Ex-aluna fala sobre experiência como astrônoma nos EUA em evento realizado no HU2

Publicado em

Vivian falou para professores, técnicos e alunos sobre o papel do CPII na sua trajetória acadêmica
Vivian falou para professores, técnicos e alunos sobre o papel do CPII na sua trajetória acadêmica

O Campus Humaitá II recebeu no dia 29 de maio a ex-aluna Vivian Miranda, que veio falar sobre sua atuação hoje como astrônoma de um projeto da Nasa que desenvolve um satélite avaliado em US$ 3,5 bilhões (R$ 13 bilhões). Vivian, que atualmente faz pós-doutorado em astrofísica na Universidade do Arizona, participou de uma mesa-redonda e falou para uma plateia formada por alunos do Ensino Médio. O evento foi uma realização do GT de convidados externos do projeto “Que CPII Queremos? ” e do Soep do Humaitá II.

Vivian fala da sua trajetória no CPII.

https://youtu.be/lnVMRCHHF9k

Participaram de uma mesa-redonda os coordenadores de Departamento de Física do CPII, Eduardo Gama, e da Equipe de Física do Humaitá II, Filipe Paiva, o orientador do Setor de Orientação e Educação Pedagógica (Soep) Antonio Carlos Vilela, a Diretora-Geral do Humaitá II, Soraya Sabah da Costa, e o professor aposentado de Matemática do campus André Luís Marques, que foi mediador do debate.

André Luis fala sobre sua experiência com a  Vivian. Na mesa estavam Soraya Sabah Eduardo Gama, Antonio Carlos e Filipe Paiva
André Luis fala sobre sua experiência com a Vivian. Na mesa estavam Soraya Sabah, Eduardo Gama, Antonio Carlos e Filipe Paiva

André Luís era o coordenador do turno noturno na época que Vivian estudou no campus, entre 2001 e 2003. Foi graças ao professor que o então aluno Vinícius Miranda (Vivian se tornou trans há poucos anos) tomou conhecimento da Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) de 2001. “Ele me falou sobre a competição três dias antes da prova. Entrei na OBA no susto, mas passei para a segunda fase e acabei em quarto lugar e como suplente a IAO, que era o nome da competição internacional de astronomia da época”, contou.

“Em 2002 eu fiquei em terceiro lugar, mas eram só duas vagas para participar da IAO. Mais uma vez bati na trave”, brincou Vivian, lembrado que em 2003 ela ficou com o ouro na competição, mas a competição internacional não foi realizada naquele ano.

A pesquisadora falou dos projetos que desenvolve atualmente para a Nasa
A astrônoma falou dos projetos que desenvolve atualmente para a Nasa

Vivian também representou o Colégio Pedro II em uma reunião no Ministério da Educação (MEC) em 2003. Naquele encontro, estudantes de destaque do país inteiro foram convidados para falar sobre educação. “Havia um representante das escolas privadas, um das estaduais e eu falei pelas federais. Foi uma honra representar todas as escolas federais do país. Meu discurso foi ‘O Ensino médio que queremos’”, relembrou.

Dos tempos do Colégio Pedro II Vivian destaca ainda sua atuação como bolsista do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), entidade com a qual o CPII mantém parceria em um Programa de Iniciação Científica Júnior. Em 2002, Vivian foi premiada pelo programa pela sua atuação em cosmologia, área em que ela atua até hoje. A cosmologia, explica, é área da astronomia que estuda a origem e a evolução do universo.  

Telescópio

A pesquisadora disse para os alunos que não é preciso ser gênio para se tornar cientista
A pesquisadora disse aos alunos que não é preciso ser gênio para se tornar cientista

A atuação de Vivian na área da cosmologia levou a pesquisadora a se juntar a outros colegas em 2015 para apresentar projeto para simulações de uso de um satélite, o W First, desenvolvido pela Agência Espacial Americana (Nasa). “A Nasa é como a CAPs e o CNPq. Ela lança editais para pesquisadores interessados em participar dos seus projetos”, esclareceu Vivian.

A brasileira atua em dois projetos financiados pela Nasa para simulações de uso do W First, que na verdade é um telescópio espacial. Em um dos grupos, da qual é uma das pesquisadoras responsáveis, a finalidade é fazer simulações de como o W First poderá medir o tamanho do universo a partir das explosões das supernovas.

No outro grupo Vivian atua a convite dos coordenadores do pós-doc que ela realiza na Universidade do Arizona: Tim Eifler & E. Krause. “Neste grupo o foco da pesquisa é o uso das lentes gravitacionais para medir estruturas em larga escala do universo, ou seja, o quanto de matéria e energia escura existe no universo”, explicou.

Os dois projetos com a Nasa seguem até 2020. Até lá, Vivian concluirá seu segundo pós-doc e continuará tentando entrar para a academia. O projeto da pesquisadora é se tornar professora universitária, nos Brasil ou nos Estados Unidos.

Astrônoma dá dicas para plateia de estudantes do HU2

https://youtu.be/GktJju1RmUw

Depoimentos

Alunos do Ensino Médio do HU2 dos três turnos participaram do evento
Alunos do Ensino Médio do HU2 dos três turnos participaram do evento

“Achei a palestra muito boa. A Vivian tem uma longa trajetória do CPII até a Nasa. O fato de ser trans faz com que as conquistas dela sejam ainda maiores.”

José Pedro dos Santos Ramalho, 2ª série.

“É uma honra receber no nosso campus uma ex-aluna com uma trajetória tão brilhante. Eu gostei de muita coisa que ela abordou aqui hoje. Ela desenvolveu todos os temas muito bem.”

Ernesto Amaral, 3ª série

“Eu gostei muito da forma como a Vivian falou do CPII, de como estudar no colégio foi importante para a trajetória dela. Ela estudou em tantas universidades de ponta, mas disse que foi o CPII que mudou sua vida. Achei isso muito emocionante.”

Lavínia Ponso e Vasconcelos, 2ª série

“Os alunos presentes nesta noite são privilegiados por poder conversar com uma pesquisadora do nível da Vivian.  Gostei muito da parte que ela falou da importância do desenvolvimento da ciência no Brasil. ”

Ricardo Miranda, pedagogo do Soep.

“A Vivian naturalizou muito a ideia de ser cientista. Não precisa ser gênio e nem melhor do que ninguém para se fazer ciência. Qualquer um pode ser cientista. É uma questão de escolha. ”

Filipe Paiva, coordenador da Equipe de Física do CPII.

Veja nos vídeos  abaixo mais depoimentos dos participantes da mesa-redonda:

Eduardo Gama, coord. do Deptº de Física do CPII, comenta sobre o esteriótipo do cientista.

https://youtu.be/E_nwMYX391E

Antônio Carlos Villela, psicólogo do SOEP,  fala da ex-aluna.

https://youtu.be/wj9BM1at1sA

Diretora-geral agradece a vinda da astrônoma e ex-aluna ao campus.

https://youtu.be/RVfa11mGESY

Quem é Vivian Miranda

Vivian vive há 9 nove anos no EUA, onde fez doutorado e  está no segundo pós-doc
Vivian vive há 9 nove anos no EUA, onde fez doutorado  em Astronomia e está no segundo pós-doc

Depois de estudar no Colégio Notre-Dame, com bolsa integral como gosta de salientar, Vivian Miranda cursou o Ensino Médio no Campus Humaitá II (2001/2003), no turno noturno. Entre 2004 e 2010, estudou na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde fez graduação e mestrado em Física. Vivian foi orientada pelos professores a optar pela Física porque assim teria mais conteúdo teórico, mas sua área de atuação sempre foi a astronomia, ciência que desde a infância a fascinava.

Entre os ídolos de Vivian está Carl Segan, astrônomo responsável pela primeira edição da série de televisão Cosmos, famosa nos anos 70 nos EUA e que foi exibida no Brasil na década de 80.  Carl era doutor pela Universidade de Chicago, onde Vivian também conclui seu doutorado em 2015. No mesmo ano, Vivian emendou um pós-doc na Universidade da Pensilvânia, concluído em 2018. Atualmente, ela faz pós-doc em outra universidade dos EUA: a do Arizona.

Setor de Comunicação do Campus Humaitá II

Assuntos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress