhecendo as diferenças

Publicado em

WhatsApp Image 2020-03-18 at 12.09.34

NAPNE 1

 

NAPNE 2

Por que a terminologia “Pessoas com Deficiência“?

  Grande parte da sociedade, que não possui familiaridade ou não atua na área da deficiência, utiliza o termo “portadoras de deficiência” ou “portadoras de necessidades especiais” para designar alguém com deficiência.

Na maioria das vezes, desconhece-se que o uso de determinada terminologia pode reforçar a segregação e a exclusão. Cabe esclarecer que o termo “portadores” implica em algo que se “porta”, que é possível se desvencilhar tão logo se queira ou chegue-se a um destino. Remete, ainda, a algo temporário, como portar um talão de cheques, portar um documento ou ser portador de uma doença. A deficiência, na maioria das vezes, é algo permanente, não cabendo o termo “portadores”. Além disso, quando se rotula alguém como “portador de deficiência”, nota-se que a deficiência passa a ser “a marca” principal da pessoa, em detrimento de sua condição humana.

A partir de 1981, passou-se a utilizar o termo “deficientes”, por influência do Ano Internacional e da Década das Pessoas Deficientes, estabelecido pela ONU. Em meados dos anos 1980, entraram em uso as expressões “pessoa portadora de deficiência” e “portadores de deficiência”. Por volta da metade da década de 1990, a terminologia utilizada passou a ser “pessoas com deficiência”, que permanece até hoje.

A diferença entre Pessoa com Deficiência e as anteriores é simples: ressalta-se a pessoa à frente de sua deficiência. Ressalta-se e valoriza-se a pessoa acima de tudo, independentemente de suas condições físicas, sensoriais ou intelectuais. Também em um determinado período acreditava-se como correto o termo “especiais” e sua derivação “pessoas com necessidades especiais”. “Necessidades especiais” quem não as tem, tendo ou não deficiência? Essa terminologia veio na esteira das necessidades educacionais especiais de algumas crianças com deficiência, passando a ser utilizada em todas as circunstâncias, fora do ambiente escolar.

Não se rotula a pessoa pela sua característica física, visual, auditiva ou intelectual, mas reforça-se o indivíduo acima de suas restrições. A construção de uma verdadeira sociedade inclusiva passa também pelo cuidado com a linguagem. Na linguagem se expressa, voluntária ou involuntariamente, o respeito ou a discriminação em relação às pessoas com deficiência. Por isso, vamos sempre nos lembrar que a pessoa com deficiência antes de ter deficiência é, acima de tudo e simplesmente: pessoa.

Maria Isabel da Silva, jornalistaSão Paulo (SP)

Fonte: https://www.selursocial.org.br/porque.html

NAPNE 3 NAPNE 4

 

  • Que tal algumas dicas que podem te ajudar a lidar com pessoas com deficiência? Não existem regras, mas alguns pontos valem a pena compartilhar! Qual o termo certo usar, como agir, o que perguntar, como ajudar são algumas questões que são abordadas neste vídeo.

Como lidar com pessoas com deficiência?

NAPNE 5

  • Este vídeo destaca algumas pessoas com deficiência visual que não se preocupam se são chamadas de cegos ou de deficientes, desde que sejam respeitados e devidamente incluídos na sociedade. O documentário mostra como algumas pessoas conseguiram superar as dificuldades trazidas pela deficiência e tiveram muitas conquistas. O filme conta com o recurso da audiodescrição que torna possível às pessoas com algum tipo de deficiência visual o entendimento de uma peça de teatro, novela ou filme.

Conhecendo a Deficiência Visual

NAPNE 6

  • Muitas vezes temos a visão como primeiro sentido e, por isso, estamos pouco habituados a pensar no que uma pessoa com deficiência visual precisa em seu dia a dia. Comunicação verbal é essencial. Mas como se comunicar da melhor forma? Vamos descobrir!

Como lidar com as pessoas com Deficiência Visual?

NAPNE 7

  • Deficiência física: alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções.

NAPNE 8

  • Ao pensar em como ajudar um cadeirante logo lembramos das rampas. Mas a nossa atenção deve ir muito além delas. Pessoas com essa ou outras deficiências físicas precisam de pequenas adequações e se repararmos bem já fazemos muitas delas no nosso dia a dia. Vamos ver algumas dicas?

Como lidar com pessoas com Deficiência Física?

NAPNE 9

  • A Deficiência Intelectual é um transtorno de desenvolvimento que atinge de 3% a 4% das crianças e caracteriza-se por importantes limitações, tanto no funcionamento intelectual quanto no comportamento adaptativo. Vejam estes vídeos e entendam mais sobre a deficiência intelectual.

O que é Deficiência Intelectual?

O que é Deficiência Intelectual?

NAPNE 10

  • Você sabia que as pessoas surdas não se comunicam da mesma forma? Há surdos que aprenderam o português, outros que não aprenderam e usam a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e ainda aqueles bilíngues! Cada um necessita de diferentes tipos de adequação na comunicação. Vamos entender melhor?

Como lidar com pessoas com Deficiência Auditiva?

NAPNE 11

  • O Transtorno do Espectro Autista (TEA) engloba diferentes condições marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico com três características fundamentais, que podem manifestar-se em conjunto ou isoladamente. São elas: dificuldade de comunicação por deficiência no domínio da linguagem e no uso da imaginação para lidar com jogos simbólicos, dificuldade de socialização e padrão de comportamento restritivo e repetitivo.
  • No link abaixo um vídeo explicando o autismo.

Conhecendo o TEA

napne 12

  • No vídeo, Marcos Petri, um jovem com autismo, tira dúvidas na internet sobre sua rotina como autista.
  • Ele criou o canal para mostrar que é possível viver bem com o autismo. Transtorno pode atingir uma em cada 45 crianças.

Conhecendo o TEA pelos olhos do autista

napne 13

  • Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015 – Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência).

Lei 13.146

napne 14

napne 15

Além dos meus olhos – 1987

Após alguns anos de casados, James e Ethel, que são cegos descobrem que não podem ter filhos. Quando decidem adotar uma criança, eles têm que enfrentar uma série de barreiras legais – e provar que são capazes de cuidar de alguém.

napne 16

As sessões – 2013

Mark O’Brien (John Hawkes) é um escritor e poeta que, ainda criança, contraiu poliomielite. Devido à doença ele perdeu os movimentos do corpo, com exceção da cabeça, e precisa passar boa parte do dia dentro de um aparelho apelidado de “pulmão de aço”. Mark passa os dias entre o trabalho e as visitas à igreja, onde conversa com o padre Brendan (William H. Macy), seu amigo pessoal. Sentindo-se incompleto por desconhecer o sexo, Mark passa a frequentar uma terapeuta sexual. Ela lhe indica os serviços de Cheryl Cohen Greene (Helen Hunt), uma especialista em exercícios de consciência corporal, que o inicia no sexo.

napne 17

Como eu era antes de você – 2016

Em Como Eu Era Antes de Você, o rico e bem sucedido Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.

napne 18Forrest Gump – O contador de histórias – 1994

Quarenta anos da história dos Estados Unidos, vistos pelos olhos de Forrest Gump (Tom Hanks), um rapaz com QI abaixo da média e boas intenções. Por obra do acaso, ele consegue participar de momentos cruciais, como a Guerra do Vietnã e Watergate, mas continua pensando no seu amor de infância, Jenny Curran.

napne 19Depois do silêncio – 1996

Por toda a vida, Laura, uma jovem surda de 20 anos, viveu trancada em sua casa, sofrendo dia a dia uma série de abusos do pai. Ajudada por Pam (uma aguerrida assistente social), a moça abandona a tutela da família e descobre um novo mundo onde seus direitos são aos poucos (re)conquistados: aprende língua de sinais, conhece novas pessoas, estuda e, já com um meio de comunicação possível, defende-se contra os desmandos daqueles que a violentam. A trama do filme “Depois do silêncio” (“Breaking Through”, 1996), de Fred Gerber, é inspirada em caso real e traz à tona um tema não incomum entre surdos de vários países.

napne 20Loucos de Amor – 2005

Donald Morton (Josh Hartnett) e Isabelle Sorenson (Radha Mitchell) sofrem da síndrome de asperger, uma espécie de autismo que provoca disfunções emocionais. Donald trabalha como motorista de táxi, adora os pássaros e tem uma incomum habilidade em lidar com números. Ele gosta e precisa seguir um padrão em sua vida, para que possa levá-la de forma normal. Entretanto, ao conhecer Isabelle em seu grupo de ajuda tudo muda em sua vida.

napne 21Temple Grandin – 2010

É baseado no livro Uma Menina Estranha, da própria Temple, uma mulher com autismo que acabou se tornando uma das maiores especialistas do mundo em manejo de gado e planejamento de currais e matadouros.

napne 22Arthur e o Infinito: Um olhar sobre o Autismo – 2012

Este é um curta-metragem que fala de forma bem realista sobre o Autismo do ponto de vista de uma família que vive com o filho pequeno a saga até o diagnóstico e as descobertas e desafios de lidar com os sintomas, tratamento, erros e acertos.

O filme mostra o dia a dia da família e as tentativas da mãe de entender o mundo do filho, o que se passa em sua cabeça, as razões de seus comportamentos… Retrata também os questionamentos dessa mãe em relação à sua própria capacidade de lidar com o filho.

napne 23Como estrelas na Terra – 2007

O jovem Ishaan tem muita dificuldade para se concentrar nos estudos, e mal consegue escrever o alfabeto. Depois de diversas reclamações da escola, o pai, que acredita que Ishaan não faz as tarefas por falta de comprimisso, decide levá-lo a um internato, o que leva o menino a entrar em depressão. Mas, um professor substituto de artes, Nikumbh, logo percebe o problema de Ishaan, e entra em ação com seu plano para devolver a ele a vontade de aprender e, sobretudo, viver.

napne 24

Mande um e-mail para:

napnecp2dc@gmail.com

ou

soep.cdc@cp2.g12.br

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress