Resultados encontrados para: Slam das minas

Slam das Minas do RJ se apresenta no Humaitá II

Publicado em

No dia 19 de novembro o Humaitá II recebeu o coletivo Slam das Minas RJ, um grupo de poetisas negras do Rio de Janeiro que declama poemas críticos sobre a realidade de mulheres negras, marginalizadas e periféricas dentro de uma sociedade machista, racista e homofóbica. O evento foi mais uma atividade do projeto pedagógico “Denegrindo Olhares”, do coletivo Negrxs Lelia González.

Rainha do Verso (Rehane Barcellos) é uma das integrantes do Slam das Minas do RJ
Rainha do Verso (Rehane Barcellos) é uma das integrantes do Slam das Minas do RJ

As integrantes do Slam das Minas RJ Rainha do Verso (Rejane Barcellos), Letícia Brito, Gênesis (Geise Gomes) e Pietra Poeta, esta última do Slam das Minas de Minas Gerais, apresentaram um pocket show com declamações de várias poesias, tendo como tema a violência praticada contra as mulheres, o racismo e o preconceito. O  Refeitório de campus ficou lotado de alunos e servidores que assistiram até o fim à apresentação do Slam das Minas do RJ.

Letícia Brito é uma das seis integrantes do coletivo que existe desde 2016
Letícia Brito é uma das seis integrantes do coletivo que existe desde 2016

Presentes em várias cidades brasileiras, o grupo do Rio foi fundado em 2016 e conta atualmente com seis integrantes. Na página do Facebook, a descrição do grupo diz que o Slam do RJ “é uma brincadeira lúdico poética para desenvolvimento da potência artística de mulheres (sejam héteras, bis, pans, lésbicas ou trans) e pessoas queer, agender, não bináries e trans”.

Gênesis (Geise Gomes)  foi uma das três integrantes do Slam das Minas do RJ que se apresentou no HU2
Gênesis (Geise Gomes) foi uma das três integrantes do Slam das Minas do RJ que se apresentou no HU2

Denegrir

Esse é o quinto evento do projeto “Denegrindo Olhares”, que tem como objetivo principal construir uma consciência social e política entre os estudantes do colégio a partir de um olhar que valorize a negritude. “A subversão de um verbo historicamente negativo, ‘denegrir’, ganhou visibilidade positiva mediante a potencialização de seu sentido, em consonância com nossas lutas”, explicou Daiane Barbosa, integrante do Negrxs.

Pietra Poeta faz parte do Slam das Minas de Minas Gerais
Pietra Poeta faz parte do Slam das Minas de Minas Gerais

O projeto conta com o apoio dos professores Cristiano Campos (História) e Vidal Assis (Ciências e Biologia) e do GT de Negros e Negras do Sindicato dos Servidores do Colégio Pedro II (Sindscope), que financiou o a apresentação do Slam das Minas.

Slam das Minas do RJ e o coletivo Negrxs, do HU2
Slam das Minas do RJ e o coletivo Negrxs, do HU2

 

Confira mais fotos na galeria.

Veja mais…

Negrxs traz contadora de histórias africanas e afro-brasileiras para evento no HU2

Logo_Rodapé_Comunicação Social Humaitá II

Coletivo Negrxs Lelia González recebe o grupo de poetas Slam das Minas

Publicado em

O coletivo de Negrxs Lelia González, do Campus Humaitá II, realiza nesta terça-feira,  19 de novembro, mais um evento do projeto pedagógico “Denegrindo Olhares”. Desta vez o coletivo recebe o Slam das Minas RJ, um grupo de poetisas negras do Rio de Janeiro que declama poemas críticos sobre a realidade de mulheres negras, marginalizadas e periféricas dentro de uma sociedade machista, racista e homofóbica.

O grupo fará um pocket show, com momentos de declamações e outros de debates e conversas com os alunos. Será no refeitório do campus, a partir das 15 horas.  Presentes em várias cidades brasileiras, o grupo do Rio foi concebido e  produzido pelas poetisas Letícia Brito, Eliana Mara Chiossi, Karen Ferreira, Lian Tai, Ursula H. Lautert e Yassu Noguchi.

Denegrir

Esse é o quinto evento do projeto “Denegrindo Olhares”, que tem como objetivo principal construir uma consciência social e política entre os estudantes do colégio a partir de um olhar que valorize a negritude. “A subversão de um verbo historicamente negativo, ‘denegrir’, ganhou visibilidade positiva mediante a potencialização de seu sentido, em consonância com nossas lutas”, explicou Daiane Barbosa, integrante do Negrxs.

O projeto conta com o apoio dos professores Cristiano Campos (História) e Vidal Assis (Ciências e Biologia) e do GT de Negros e Negras do Sindicato dos Servidores do Colégio Pedro II (Sindscope), que financiou o a apresentação do Slam das Minas.

Veja mais…

Negrxs traz contadora de histórias africanas e afro-brasileiras para evento no HU2

 

Logo_Rodapé_Comunicação Social Humaitá II

Comunidade escolar participa de aula inaugural no Humaitá II

Publicado em

 

O Campus Humaitá II realizou nesta segunda-feira, 9 de março, uma aula inaugural e o acolhimento dos novos alunos nos turnos da tarde e da noite. Os eventos aconteceram no auditório e contaram com a presença dos estudantes novatos, alunos de outros anos e séries, servidores do campus (professores e técnicos), pais e responsáveis.

A diretora-geral Soraya Sabah abriu a aula inaugural nos dois turnos dando as boas-vindas a todos e ressaltou que aquela era a primeira vez que o campus realizava uma aula inaugural. “Fomos pegos de surpresa quando a Reitoria instituiu que a aula inaugural passaria para os campi, mas agora percebo que foi uma decisão muito acertada. É muito importante reunir a comunidade escolar em um evento como este para darmos início ao ano letivo”, salientou.

Soraya Sabah, à esquerda, apresentou os professores e técnicos do campus aos novos alunos, pais e responsáveis
Soraya Sabah, à esquerda, apresentou os professores e técnicos do campus aos novos alunos, pais e responsáveis

A diretora apresentou os professores e técnicos presentes e os palestrantes do turno da tarde, o professor de Filosofia do campus Alexandre Marques Cabral, e da noite, Afrânio de Oliveira Silva, de Sociologia.

Alexandre, que falou sobre a “Alfabetização dos afetos, observou que os estudantes entram nas escolas e ficam muito focados em aprender os conteúdos das diversas disciplinas e mais tarde acabam se tornando analfabetos em afetos.

Segundo o professor, tanto o afeto como a paixão e a amizade eram conceitos fundamentais nas escolas gregas da antiguidade. “A virtude, que para os gregos significava a excelência, implicava uma maturidade dos afetos. A pessoa virtuosa era aquela que era senhora dos seus afetos”, explicou.

Palestrante da aula inaugural do turno da tarde, Alexandre  disse que as escolas de hoje não trabalham os afetos e visam apenas o desempenho dos alunos
Palestrante da aula inaugural do turno da tarde, Alexandre disse que as escolas de hoje não trabalham os afetos e visam apenas o desempenho dos alunos

As escolas da atualidade, ainda de acordo com Alexandre, não trabalham os afetos e visam apenas o desempenho dos alunos, que em geral se traduz em boas notas. “Mas para o mundo ser melhor, é preciso melhorar antes a qualidade dos nossos afetos. O professor acredita que o espaço escolar deve ser o lugar para o riso, o bom humor, a piada, a brincadeira, mas não pode negligenciar emoções como a angustia, a tristeza, a raiva.

“Que a escola seja o espaço para a alegria e o choro, mas também para abraços e beijos. Que a escola possa educar seus alunos afetivamente”, enfatizou Alexandre.

Escola crítica

Afrânio falou para os alunos do Ensino Médio e do curso pós-médio de Turismo, que abriu sua primeira turma em 2020.  Ele abordou o tema Educação Pública, com destaque para o Colégio Pedro II, instituição que vem formando gerações desde o final do século XVIII.

