Delgado de Carvalho e o movimento de renovação da geografia escolar brasileira: alguns contrapontos

Bruno Falararo de Mello, Diego Carlos Pereira, João Pedro Pezzato

Resumo


Trata-se, neste artigo, de sublinhar alguns contrapontos acerca do papel que o professor Carlos Miguel Delgado de Carvalho desempenhou no ensino de Geografia no Brasil nas primeiras décadas do século XX. Neste texto, partimos de análises realizadas no âmbito de duas pesquisas doutorais que perpassaram a temática e analisaram livros didáticos imbricados na história da Geografia escolar. Apesar de não ser geógrafo de formação, o professor Delgado de Carvalho foi catedrático no Colégio Pedro II e peça fundamental no movimento de renovação da Geografia escolar brasileira, trazendo para o debate algumas das ideias da Escola Nova e da Geografia científica europeia, além de enfatizar o papel de um ensino de Geografia que tivesse maior relevância do que o ensino praticado até então, baseado na estéril memorização de dados, datas e fatos histórico-geográficos. Evidenciam-se, também, elementos que permitem apontar alguns contrapontos quanto ao alcance das propostas de renovação do ensino de Geografia no Brasil atribuídas a Delgado de Carvalho, sendo este um processo imbricado nas descontinuidades curriculares. As pesquisas realizadas encaminham a reflexão do reconhecimento da importância e centralidade de atuação de Delgado de Carvalho na constituição da Geografia escolar. No entanto, o alcance de suas obras e suas renovações se mostra limitado pelos indícios contrapostos nas investigações mais recentes da área.


Palavras-chave


Delgado de Carvalho; Colégio Pedro II; Ensino de Geografia; Métodos de Ensino; Livros Didáticos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Maria Adailza Martins de. Dois Momentos na História Da Geografia Escolar: a Geografia Clássica e as contribuições de Delgado de Carvalho. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, v. 1, n. 2, p. 19-51, jul./dez. 2011.

BERNARDES, Nilo. O pensamento geográfico tradicional. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 44, n. 3, jul./set. 1982.

CARVALHO, Carlos Miguel Delgado de. Geographia do Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1913.

¬¬¬¬¬______. Geographia do Brasil. 5ª ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1930.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas – O imaginário da república no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

FERRAZ, Cláudio Oliveira Benito. Delgado de Carvalho e a Geografia no Brasil: pioneirismo e contribuições. In: IBGE. Geografia e geopolítica: a contribuição de Delgado de Carvalho e Therezinha de Castro. Rio de Janeiro: IBGE, 2009. Coleção Memória Institucional 16.

MELLO, Bruno Falararo de. Uma leitura da climatologia escolar em livros didáticos de Geografia (1967-2013). 274 f. Tese (Doutorado em Geografia)-Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, SP, 2020.

PEREIRA, Diego Carlos. Movimento Escola Nova e Geografia Moderna Escolar em manuais para o ensino secundário brasileiro (1905-1941). 227 f. Tese (Doutorado em Geografia)-Universidade Estadual “Júlio de Mesquita Filho”, Rio Claro, SP, 2019.

PEREIRA, Sérgio Nunes. Delgado de Carvalho e o ensino de Geografia Política (p. 106). In: IBGE. Geografia e geopolítica: a contribuição de Delgado de Carvalho e Therezinha de Castro. Rio de Janeiro: IBGE, 2009. Coleção Memória Institucional 16.

PONTUSCHKA, Nídia Nacib PAGANELLI, Tomoko Iyda; CACETE, Núria Hanglei.

Para ensinar e aprender Geografia. São Paulo: Cortez, 2007.

RIBEIRO, Márcio Willyans. Origens da disciplina de Geografia na Europa e seu desenvolvimento no Brasil. Revista Diálogo Educação, Curitiba, v. 11, n. 34, p. 817-834, set./dez. 2011.

ROCHA, Genylton Odilon Rêgo da. Por uma Geografia moderna em sala de aula: Ruy Barbosa e Delgado de Carvalho e a renovação do ensino de Geografia do Brasil. Mercator – Revista de Geografia da UFC, Fortaleza, v. 8, n. 15, p. 75-94, 2009.

_____. O Colégio Pedro II e a institucionalização da Geografia escolar no Brasil Império. Giramundo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 15-34, jan./jun. 2014.

SANTOS, Fátima Aparecida dos. A escola nova e as prescrições destinadas ao ensino da disciplina de Geografia na escola primária em São Paulo no início do século XX. 181 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2005.

SILVA, Daniele H.; MACHADO, Maria Cristina G. O Método de Ensino Intuitivo e a política educacional de Benjamin Constant. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, p. 198-211, 2014.

SOARES, J. C.; COSTA, P. C.; NASCIMENTO, T. R. Carlos Delgado de Carvalho: um professor secundário em defesa da especialização (1920-1950). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO. 9., 2017, João Pessoa. Anais... João Pessoa: UFPB, 2017. p. 4538-4555.

SPOSITO, Eliseu Savério. Geografia e filosofia: contribuições para o ensino do pensamento geográfico. São Paulo: EdUnesp, 2004.

VALDEMARIN, Vera Teresa. Lições de coisas: concepção científica e projeto modernizador para a sociedade. Cad. CEDES [online], v. 20, n. 52, p. 74-87, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/grgcp2.v5i9.2687

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: