Roda de conversa em SCII debate o papel das mulheres negras no mundo sustentável

Publicado em

Roda de conversa debate o papel das mulheres negras no mundo sustentável

No dia 06 de novembro, ocorreu a roda de conversa “Qual o papel das mulheres negras num mundo sustentável?” promovida pelo Laboratório de Estudos em Educação e Diversidade (LEDi), no Campus São Cristóvão II.  A atividade, que fez parte da 4ª Jornada Pedagógica do campus, objetivou provocar uma reflexão acerca da inevitável relação entre o desenvolvimento sustentável e equidade de gênero, relacionando este marcador social da diferença com os conceitos de classe e de raça.

Cristiane Cerdera, coordenadora do LEDi, conta que uma das maiores motivações para a realização da roda de conversa foi o  entendimento de que modos de vida verdadeiramente sustentáveis passam pela compreensão da importância do papel das mulheres na busca da resolução de diversos problemas que impactam o meio ambiente, e de que alguns autores apontam que o “debate sobre a sustentabilidade deve ir além da gestão dos recursos naturais, incluindo questões referentes à parte da população que sofre com injustiças socioambientais devido à razões financeiras, raciais, étnicas ou de gênero”. “Pensando no nosso contexto local, buscamos refletir sobre a produção do nosso lixo e quem são as mulheres que manipulam esses resíduos. Essas mulheres, em geral, negras e de classes populares, permanecem sendo invisibilizadas. Embora façam parte da comunidade escolar, não sabemos seus nomes, onde moram, o que fazem em seu tempo livre e quais são seus sonhos”, afirma Cristiane.

Os estudantes do Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente de SCIII, Ana Bárbara Xavier da Silva, Davi Querino de Oliveira e Maryana Belmont Souto, intermediaram a atividade que contou com a participação, como convidada, da funcionária terceirizada da empresa de limpeza de SCII, Albercilia Santos da Cruz, que conversou com os estudantes sobre sua experiência de vida.

Estudantes do Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente de SCIII, Ana Bárbara Xavier da Silva e Maryana Belmont Souto, intermediando a conversa entre a funcionária terceirizada, Albercilia Santos da Cruz e estudantes do Pedrinho.
Estudantes do Ensino Médio Integrado em Meio Ambiente de SCIII, Ana Bárbara Xavier da Silva e Maryana Belmont Souto, intermediando a conversa entre a funcionária terceirizada, Albercilia Santos da Cruz e estudantes do Pedrinho.

O campus São Cristóvão I, carinhosamente conhecido como Pedrinho, também registrou sua participação durante a roda de conversa, com a produção de um banner apresentando as etapas do trabalho realizado com seus alunos.  Houve ainda, o envolvimento das pesquisadoras que fazem parte do projeto de iniciação científica jr., desenvolvido pelo LEDi.

Durante a atividade, a professora de História Suelen Julio, também falou sobre a escritora Carolina Maria de Jesus, que trabalhou como catadora de papéis, e sobre a ativista Wangari Muta Maathai, que, em 1994, foi a primeira mulher africana a ganhar o Prêmio Nobel da Paz, devido a sua contribuição para o desenvolvimento sustentável, a democracia, além de seu trabalho pela conservação ambiental e pelos direitos das mulheres.

Cristiane Cerdera, coordenadora do LEDi (ao centro).
Cristiane Cerdera, coordenadora do LEDi (ao centro).

 

Professora de História Suelen Julio conversando com os estudantes.
Professora de História Suelen Julio conversando com os estudantes.

 

 

 

 

 

 

 

Os estudantes que integram o LEDi passaram um vídeo da entrevista do aluno Davi Querino, do curso integrado de Meio Ambiente de SCIII, com uma trabalhadora de cooperativa de reciclagem de resíduos.

Os estudantes de SCI, acompanhados pelas professoras Priscila Bastos, Luisa Guedes e Renata Gondim, participaram ativamente do debate, que contou ainda, com a presença da doutoranda em psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Manoela Lage, e das alunas do projeto CPII na Terceira Idade.

“Foi maravilhoso poder unir os três campi de São Cristóvão e as alunas do projeto da terceira idade para trocar ideias sobre um assunto tão importante como a contribuição das mulheres negras na construção de modos de vida sustentáveis, e ver os estudantes do Pedrinho interagindo com os estudantes do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio!” (Cristiane Cerdera).

 

Sobre o Laboratório de Estudos em Educação e Diversidade (LEDi)

Organizado em abril de 2015 e cadastrado no Diretório de Núcleos de Pesquisa do CNPq, o laboratório recebe apoio da Direção do CSCII e da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (PROPGPEC) e busca, acima de tudo, trabalhar pelo reconhecimento das diferenças e diversidades presentes em nossa comunidade escolar e na sociedade como um todo. Para enfrentar esse desafio, seus integrantes atuam sob o vetor da desconstrução de estereótipos, estigmas e preconceitos no espaço escolar, fazendo uso de diferentes processos educacionais como meios de configurar coletivos e diálogos e fomentar a inclusão, a participação e o pertencimento como componentes axiais de uma educação pública de qualidade.

Coordenado pela professora Cristiane Cerdera (SCII), em 2018, conta com a participação dos professores de SCII, Bruno Reis e Suelen Julio, da professora de SCIII, Luciana Lins Rocha, das professoras de SCI, Priscila Bastos, Denise Tardan, Renata Gondim, Luisa Guedes e Flávia Assis e de estudantes.

Seus principais objetivos são a implementação de ações formativas com alunos, a organização de eventos acadêmicos abertos ao público e a formação de grupos de estudo com foco na temática da diversidade sexual e de gênero na educação, articulada às questões de raça, etnia, religião e pertencimento.

 

O laboratório possui página no Facebook.

 

Setor de Comunicação Social CSCII

Categorizado em Notícia

Assuntos:

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress