Entrevista com a nutricionista Karina Fernandes, ex-aluna do CPII Caxias

Publicado em

Facetune_01-05-2020-08-22-26
É com muito orgulho que trazemos a entrevista com a nutricionista Karina Fernandes de Oliveira, 25 anos, que foi aluna do CPII Caxias de 2009 a 2011 e atualmente trabalha em uma rede particular de hospitais na cidade do Rio de Janeiro.
Esta entrevista é a quarta parte de uma série sobre ex-alunos nossos que trabalham na área de saúde e podem nos esclarecer mais sobre a pandemia do COVID-19. Também é uma pequena homenagem aos trabalhadores de serviços essenciais, como o de saúde, que se dedicam incansavelmente a nos atender neste momento tão difícil.

Como está sendo a experiência de trabalhar como nutricionista com pacientes confirmados de Covid-19?
Karina: “Neste momento histórico em que passamos, com tantas incertezas e aumento das necessidades hospitalares, atuar como nutricionista clínica no cuidado do paciente com diagnóstico confirmado ou caso suspeito de COVID-19 vem sendo desafiador.  Busco agir de forma efetiva, dando atenção individualizada em suas dietas de maneira que sejam equilibradas e facilmente aceitas, respeitando as restrições e condições impostas pelo tratamento da enfermidade”.

 

Como você sente que estão seus colegas de trabalho do hospital?

Karina: “Trabalho há 4 anos em uma rede de hospitais privados na qual a demanda de pacientes com a COVID-19 tem sido muito grande e vem tomando as suas instalações. Gradualmente, eu e meus colegas de trabalho fomos treinando e presenciando mudanças drásticas na organização do hospital. Estamos passando por um grande desafio e nossas jornadas de trabalho mudam, isso gera apreensão, medo e angústia. Lá, estamos preparados e sabemos que essa é a nossa missão. É um trabalho constante, árduo e de toda equipe multidisciplinar. O que me motiva diariamente, é saber que os profissionais de saúde fazem a diferença na luta contra o vírus”.

 

A realidade da nutrição está sendo como você sonhava que seria?

Karina: “Quando escolhi a Nutrição já sabia o que queria ser e não me imaginaria trabalhando com outra coisa, a área da saúde sempre me encantou. Vivenciamos experiências incríveis em cada dia de trabalho, mas às vezes a realidade nem sempre é como o esperado ou como foi nos estágios da graduação, o que não é fácil de início.
Assim como todas as profissões deve ser feita com muita dedicação, amor é preciso estar por inteiro. A melhor recompensa é saber que seus esforços para ajudar as pessoas estão dando frutos”.

 

Qual o papel dos nutricionista no combate à Covid-19? 

Karina: “O trabalho do nutricionista é na assistência dietética, para ofertar uma terapêutica eficiente no combate à COVID-19, fazendo uma triagem para poder identificar os pacientes com perda de peso, redução do apetite ou que necessitem de cuidados específicos com a alimentação. É procurar melhores maneiras de ofertar um cardápio equilibrado, mesmo com todas as complicações que o enfermo possa ter. É incentivar o paciente a se alimentar adequadamente, fazendo com que ele entenda a importância da boa alimentação dentro do hospital e depois da alta, para que o tratamento se estenda até sua casa, priorizando segurança alimentar e buscando uma recuperação mais rápida e eficiente, o que é essencial no combate”.

A nutricionista Karina Fernandes no hospital onde trabalha (foto: arquivo pessoal)
A nutricionista Karina Fernandes no hospital onde trabalha (foto: arquivo pessoal)

O que você diria para um aluno do ensino médio do CPII que sonha em seguir sua carreira?
Karina: “Que a Nutrição é a única ciência capaz de promover a saúde, prevenir doenças, aumentar a qualidade de vida e bem-estar através da alimentação. Na faculdade, à medida que passavam os períodos, me apaixonava, tendo em vista que sempre gostei muito da área e quando percebi a grande transformação que a nutrição pode fazer na vida de pessoas, eu amei, e amo a profissão. Ser nutricionista é mais que apenas passar dieta para emagrecer, é muito mais, a nutrição pode salvar vidas, já que nosso corpo depende dos alimentos, que são fontes de energia, vitaminas, minerais. Quando uma alimentação é modulada de acordo com as necessidades do indivíduo, ela fará grande diferença e até pode curar doenças, principalmente as da modernidade. Para obter sucesso, será necessário muito profissionalismo, entrega e coragem para encarar os desafios associados à realidade de atuação. É importante fazer vários estágios durante a graduação, porque proporciona ao acadêmico diversas experiências e um leque de contatos, o que pode refletir em boas oportunidades após a formação”.

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress