FestMat no Humaitá II mobilizou a comunidade escolar

Exposição e Construção de Sólidos Geométricos

 

O Festival da Matemática do Colégio Pedro II que aconteceu nesta quarta-feira, 31 de outubro, no Campus Humaitá II mobilizou a comunidade escolar. De manhã ao início da noite, a Matemática foi a estrela de uma programação que contou com palestras, oficinas, jogos, roda de conversa e apresentação de trabalhos em tendas e mesas que ocuparam vários espaços do campus.

 

A abertura do festival aconteceu no auditório do campus com um ateliê musical que, como não poderia deixar de ser, teve a Matemática como tema. A professora Milena Tibúrcio, voz e violão, e as estudantes Letícia Pinheiro, Pietra Regis e Sabrina Amaral apresentaram “Aula de Matemática”, de Tom Jobim e Marino Pinto, e “Dezessete e Setecentos”, de Luiz Gonzaga.

 

Em seguida, a professora de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Tatiana Roque fez a palestra de abertura “Um Bom Problema”, em que tratou do conteúdo da Matemática por um viés histórico.

 

Vítor Giraldo (UFRJ); Maria Helena Baccar (Coordenadora Geral do Departamento de Matemática); Marcos José Machado da Costa (Campus São Cristóvão III); Tatiana Roque (UFRJ); Rachel Bergman Fonte (Coordenadora de Matemática do Campus Humaitá II); Luciana Santos da Silva Martino (Campus São Cristóvão III); Caetano da Silva Loureiro Lopes (Licenciando da UFRJ); Maurício Quintanilha (Campus Humaitá II) e Diego Matos (Campus Humaitá II)

 

Ainda no auditório, aconteceu a mesa-redonda “O papel do ensino de Matemática na escola básica: desafios e contradições”, mediado pela estudante do campus Carolina Bandeira da Rosa. Os convidados para o debate foram o professor Victor Augusto Giraldo (UFRJ) e o licenciando de Matemática da instituição e ex-aluno do Humaitá II Matheus Amado. Pelo CPII, participaram Diego Matos (Matemática), Alexandre Marques (Filosofia) e os estudantes Juliana Miranda, Bernardo Banholi, Mariana Martins, Beatriz Pavão e Nicholas Schmidt.

 

FOTO: Professoras Gisele Farias (E.M. Rep. de El Salvador) e Priscila Belota (Campus Humaitá II) – uma das responsáveis pela organização das edições do FestMat

 

Presença cativa nos Festmat, a Trupe Matemágica, formada por 10 alunas do Campus Engenho Novo II, orientadas pela professora de Matemática Liliana da Costa, apresentaram vários truques de mágica envolvendo conceitos da Matemática para uma plateia formada por alunos do campus e do 5º ano do Pedrinho (Humaitá I), acompanhados pela professora Karen Furtado. Os truques agradaram em cheio os estudantes do campus vizinho, que se apresentavam como voluntários para a realização das mágicas.

 

Trupe Matemágica apresenta truques de mágica envolvendo conceitos da Matemática

 

Palestras

Na parte da manhã, foram realizadas duas palestras: “Macht-eMática: a matemática por trás da formação de pares”, com o professor Edgard Pimentel (PUC-Rio); e “Hábitos e Atitudes em Educação Financeira”. Nesta última, o palestrante foi o professor Paulo Jorge Magalhães, do Campus Tijuca II.

 

Professor Paulo Jorge Magalhães (Tijuca II) durante palestra sobre Hábitos e Atitudes em Educação Financeira

 

Dois alunos do Humaitá II foram os palestrantes da tarde. Pedro Lourenço falou sobre “Matemática e Literatura” e Nicholas Schmidt abordou o tema “Conjectura de Golbach – Formação dos Números Primos.”

 

O aluno do Humaitá II Nicholas Schmidt fala sobre a Conjectura de Golbach. Ao seu lado, a professora Rachel Bergman

 

Teve também uma roda de conversa que abordou o tema “Travessias de Língua Portuguesa e Matemática”, comandada pelas alunas Samantha Korb e Jaqueline dos Santos Cruz, com a participação dos professores Diego Matos e Nathália Cardoso (Português).

 

Jogos e oficinas

Os Jogos e as oficinas não poderiam faltar no FestMat. Na quadra de esportes os alunos se divertiram com o jogo “Soltando a imaginação com o Tangran”, projeto da professora de Matemática do campus Priscila Belota, e “Direita-Esquerda”, do professor Josimar José da Silva (Campus Centro).

 

Entre as oficinas, a de “Desenvolvimento do pensamento equacional com material dinâmico”, projeto do professor de Matemática do Humaitá II Maurício Quintanilha e desenvolvido com alunos do 7º ano, tinha como proposta desmistificar o uso das letras nas equações e trabalhar o cálculo mental.

 

Cristina Paranhos e Ciro Nogueira, da Assistência Estudantil e Soraya Sabah, diretora-geral do Campus Humaitá II, na mesa Matemática dos Origami, do ex-professor do CPII José Antonio Novaes

 

Maurício também teve a ideia de confeccionar em sala de aula, mas com alunos da 1ª série, materiais adaptados para auxiliar estudantes que não enxergam ou que possuem baixa visão. A oficina “Ensino de pontos máximo e mínimo de uma função com material adaptado para cegos” serviu para testar esses materiais. “Vamos ver quais funcionaram e repassá-los para o Napne do campus.”

 

As oficinas “Oficina do infinito: estabelecendo relações entre Matemática e Filosofia”, comandada pelos professores Diego Matos Marisa Beatriz Leal (UFRJ); “Fractais em Polígonos Regulares”, coordenada pelo mestrando Diego Lemos (Profmat-CPII); e “Brincando com a Matemática”, com o professor Josimar José da Silva também fizeram parte da programação do Festmat.

 

Trabalhos

Durante todo o dia, alunos e professores do CPII, da UFRJ, Unirio e PUC-Rio, e das escolas públicas E.M. República de El Salvador (Piedade) e Colégio Estadual Machado de Assis (Niterói) apresentaram trabalhos sobre Matemática em tendas e mesas.

 

Os alunos do 8º ano (Humaitá II) da mesa Videntes Matemáticos com a professora Christina Cardoso

 

As mesas ocuparam os espaços térreos do campus, como o pátio e a Sala do Piano. Foram 16 mesas ao todo. Já as tendas, um total de 13, foram instaladas na quadra de esportes.

 

GALERIA: Veja mais fotos do FestMat

 

Premiação

Fechando a programação do Festmat, a equipe de Matemática do Humaitá II e a Direção-Geral do campus entregaram medalhas e menções honrosas aos alunos que participaram da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) em 2017 e da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras de 2018.

 


Os professores Fellipe Gomes (esquerda), Rachel Bergman, Priscilla Guez e Priscila Belota com alunos medalhistas da OBMEP e da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras

 

GALERIA: Veja mais fotos da premiação

 

 

 

Setor de Comunicação do Campus Humaitá II

Assessoria de Comunicação Social

 

Acessos Hoje:17424  Total Acessos:5068480