IV Jornada de Iniciação Científica marca o início do ano letivo de 2018

IMG 5010

 

No dia 10 de abril, data que marcou o início do ano letivo de 2018, aconteceu a IV Jornada de Iniciação Científica do Colégio Pedro II, no pátio ao lado do Teatro Mário Lago. Durante o evento, estudantes apresentaram os resultados de mais de 80 projetos de pesquisa realizados ao longo do ano de 2017. 

 

De acordo com o diretor de Pesquisa, Jorge Fernando, aproximadamente 480 alunos foram atendidos pela diretoria, com aproximadamente 140 projetos realizados, tanto na área de iniciação científica quanto na de olimpíada científica, durante o ano de 2017. “Foram apresentados mais de 100 projetos, promovidos por 82 grupos de pesquisa”, complementou Jorge.

 

Um dos projetos apresentados foi o “Curadoria da Coleção Zoológica do Laboratório de Biologia do Colégio Pedro II”. A pesquisa foi desenvolvida pelos alunos do Campus Centro Caroline Flores, Guilherme Spelta, Júlia Baganha, Maria Helena Ribeiro, Ana Carolina Figueira e Pedro Paulo de Rezende. De acordo com Caroline, o projeto objetiva a manutenção dos espécimes guardados no laboratório de Biologia. “Organizamos todos os espécimes e trocamos o álcool e potes de armazenamento. Fizemos vários eventos fora do colégio para mostrar o nosso projeto“, contou a aluna.

IMG 4970 Foto: Caroline Flores explicou sobre seu projeto “Curadoria da Coleção Zoológica do Laboratório de Biologia do Colégio Pedro II, Campus Centro”

 

Outro projeto exposto foi o “Pressupostos Teóricos, Políticos e Axiológicos do Projeto de Lei Escola sem Partido”. Feito pelos alunos Adrielle Moraes, Bruno Venâncio, Gabryel Clinário e Lorenna Maciel, do Campus Realengo II, o objetivo do estudo é analisar as propostas e motivações dos defensores do projeto Escola sem Partido, comparando tais propostas com o que consta na constituição. Bruno Venâncio contou um pouco sobre a pesquisa: “O projeto Escola sem Partido diz que segue a constituição, mas algumas pontos defendidos pelo projeto são completamente contraditórias. Por exemplo, o professor tem direito à liberdade de expressão e de ensinar o aluno. Eles defendem que o professor deve apenas ser um transmissor de conhecimento e que não deve dar sua opinião. Mas isso pode estar tirando o direito do aluno de aprender algum conteúdo”, exemplificou.

 

IMG 4993 Foto: Bruno Venâncio contou sobre seu projeto “Pressupostos Teóricos, Políticos e Axiológicos do Projeto de Lei Escola sem Partido”

 

Similar ao tema da Aula Inaugural, alunos do Campus Tijuca II trabalharam a questão da avaliação escolar com o trabalho “O CP2 tem que mudar?”. O projeto contou com a participação dos estudantes Isabella Nobre, Julia Vieira, Vitória Kamel, Débora Celino, Gabriela Reolon, Nathalia Passeri, Mayara Silva, Laura Sores, Natália Martins, Joana Nahamias, Lucas Torres e Thiago Vollger. Gabriela Reolon contou um pouco sobre o trabalho: “Os alunos passam o ano todo se preparando para a semana de provas. As pessoas começam a não se interessar pela matéria e sim por passar direto. E isso reflete muito em como a avaliação é separada: 7 pontos na prova e 3 no trabalho. Isso faz com que as pessoas que não se encaixam nesse tipo de avaliação de prova individual e escrita, sempre estejam lutando contra um sistema que não as ouve”.

 

IMG 4997 Foto: Gabriela Reolon, aluna do Campus Tijuca II, participante do projeto "O CP2 tem que mudar?"

 

Confira a galeria de fotos da IV Jornada de Iniciação Científica.

 

 

 

Assessoria de Comunicação Social

 

Acessos Hoje:155  Total Acessos:3854790