Professores do CPII participam de Congresso Internacional em Lisboa

Publicado em

principal_teresa_horta

Os professores Jorge Marques e Osmar Soares da Silva Filho estiveram entre os dias 8 e 10 de maio de 2019 na Universidade de Lisboa para participarem do Congresso Internacional Maria Teresa Horta:  de Espelho Inicial (1960) a Estranhezas (2018).  Ambos os docentes pertencem ao Departamento de Português e Literaturas de Língua Portuguesa, com inserção direta na Educação Básica, atuando também na Pós-Graduação do Colégio Pedro II.  O primeiro compõe o corpo docente do Mestrado em Práticas de Educação Básica e coordena o Programa de Residência Docente, enquanto o segundo coordena o EREREBA, Especialização em Educação das Relações Étnico-Raciais no Ensino Básico, além de atualmente estar na coordenação do NEABI.

Apresentação Professor Jorge (primeiro à esquerda)

 Os professores  participaram de mesas-redondas do evento, apresentando suas pesquisas acerca da obra da escritora homenageada.  O professor Jorge Marques proferiu a palestra “Maria Teresa Horta:  o primeiro e o último”, no qual tratou do primeiro e do último livro de poesias da autora, construindo um arco estético-temático que perfaz quase meio século de militância poética; já o professor Osmar Soares, em sua fala, intitulada “Origens da opressão na sociedade portuguesa recriada na poesia de Maria Teresa Horta”, abordou questões relativas ao racismo e à misoginia na sociedade lusitana, disfunções sociais que deram, por exemplo,  origem à escravidão no Brasil e em África e à sistemática violência contra as mulheres portuguesas.

Apresentação Professor Osmar (2º da direita para esquerda)

O evento do qual os professores do Colégio Pedro II participaram reuniu pesquisadores do Brasil, Portugal, Inglaterra, França e Itália.  A autora, que esteve presente em todas as sessões do Congresso, tem 81 anos e é considerada um dos maiores nomes vivos da poesia em Literaturas de Língua Portuguesa.  Sua obra é bastante vasta e inclui, entre outros títulos, Minha Senhora de Mim (1971) e Educação Sentimental (1975).  É reconhecidamente uma das vozes que sempre lutou pela liberdade e pelos direitos individuais, tendo desafiado o regime ditatorial português com a publicação das célebres Novas Cartas Portuguesas, escritas a seis mãos com Maria Isabel Barrena e Maria Velho da Costa.  Em 2019, Maria Teresa Horta teve seu nome indicado pela Sociedade de Autores Portugueses à Academia Sueca para o Prêmio Nobel de Literatura.

 

 

 

Assessoria de Comunicação Social

Categorizado em Docentes, Notícias, Português

Assuntos:

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress