Nota pública sobre a Educação Infantil diante da atual situação de isolamento social

Colégio Pedro II

Departamento de Educação Infantil

Rio de janeiro, 24 de abril de 2020

Nota pública sobre a Educação Infantil diante da atual situação de isolamento social

Vivemos uma situação sanitária, social, política e econômica sem precedentes, ao menos em nossa história recente, causada pelo surto mundial de COVID-19. Estamos, sem dúvida, tristes pela interrupção abrupta de um ano letivo, iniciado com toda a dedicação e afeto pelos profissionais desta instituição. Carregamos esse sentimento, sobretudo, pela consciência da importância da instituição escolar e do trabalho realizado na Educação Infantil que não existe sem o encontro, sem a palavra, sem o abraço, sem a presença das crianças e adultos que habitam a escola.

A necessidade de isolamento social culminou na suspensão das atividades acadêmicas no Colégio Pedro II desde o dia 16 de março. Essa medida faz parte da estratégia de enfrentamento da pandemia e se estende aos diversos segmentos da educação, nas redes públicas e privadas. Instaurou-se um amplo debate no campo educacional sobre a adoção de iniciativas de educação à distância. Diante disso, o Departamento de Educação Infantil, em diálogo com o Centro de Referência em Educação Infantil Realengo e com os departamentos de Artes Visuais, Educação Física, Educação Musical e Informática Educativa, atento às recomendações do governo federal, assim como às deliberações da Reitoria do Colégio Pedro II, vem a público a fim de elucidar o que se refere à especificidade da Educação Infantil neste debate.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, no que tange ao atendimento às crianças pequenas, não prevê a oferta de Educação Infantil na modalidade à distância, não havendo, portanto, previsão legal para encaminhamentos nesse sentido.

Após anos de luta pelos direitos das crianças pequenas e pelo respeito às infâncias, logramos alcançar o reconhecimento do papel social da escola como um espaço de convívio e de relações estabelecidas pelas nossas crianças. Em consonância com esse pressuposto, as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil estabelecem que as práticas pedagógicas que compõem a proposta curricular nesta etapa devem ter como eixos norteadores as interações e a brincadeira. Ou seja, as interações e as brincadeiras constituem, no espaço coletivo, a base dos encontros cotidianos e são estruturantes nas propostas pedagógicas, o que difere consideravelmente do espaço e das relações familiares.

Em articulação com os requisitos e diretrizes legais, construímos ao longo dos oito anos de existência do CREIR, uma proposta que compreende a escola como um espaço de interações. As ideias que fundamentam essa proposta pedagógica articulam-se com alguns princípios que atravessam nossa prática, como a escuta e o cuidado. A escuta de cada criança e a identificação das culturas infantis que se constituem quando estas habitam os espaços da escola permitem a construção de um currículo integrado que se traduz em experiências do cotidiano. Currículo pautado na e pela infância, que não corresponde a uma lista de conteúdos a serem aprendidos. É pela rede de relações que se estabelecem todos os dias, em presença, no espaço do CREIR, que é possível pensar, construir e viver a nossa escola junto com as crianças.

A Educação Infantil, em nossa escola, privilegia os vínculos, o afeto, a escuta e o cuidado, o que não pode ser ofertado por atividades remotas,  descontextualizadas do nosso cotidiano, e, portanto, vazias de sentido pedagógico. O planejamento das atividades pedagógicas ocorre de modo alinhado aos interesses e desejos do grupo de crianças e adultos. Por essa razão a nossa proposta jamais caberia nos moldes de um espaço virtual, no qual  não existe uma estante para buscar o pote de massinha, um pátio para correr, uma árvore para regar, um brinquedão para encontrar com os colegas de outras turmas, entre tantas outras vivências valiosas e imprescindíveis que instigam a criatividade, a observação, provocam questionamentos e investigações.

O momento atual é sensível e complexo. Não podemos desconsiderar que vivemos um cenário de preocupação e insegurança. Não podemos desconsiderar que as condições de vida e organização das famílias são diversas e que há aqueles em situação de vulnerabilidade social. Consideramos que o momento designa ao fortalecimento do convívio de acordo com cada rotina e dinâmica familiar, com a liberdade de ouvir e dialogar com as suas crianças, cuidar das emoções, assim como do afeto.

Por tudo isso, não acreditamos que a oferta de Educação Infantil seja compatível com a modalidade à distância. Ratificamos os pressupostos de uma educação que respeite os direitos, as singularidades, as necessidades de cuidado e as medidas orientadas pelos órgãos competentes a fim de preservar a saúde das crianças, de suas famílias e dos servidores.

3 comentários em: “Nota pública sobre a Educação Infantil diante da atual situação de isolamento social

  1. Pingback: Colégio Pedro II

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>