Propgpec foca em ações de incentivo à pesquisa e à extensão

 

Os esforços para estruturar uma política interna de fomento à pesquisa, extensão e cultura no Colégio do Pedro II guiaram as ações da Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (Propgpec) em 2014. Nesse sentido, o apoio a eventos técnico-científicos e culturais, o mapeamento dos projetos de pesquisa desenvolvidos pelos professores e o incentivo à participação dos alunos por meio da concessão de bolsas foram algumas das ações da Pró-Reitoria para alcançar este objetivo. Segundo a Pró-Reitora Marcia Martins de Oliveira, em 2015, essas medidas serão ampliadas e muitas outras serão implementadas.

 

“No Colégio Pedro II a pesquisa e a extensão ocupam um lugar diferenciado em relação aos institutos federais e às universidades. Trabalhamos para construir uma política de pesquisa e extensão compatível com os interesses da Educação Básica. Todas as ações da Pró-Reitoria são estruturadas para fortalecer as atividades que desenvolvemos em sala de aula, da Educação Infantil ao Ensino Médio”, explica Marcia. Para isso, em 2014, foram eleitos os membros das Câmaras de Pesquisa e Pós-graduação e de Extensão e Cultura, do Conepe, com o objetivo de formular políticas institucionais para estas áreas. Segundo a Pró-Reitora, o trabalho destas câmaras ganhará mais força em 2015 e contribuirá para a consolidação da pesquisa, da extensão e da cultura no Colégio Pedro II.

 

Confira as ações desenvolvidas pela Propgpec em 2014

 

Outra ação iniciada em 2014 foi o mapeamento dos grupos de pesquisa em funcionamento no Colégio. As informações coletadas estarão reunidas num repositório institucional ainda no primeiro semestre de 2015. Os projetos de dedicação exclusiva também foram compilados e darão origem ao Catálogo de Projetos de Dedicação Exclusiva 2015-2017, que será lançado em março. Esta publicação permitirá avaliar a produção intelectual do Colégio Pedro II vinculada ao regime de Dedicação Exclusiva. “A partir destas informações fizemos o planejamento das ações da Pró-Reitoria para 2015 e delineamos o perfil das chamadas internas que serão lançadas”, acrescenta Marcia. Entre as chamadas previstas para 2015, está a de taxa de bancada. “É uma forma de auxílio financeiro ao professor coordenador ou líder de grupo de pesquisa.  Os líderes dos grupos de pesquisa vão receber auxílio financeiro para o desenvolvimento de atividades, aquisição de materiais e livros. Os professores poderão se reorganizar e montar grupos dentro de um mesmo campus ou intercampi, disciplinares ou interdisciplinares. Em seguida serão publicadas outras chamadas como a de iniciação científica júnior e a de iniciação artística”, explica a Pró-Reitora.

 

As chamadas para eventos científicos e artísticos - que apoiaram 36 eventos em 2014 e atendeu a um público total de 6,3 mil pessoas - serão renovadas em 2015. “Esse ano, a verba disponível para o financiamento será maior e temos a expectativa de receber mais propostas e ampliar o público dos eventos”, comenta Marcia. A previsão para lançamento destes editais é para o mês de março e os professores poderão enviar suas propostas em abril. Como forma de esclarecer dúvidas dos docentes em relação ao processo de incentivo, a Propgpec deverá realizar videoconferências para divulgação das chamadas em horários que possam atender a todos os professores.

 

Outra novidade para 2015 será a chamada interna para publicação de livros que deverá contemplar vinte títulos, inicialmente.

 

Assistência ao aluno

Em 2014, o CPII ofereceu 80 bolsas de iniciação científica júnior com verba própria. Para 2015, 630 bolsas serão disponibilizadas. “Vamos oferecer bolsas não apenas para projetos de iniciação científica, mas também para projetos culturais e esportivos. Serão quatro modalidades de bolsas divididas em apoio à iniciação científica júnior, equipes preparatórias para olimpíadas científicas, equipes desportivas e iniciação artística”, detalha Marcia.

 

Extensão

Na área de extensão, um projeto destinado à terceira idade vai oferecer atividades em quatro eixos prioritários: arte e cultura, esporte e lazer, língua estrangeira, tecnologia. A partir destes eixos, os professores poderão propor atividades que comporão o projeto. “Inicialmente o Projeto CPII Aberto à Terceira Idade será desenvolvido no Complexo de São Cristóvão com possiblidade de, posteriormente, ser levado para outros campi”, conta.

 

Outro projeto de extensão a ser lançado em 2015 é o Fórum Permanente de Formação Continuada de Professores que será composto de oficinas, minicursos, cursos e seminários voltados para áreas como tecnologias de informação e comunicação, dificuldades de aprendizagem, neurociência, diversidade e inclusão, dentre outras.

 

Para ambos os projetos serão lançadas chamadas internas para seleção de propostas e os professores proponentes receberão bolsas para a realização destas atividades fora de seu horário de trabalho.  

 

Pós-graduação

Em 2014, os processos de credenciamento de professores para a pós-graduação tiveram maior transparência. “Foi feito todo um esforço de comunicação para que os professores tivessem conhecimento das chamadas internas para credenciamentos junto ao Mestrado em Práticas de Educação Básica. As chamadas não só democratizam o acesso daqueles que têm a formação necessária como também orienta aqueles que desejam atuar na pós-graduação, mas não têm, ainda, a formação necessária. Para estes, as chamadas internas sugerem uma trilha a ser seguida para um dia pleitear essa vaga”, explica Marcia.

 

Resultados com foco no aluno

Formada em Matemática, com especialização em Análise de Sistemas, Mestrado em Educação e Doutorado em Ciência da Informação, Marcia ingressou no CPII em 1996, no primeiro concurso para professor de Ciência da Computação. Ao longo destes dezenove anos atuou como professora, Coordenadora de Série, Chefe de Departamento e Diretora Adjunta. Em 2013 passou a integrar a Propgpec, primeiro como Diretora de Pesquisa e, desde abril de 2014, como Pró-Reitora. Nesse período, Marcia destaca uma mudança de prioridades: “Inicialmente, a Pró-Reitoria estava muito voltada para as ações da pós-graduação e da extensão, com destaque para o Pronatec. Nesse último ano, conseguimos dar mais atenção à pesquisa e à cultura. Passamos a equilibrar o desenvolvimento de ações para todas as áreas que abrangem a Pró-Reitoria”, destaca.

Para Marcia, o grande desafio é conseguir, cada vez mais, envolver professores, alunos e técnicos nas ações da Pró-Reitoria. “Esse deve ser um esforço coletivo de toda a comunidade escolar. Queremos que os resultados obtidos pela Propgpec contribuam para a dinamização do cotidiano escolar e o enriquecimento das práticas educativas e das experiências de aprendizagem”, defende.

 

 

Prodi elabora novo Plano de Desenvolvimento Institucional do CPII

Progesp investe em capacitação e qualidade de vida dos servidores

 

 

Coordenadoria de Comunicação Social

 

Acessos Hoje:2907  Total Acessos:17165703