Expansão do CPII

 

O Colégio Pedro II teve três ciclos de expansão, começando pela década de 50, com a criação de três seções escolares, as duas primeiras ainda no ano de 1952, durante o governo de Getúlio Vargas. A Seção Norte foi instalada no Engenho Novo, no prédio do antigo Colégio Independência, na Rua Barão do Bom Retiro, depois ampliado para atender à crescente demanda de estudantes.


A Seção Sul começou a funcionar onde antes também era uma instituição de ensino, o Colégio Brasil América, na Rua Humaitá, no bairro de mesmo nome. Em 1957, já no governo Juscelino Kubitscheck, foi instalada a terceira seção na Rua Francisco Xavier, na Tijuca, em um prédio que abrigava anteriormente o Colégio Felisberto de Meneses. Em 1979, as seções passaram a ser denominadas unidades escolares, tendo como complemento o nome do bairro onde se localizavam.

 

Finalizado o primeiro ciclo de expansão, o Colégio Pedro II contava, no início da década de 60, com cerca de nove mil alunos, em torno de 900 professores e 500 servidores. Em 1967, o Colégio foi transformado em autarquia do MEC por meio do Decreto-Lei n° 245. Como tal, passou a ter autonomia orçamentária, financeira e patrimonial, além de personalidade jurídica própria.


O segundo ciclo de expansão ocorreu na década de 80, com a criação das unidades voltadas para os anos iniciais do Ensino Fundamental. A criação dos “Pedrinhos”, como ficaram conhecidas essas unidades, foi o início da expansão interna do Colégio Pedro II.  

O primeiro Pedrinho foi inaugurado em 29 de março de 1984, em um prédio anexo à Unidade São Cristóvão. No decorrer da década, outras unidades foram implantadas em prédios anexos em Engenho Novo (1986), Humaitá (1987) e Tijuca (1987).


Em 1999, ocorreu o desmembramento da Unidade São Cristóvão II, que passou a atender apenas os alunos da segunda etapa do Ensino Fundamental. O Ensino Médio foi transferido para o prédio vizinho que abrigou o Internato e, posteriormente, uma faculdade de formação de professores (1975 a 1993). A nova unidade escolar passou a chamar-se São Cristóvão III.

 

 

Anos 2000

 

O mais recente ciclo de expansão do Colégio Pedro II se deu nos primeiros anos deste século, entre os anos de 2004 e 2010, com a criação de unidades escolares em Realengo e nos municípios de Niterói e Duque de Caxias, este último na Baixada Fluminense.


A Unidade Realengo foi a oportunidade do Colégio se fazer presente na Zona Oeste, região carente do Rio de Janeiro em equipamentos públicos. Começou a funcionar de forma provisória em 6 de abril de 2004, inicialmente em uma escola municipal e, no ano seguinte, em um centro comunitário cedido pela paróquia local.


No início de 2006, foi transferida para uma área de cerca de 40 mil m² onde no passado funcionou uma fábrica de cartuchos do Exército. Tombada pelo município e depois cedida pelo Governo Federal ao Colégio Pedro II, a construção passou por reformas para abrigar a nova unidade, inaugurada oficialmente em 2007 pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva. Em 2010, começou a funcionar no mesmo complexo a Unidade de Realengo I.


Em 5 de abril de 2006 foi inaugurada a Unidade Descentralizada de Niterói, a primeira do Colégio Pedro II fora do município do Rio de Janeiro. Depois de funcionar em uma escola cedida pelo município, a unidade foi transferida para um Ciep, onde se encontra até hoje, enquanto aguarda a construção de um novo espaço físico. O novo campus está sendo construído em uma área vizinha, em parte do antigo 19º Batalhão de Logística do Exército, no bairro Barreto. 

 

A Unidade Duque de Caxias começou a funcionar em 12 de setembro de 2007, no Complexo Escolar de Sarapuí. A princípio, oferecia à comunidade apenas o curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subsequente ao Ensino Médio - área de formação Informática.

 

No ano seguinte, a unidade foi transferida para a Avenida Presidente Kennedy, no centro de Duque de Caxias, e começou a ofertar também o Ensino Médio Regular. Em 2012, foi inaugurado o novo campus, no bairro Centenário, oferecendo, até o momento, apenas o Ensino Médio.

Primeira experiência do Colégio Pedro II na etapa inicial da Educação Básica, a Unidade de Educação Infantil Realengo começou a funcionar no início de 2012 no campus Realengo I, onde estudam as crianças do Ensino Fundamental (anos iniciais). No final de 2013, foi inaugurado um espaço próprio, dentro do Complexo de Realengo. Atualmente, estudam na unidade em torno de 170 crianças, inclusive do Grupo I (três anos).

 

 

 

Acessos Hoje:51  Total Acessos:1643676