O professor Afrãnio falou para alunos do Ensino Médio e Pós-Médio. Ele falou do papel transformador da escola
O professor Afrãnio falou para alunos do Ensino Médio e Pós-Médio. Ele falou do papel transformador da escola

O professor ressaltou o trabalho desenvolvido pela instituição e procurou desmistificar informações que circulam, principalmente nas redes sociais, sobre o colégio, entre elas a que sugere que o CPII doutrina os alunos. “As escolas, como acontece com outras instituições, trabalham com um conjunto de ideias, mas isso significa que ela é plural”, explicou. Ainda segundo Afrânio, todas as relações sociais são baseadas em ideologias e mediadas por elas.

O professor observou que o projeto político-pedagógico do CPII pensa a educação como transformadora do indivíduo. “E para isso é preciso conhecer as ideias em sua pluralidade”, ressaltou.  Ainda segundo Afrânio, esse é o motivo principal de disciplinas como Filosofia e Sociologia incomodarem tanto, pois proporcionam aos alunos o conhecimento dessas ideias, além de um olhar crítico sobre elas.

“O Colégio Pedro II já passou por várias fases desde a sua criação, com diferentes projetos pedagógicos. Hoje, a instituição adota a concepção de uma escola crítica. A nossa preocupação é dar aos alunos um sentido que vai além da relação individualista e instrumentalista que muitos estudantes mantêm com suas escolas”, enfatizou Afrânio.

Psicólogo do Soep, Antônio Carlos Villela, se apresenta aos novos alunos
Psicólogo do Soep, Antônio Carlos Villela, se apresenta aos novos alunos

Segundo o professor, a escola não deve ser vista como um lugar onde o aluno vem, aprende e vai embora. “É importante que o estudante deixe algo na escola e possa fazer parte do processo de construção da instituição de ensino onde se formou”, conclui  Afrânio.

A realização da aula inaugural nos campi foi uma determinação da Reitoria, por meio da ordem de Serviço 003 de 24 de janeiro de 2020. Tradicionalmente, a aula inaugural era realizada no primeiro dia do ano letivo, no Teatro Mário Lago, em São Cristóvão.

Antes da acolhida dos alunos do 3º turno, o coletivo de Negres Lélia Gonzales convidou os novos estudantes a fazerem parte do grupo que reúne jovens negros do campus. No ano passado, o coletivo realizou uma série de eventos no colégio.

Luana Araújo e a ex-aluna Joana Souza convidam os alunos negros a particparem do coletivo de Negres Lélia Gonzales
Luana Araújo e a ex-aluna Joana Souza convidam os alunos negros a particparem do coletivo de Negres Lélia Gonzales

Negres traz contadora de histórias africanas e afro-brasileiras para evento no HU2

Slam das Minas do RJ se apresenta no Humaitá II

Acolhimento

Após as aulas inaugurais o chefe do Setor de Orientação e Educação Pedagógica (Soep) Ricardo Miranda conduziu o acolhimento dos novos alunos que, junto com pais e responsáveis, conheceram um pouco do funcionamento da escola.

“Todos estão de parabéns por terem ingressado em uma escola pública como o Colégio Pedro II, que é de difícil acesso. Que vocês possam se desenvolver academicamente aqui, mas também afetivamente, como bem lembrou o professor Alexandre”, ressaltou Ricardo.

Ricardo Miranda, chefe do Sope,  foi o responsável por conduzir o acolhimento dos novos alunos
Ricardo Miranda, chefe do Soep, foi o responsável por conduzir o acolhimento dos novos alunos

Cada aluno recebeu uma cartilha com as informações sobre o campus, com descrição sobre os setores que compõem a escola, servidores que neles atuam, telefones e e-mails para contato. Em seguida, eles participaram de um tour por alguns setores do campus, como Soep, Biblioteca, Refeitório, entre outros.

O acolhimento dos novos alunos do turno da manhã foi realizado nesta terça-feira, 10 de março, também pelo Soep. Os participantes do tour também puderam conferir os trabalhos dos alunos do Humaitá II que participaram no ano passado do Programa de Iniciação Científica Jr da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (Propgpec).

Alunos do turno da noite conhecem a Biblioteca.
A chefe da Biblioteca, Maria da Conceição Novaes, apresenta o setor aos  alunos do turno da noite

Confira mais foto da aula inaugural e do acolhimento no HU2

Em sua sexta edição, a Jornada de Iniciação Científica também passou a ser realizada de forma descentralizada a partir de 2020.

Alunos apresenta, trabalhos da Jornada Científica Jr
Alunos apresenta, trabalhos da Jornada Científica Jr

Confira mais fotos da Jornada Científica na galeria

 

 

Logo 2020 Rodapé Comunicação

Confira os principais eventos de 2019 no Campus Humaitá II

Publicado em

O ano letivo que se encerra foi muito produtivo no Humaitá II, com destaque para a participação dos estudantes em olimpíadas nacionais e internacionais e em eventos dentro e fora do campus, que contaram também com a presença dos professores, técnicos, pais e responsáveis  e convidados de diversas áreas. Confira abaixo com foi 2019 no Humaitá II.

Olimpíadas

O ano começou com a conquista inédita do ouro por uma equipe formada por alunos da 3ª série na etapa nacional da Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras (OIMSF). Na mesma competição, outras seis equipes, uma de cada ano/série, também ficaram com medalhas nas etapas nacional e regional.

Com esse resultado, os alunos da 3ª série foram convidados para a Asia International Mathematical Olympiad  – AIMO 2019. Um grupo de sete estudantes viajou para Taipé (Taiwan), onde aconteceu a competição,  e trouxe de lá mais medalhas: uma de prata, cinco de bronze e uma menção honrosa. Os alunos do Humaitá II se saíram bem ainda em uma prova de lógica, a WMGO, realizada pela primeira vez durante a AIMO. A aluna Helena Cornevicius Azevedo (1ª série) foi ouro nesta competição, que também deu duas pratas e quatro bronzes para o Humaitá II.

Alunos medalhistas da AIMO e WMGO 2019
Alunos medalhistas da AIMO e WMGO 2019 com a professora Priscila Belota, primeira à esquerda

Já na tradicional Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), estudantes do Humaitá II conquistaram nove medalhas, sendo uma de ouro, duas de pratas e seis de bronze. Outros 30 alunos do campus também receberam menção honrosa na competição.

Os estudantes do Humaitá II Helena Cornevicius Azevedo (1ª série), Isabela Millani Peixoto (3ª série ) e Leonardo Carrijo Atochero (6º ano) foram medalhas de prata na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) 2019.

Três equipes de estudantes do  Humaitá II se destacaram ainda na V edição da Olimpíada Geobrasil, conquistando seis medalhas de prata e quatro de bronze.

Na Olimpíada Interna de Química 2019 o aluno Miguel Costa Brito (2ª série) conquistou a prata e a aluna Helena Cornevicius Azevedo (1ª série) ficou com o bronze.

Aluna do HU2 participa de competição internacional da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear

 

Destaques

Medalhistas do JIFs do Humaitá II
Medalhistas do JIFs do Humaitá II

Os alunos do Humaitá II também se destacaram nos esportes em 2019. Nos Jogos Intercampi, alunos do 6° e 7º ano conquistaram medalhas de ouro no futsal, queimado em U e natação e  de prata na natação e xadrez.  Na etapa nacional dos Jogos dos Institutos Federais – JIF 2019, a aluna Carolina Albert  Salles  (1ª série)  ganhou cinco medalhas de ouro na natação, sendo três quebras de recordes; Clara Tavares   (2ª série) ficou em primeiro lugar  no  vôlei feminino e João Pedro Jannuzzi   (2ª série) foi medalhista de bronze no basquete masculino.

Aluna do HU2 é premiada como destaque em natação no 37º Intercolegial

Aluno do HU2 é bronze no intercolegial de judô

 

Integrantes do projeto Meninas Olímpicas do Impa: (esquerda)
Integrantes do projeto Meninas Olímpicas do Impa: Anna Beatriz (esquerda), Lavínia e Ana Luisa

Estudantes do campus se destacaram ainda em outras áreas, como a Matemática. Anna Beatriz Queiroz (1ª série), Anna Luisa (1ª série) e Lavínia Ponso e Vasconcelos (3ª serie) foram selecionadas para participar do projeto Meninas Olímpicas  do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa).

Aluna do 6º ano participa da XIX Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro

Aluno do HU2 vence concurso de ilustração da capa de material didático de Francês

Aluno do HU2 apresenta projeto de mapa digital do RJ em encontro internacional de História

 

Eventos

Alunos doam sangue durante campanha da ONG Hemocione realizada no HU2
Alunos doam sangue durante campanha da ONG Hemocione e do Hemorio realizada no HU2

Em 2019 o Humaitá II foi palco de muitos eventos. Alguns já aconteceram em edições anteriores, como a entrega do diploma aos participantes do Delf Scolaire pelo Departamento de Francês do Colégio Pedro II em parceira com a Aliança Francesa e o Consulado Geral da França no Rio de Janeiro; a campanha de doação de sangue, uma parceria da Equipe de Ciências e Biologia com a ONG Hemocione e o Hemorio; e a mostra “Cinema é Poder!”, Iniciativa do Núcleo de Pesquisa em Ensino de Língua e Literatura (Nupell) do Colégio Pedro II em parceria com  Grupo de Estudos Multimídia (GEM) da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O campus também homenageou pela segunda vez os servidores aposentados, cerimônia organizada pela Direção-Geral e Biblioteca, e profissionais de diversas áreas na segunda edição da Feira de Profissões do Humaitá II, evento do Setor de Orientação Educacional e Pedagógica (Soep).

Psicólogo do HU2 fala sobre escolha e orientação vocacional para alunos do HU2

 

Aposentados do HU2 recebem homenagem na Biblioteca
Aposentados do HU2 recebem homenagem na Biblioteca

O Humaitá II sediou ainda em 2019 a 2ª Olimpíada Intercampi de Filosofia do CPII, com o tema “A felicidade é uma ilha?”. O evento foi uma realização do Departamento de Filosofia.

Alunos do Ensino Fundamental participam de oficinas de “Pastel Oleoso” e “Os Códigos dos Leques”

Selo do Nupell lança livro de cartas de alunos do Humaitá II

 

Pela primeira vez, o Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) do Humaitá II realizou o evento Cultura Surda”, em comemoração ao Dia Nacional do Surdo. O Soep, por sua vez, convidou os pais e responsáveis para participarem de dois eventos:   “Romper o silêncio e preservar vidas: o verdadeiro sentido do setembro amarelo” e  “Adolescência em foco: compreendendo essa fase da vida e qual o papel da família em tal contexto”.

Os tradutores e intérpretes de Libras Adriana Lopes (Ines) e Thiago Carlos da Silva (HU2)
Os tradutores e intérpretes de Libras Adriana Lopes (Ines) e Thiago Carlos da Silva (HU2) durante o evento ‘Cultura Surda’

Turmas do 6º ano do HU2 participam de rodas de conversa sobre saúde mental

 

A Biblioteca promoveu mais uma edição do evento em homenagem ao Dia Nacional do Livro  com o tema “Literatura em foco: como nasce um livro?” e foi parceira em outros eventos ao longo do ano: “Liberdades: mulheres, trabalho e leitura” e “Educação e (re)existência”, planejados pela professora  Nathalia Cardoso (Língua Portuguesa e Literatura);  “Hora do conto – Contos africanos”, promovido pelo Coletivo de Negrxs Lélia Gonzales; “Sistema político brasileiro: diálogos e reflexões”, planejado pelos alunos do turno da noite; e “Simulação do Conselho de Segurança da ONU”, ensaio geral dos alunos que participaram do “Jovem ONU”.

Alunos do Humaitá I visitam o HU2. Na foto, com a técnica do Laboratório de Química Giuseppina Provezano
Alunos do Humaitá I visitam o HU2. Na foto, com a técnica do Laboratório de Química Giuseppina Provezano

A Biblioteca foi palco ainda da atividade “Caça ao tesouro na biblioteca”que contou com a participação dos alunos do 5º ano do Campus Humaitá I. A visita dos futuros alunos ao Humaitá II aconteceu no dia 4 de dezembro e foi organizada pelos Soeps com apoio das Direções-Gerais dos dois campi.

Turno da noite recepciona alunos novos do Humaitá II

 

 Que CPII Queremos?

Iniciado em 2018, o projeto “Que CPII Queremos?” realizou uma série de eventos  em 2019.  O Cinedebate trouxe ao campus realizadores de documentários e de curtas e exibiu filmes que abordam algumas das temáticas trabalhadas pelo projeto.  O documentário “A Pedra”, de Davidson Davis Candanda , foi exibido em duas oportunidades: para professores e servidores e depois para alunos. Nos dois dias de exibição do filme, o Cinedebate contou com a presença de uma das personagens,  a professora Heloise da Costa.

Cinedebate exibe documentário sobre Guerra dos Palmares

Alunos do Hu2 fazem debate sobre ‘O Menino que descobriu o vento’

Alunos do HU2 participam de debate com realizadores de curtas

Vivian, ao centro, com alunos do Humaitá II
Vivian, ao centro, com alunos do Humaitá II

 

O GT de Convidados Externos trouxe para o campus a astrônoma Carioca Vivian Miranda, ex-aluna do Humaitá II que trabalha na construção de um telescópio para a Nasa. Em outubro, o GT convidou especialistas para conversar com a comunidade escolar sobre   educação inclusiva em dois dias de debate.

Pesquisador do Inmetro fala sobre nanotecnologia para alunos do HU2

 

Visitas

Especialistas de diversas áreas passaram pelo campus em 2019, abordando assuntos que foram da astronomia e matemática ao samba enredo, passando pelas temáticas do surgimento das favelas no Rio de Janeiro e da trajetória das jovens negras.

O campus também recebeu pela segunda vez os alunos da escola dinamarquesa Viden Djurs – Brazil Football College e um grupo de poetizas, o Slam da Minas do RJ.

Alunos da escola Dinamarquesa Viden Djurs – Brazil Football College durante oficina de dança no HU2
Alunos da escola Dinamarquesa Viden Djurs – Brazil Football College durante oficina de dança no HU2

Advogada faz palestra sobre luta das mulheres pela redução das desigualdades de direitos

Refugiada faz relato para plateia de alunos e servidores do HU2

 

Sábados letivos

Algumas equipes pedagógicas do campus realizaram eventos nos sábados letivos de 2019. Os professores de Geografia e História promoveram uma Jornada Pedagógica, enquanto os de Francês, Espanhol e Inglês se juntaram para organizar a Primeira Feira de Línguas Estrangerias “Línguas e Culturas”. A equipe de Ciências e Biologia realizou ainda mais um Plantão Verde no Humaitá II.

Professores do HU2 realizam ‘Sábado Letivo da Matemática’

Sábado Letivo de Desenho reúne Ensino Fundamental em programação diversificada

 

 

Apresentação musical durante a Primeira Feira de Línguas e Culturas do HU2
Apresentação musical durante a Primeira Feira de Línguas Estrangeiras do HU2

Fora do campus

Destacamos ainda a partição de alunos e professores em eventos e atividades fora do campus:

Alunos do HU2 visitam mostra no Palácio da Justiça sobre os direitos e conquistas das mulheres

Coral do Humaitá II se apresenta no IV MIAC

Alunos do Humaitá II apresentam trabalhos na XXXII Jornada de Iniciação Científica da Fiocruz

Alunos do 9º ano do HU2 visitam Museu Casa de Rui Barbosa

Alunos do Humaitá II participam de oficina de fanzines na UFRJ

Grupo Jogada ensaiada: textos de futebol e filosofia do HU2 visita Maracanã

Integrantes da Zipet participam do Junior Achievement Day

Turmas do 8º ano do Humaitá II visitam Casa Firjan

Alunos do HU2 participam de debate com atriz e diretor de Antígona

Alunos do Humaitá II participam do projeto ‘Jovem ONU’ da Escola SESC

Alunos da 2ª série integrantes da Zipet participam da “Junior Achievement Day”
Alunos da 2ª série integrantes da Zipet participam da “Junior Achievement Day”

 

 

Logo_Rodapé_Comunicação Social Humaitá II

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress