Cartografia tátil como subsídio ao processo de ensino e aprendizagem em geografia para pessoas com deficiência visual

Robson Lopes de Freitas Junior

Resumo


Ensinar Geografia com o auxílio da cartografia e de ferramentas digitais tem se tornado uma prática importante no processo de ensino-aprendizagem nos tempos atuais. A partir do mapa, os alunos, videntes ou deficientes visuais, podem compreender o conteúdo de forma mais dinâmica e, ao mesmo tempo, realizar comparações entre o espaço vivido e o seu cotidiano com o conteúdo abordado. Nesse aspecto, propõe-se o uso de Sistemas de Informação Geográfica para realização de mapas táteis de maneira que possam suprir a carência de materiais que atendam a necessidade escolar de alunos cegos ou com baixa visão. Dessa forma, realizou-se a testagem destes procedimentos metodológicos e dos materiais com as devidas correções necessárias para que o ensino de Geografia de pessoas com deficiência visual possa ser mais eficiente e que atenda as necessidades e demandas dos alunos não só do Instituto Benjamin Constant (instituição especializada no ensino de pessoas cegas e com baixa visão), mas também de outras instituições de ensino. Por fim, a partir da metodologia adotada e dos resultados atingidos, foi percebido um melhor aprendizado por parte do corpo discente através de questionários, avaliações e exercícios práticos realizados.  


Palavras-chave


Ensino; Geografia; Deficiência Visual; Mapas Táteis.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Rosângela Doin de. Do desenho ao mapa: iniciação cartográfica na escola. São Paulo: Contexto, 2001. 116p.

______. Cartografia Escolar. São Paulo: Contexto, 2007. 224 p.

ALMEIDA, Luciana Christina de; LOCH, Ruth Emilia Nogueira. Uma cartografia muito especial a serviço da inclusão social. 26- 35 In: CONGRESSO DE CADASTRO TÉCNICO MULTIFINALITÁRIO E GESTÃO TERRITORIAL. 7.; ENCONTRO DE CADASTRO TÉCNICO MULFINALITÁRIO DO MERCOSUL. 5.; e ENCONTRO DE CADASTRO DA AMÉRICA LATINA. 2., Florianópolis, 2006. Anais... Florianópolis: UFSC, 2006. p. 41-51. Disponível em:

DI MAIO, Angélica Carvalho. Geotecnologias digitais no Ensino Médio: avaliação prática de seu potencial. 189 f. Tese (Doutorado em Geografia)-Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2004.

KENSKI, Vani Moreira. A profissão do professor em um mundo em rede: exigências de hoje, tendências e construção do amanhã: professores, o futuro é hoje. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 26, n. 143, p. 65-69, 1998.

LOCH, Ruth Emilia Nogueira. Cartografia tátil: mapas para deficientes visuais. Portal da Cartografia, Londrina, v. 1, n. 1, p. 35-58, maio-ago. 2008. Disponível em: . Acesso em: 13 dez 2016.

SANTOS, Milton. Espaço e sociedade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1978. 156p.

SENA, Carla Cristina. R. Gimenez; CARMO, Waldirene Ribeiro. Uso de Maquetes no Ensino de Conceitos de Geografia Física para Deficientes Visuais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA. 11., São Paulo, 2005. Anais... São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

TAYLOR, Fraser. A conceptual basis for cartography / new directions for the information era. Cartographica, Buenos Aires, v. 28, n. 4, p. 1-8, 1991.

VASCONCELLOS, Regina. Cartografia tátil e o deficiente visual: uma avaliação das etapas de produção e uso do mapa. 269 f. Tese (Doutorado em Geografia)-Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, l993.

VENTORINI, Silvia Elena Almeida. Experiência como fator determinante na representação espacial do deficiente visual. 142 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2007.

______. Representação gráfica e linguagem cartográfica tátil: estudo de casos. 2012. Tese (Doutorado em Geografia)-Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2012.

ZUCHERATO, Bruno; JULIASZ, Paula Christiane Strina; FREITAS, Maria Isabel Castreghini de. Cartofrafia tátil: mapas e gráficos táteis em aulas inclusivas. Revista Ciência em Extensão, Rio Claro, 2011. Disponível em: . Acesso em: 13 dez 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: