Geografia na infância para alunos com deficiência visual: a utilização de uma maquete multissensorial para a aprendizagem do conceito de paisagem

Luciana Maria Santos de Arruda

Resumo


O Ensino de Geografia para alunos com Deficiência Visual, precisa ser recontextualizado para que esse educando possa construir seu conhecimento através de experiências multissensoriais, nas quais os outros sentidos sejam utilizados. Repensar o Ensino de Geografia para alunos com Deficiência Visual no que tange ao conceito de paisagem, a partir de uma vivência sensorial, torna-se possível por meio da construção do conceito através de uma dimensão de texturas, aromas, sons e sabores, sendo necessário explorar o tato, o olfato, a audição e o paladar. Esse artigo tem como objetivo apresentar materiais didáticos multissensoriais utilizando as experiências vividas pelos alunos na paisagem que compõem o Instituto Benjamin Constant (IBC). Por meio de atividades sensoriais, foram construídos materiais didáticos que pudessem auxiliar os alunos na compreensão do conceito de paisagem, possibilitando a utilização dos sentidos. Para tanto, o próprio IBC foi um dos pontos de partida para as observações realizadas. Como resultado, obteve-se quatro materiais sensoriais. Porém nesse artigo foi utilizada a maquete multissensorial para trabalhar o conceito de paisagem com os alunos cegos do 1º ano, buscando experenciar com esses alunos situações que favorecessem neles a construção desse conceito. O referencial teórico da pesquisa foi pautado em Tuan (2012) e Soler (1999), considerando a paisagem multissensorial e em Lopes & Vasconcellos (2005) com relação à Geografia e infância.

Palavras-chave


Deficiência Visual; Geografia; Infância; Paisagem Multissensorial.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Diones Carlos de Souza; ARRUDA, Luciana Maria Santos de; MIOTTO, Ana Cristina Felipe. Prática de Ensino em Geografia no contexto do curso de qualificação de professores na área da deficiência visual. Revista Benjamin Constant, Rio de Janeiro, n.48, p.31-40, 2011.

ARRUDA, L. M. S. O ensino de Geografia para alunos com deficiência visual: novas metodologias para abordar o conceito de paisagem. 175 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.

BALLESTERO-ALVAREZ, J. A. Multissensorialidade no ensino de desenho para cego. 2002. 121 f. Dissertação (Mestrado em Artes)-Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2002.

GASPAR, Jorge. O retorno da paisagem à geografia. Finistera, v. 36, n. 72, p. 83-99, jul./dez. 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2015.

LOPES, Jader Janer Moreira & VASCONCELLOS, Tânia. Geografia da Infância: reflexões de uma área de pesquisa. Juiz de Fora: FEME, 2005.

MALYS, Sandra T. Estudo do meio. In: PASSINI, Elza Yasuko; PASSINI, Romão; MALYS, Sandra T. (Org.). Prática de ensino de geografia e estágio supervisionado. São Paulo: Contexto, 2007.

PORTO, Eline. A corporeidade do cego: novos olhares. São Paulo / Piracicaba: Memnon / Unimep, 2005. 127p.

SACKS, Oliver. O olhar da mente. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SCHAFER, R. Murray. A afinação do mundo: uma exploração pioneira pela história passada e pelo atual estado do mais negligenciado aspecto do nosso ambiente: a paisagem sonora. 2. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011. 382p.

SENA, Carla Cristina Reinaldo Gimenes de. Cartografia tátil no ensino de Geografia: uma proposta metodológica de desenvolvimento e associação de recursos didáticos adaptados a pessoas com deficiência visual. Tese (Doutorado em Geografia)–Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

SOLER, M. A. Didáctica multissensorial de las ciencias: um nuevo método para alumnos ciegos, deficientes visuales, y también sin problemas de visión. Barcelona: Ediciones Paidós Ibérica, 1999.

TUAN, Yi Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina: Eduel, 2012.

_______. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: Eduel, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: