Jogos didáticos como estratégia para construção do conhecimento: uma experiência com o 6° ano do Ensino Fundamental

Stella Mendes Ferreira, Carla Nascimento, Ana Paula Pitta

Resumo


A busca por práticas que visam desenvolver uma relação positiva dos alunos com o conhecimento levou o Núcleo de Pesquisa em Práticas de Ensino de Geografia (NUPPEG) do Colégio Pedro II a desenvolver, nos últimos anos, propostas de concepção de jogos com finalidades didáticas, produção de conteúdos e organização de informações,resultando em jogos de confronto de dados e de tabuleiros. Pensando em minimizar os impactos que os alunos do sexto ano sofrem ao entrarem para o Ensino Fundamental II, propusemos o desenvolvimento de um jogo interdisciplinar envolvendo conteúdos de Geografia, História e Informática Educativa. Este artigo tem como objetivo apresentar esta atividade e divulgar os resultados deste trabalho. Nosso jogo foi inspirado no jogo Sandiego Inc., no qual o jogador atua como um investigador que recebe uma missão e precisa viajar pelo mundo seguindo pistaspara encontrar o criminoso. A elaboração do jogo, como a confecção das pistas feitas a partir de um vasto processo de pesquisa e escrita, permitiu a apropriação e construção do conhecimento de Geografia e História requerida para parte do ano letivo de 2019. Portanto,  podemos afirmar que o desenvolvimento do jogo se mostrou uma ferramenta muito eficaz de adequação as linguagens da atual geração de alunos, conferindo-lhes a oportunidade de aperfeiçoar sua capacidade cognitiva e transformando o ambiente escolar em um espaço mais acolhedor. Concluímos ainda que, ao elaborarmos um jogo didático como estratégia para o ensino, estamos produzindo conhecimento e não simplesmente criando estratégias para transmitir algo que foi concebido externamente.

Palavras-chave


Jogos Didáticos; Interdisciplinaridade; Conhecimento Escolar; Processos de Ensino-aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Referências


AUSUBEL, David Paul. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

BRASIL. Portaria Lei N° 17 de 11 de maio de 2016. Estabelece as diretrizes gerais para regulamentação da atividade docente no âmbito da Rede Federal, Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2016. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2019.

BREDA. Thiara Vichiato. O uso de jogos no processo de ensino aprendizagem na geografia escolar. 142 f. Dissertação (Mestrado em Ensino e História das Ciências da Terra)-Instituto de Geociências, UNICAMP, Campinas, 2013.

CASTRO, Bruna Jamila de e COSTA, Priscila Caroza. Contribuições de um jogo didático para o processo de ensino e aprendizagem de Química no Ensino Fundamental segundo o contexto da Aprendizagem Significativa. REIEC, v. 6, n. 2, p. 1-13, dezembro 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2019.

FERREIRA, Stella Mendes & VILELA, Carolina Lima. Conhecer para conquistar: o desenvolvimento de um jogo como estratégia didática para o ensino de geografia do 9º ano EF. In: ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICA DE ENSINO DE GEOGRAFIA. 14., 2019, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP, 2019. Disponível em Acesso em: 17 dez. 2019.

HENZ, Celso Ilgo; SANTOS, Cláudia Aparecida dos; SIGNOR, Patrícia. Experiência e movimento: pensando a educação em Dewey. Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 25, n.1, p. 140-152, jan./abr. 2018.

MORAES, Jerusa Vilhena de & CASTELLAR, Sonia Maria Vanzella. Metodologias ativas para o ensino de geografia: um estudo centra do em jogos. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 17, n. 2, p. 422-436, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2019.

PAULA, Andreia Piza de; PRACI, Fabiane Caetano; SANTOS, Geslaine Galdino; PEREIRA, Soeli de Jesus; STIVAL, Maria Cristina Elias Esper. Transição do 5º Para o 6º Ano no Ensino Fundamental: processo educacional de reflexão e debate. Revista Ensaios Pedagógicos, v. 8, n.1, p 33-52, jul. 2018.

SILVA, Izanira Gaspar da. A transição dos alunos do quinto para o sexto ano do Ensino Fundamental: possibilidades e contribuições durante a transição por meio de um processo de ensino e aprendizagem significativa. 25 f. Trabalho Final (Programa de Desenvolvimento Educacional)-Secretaria de Estado de Educação do Paraná, Guarapuava, 2015. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2019.

STEFENON, Daniel Luiz. Entre paisagens e distâncias: o jogo Geoguessr e seu potencial para a construção do pensamento conceitual nas aulas de geografia. Giramundo, Rio de Janeiro, v. 3, n. 6, p. 31-40, jul./dez. 2016. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2019.

VERRI, Juliana Bartolo; ENDLICH, Ângela Maria. A Utilização de Jogos Aplicados no Ensino de Geografia. Revista Percurso-NEMO, Maringá, v.1, n.1, p. 65-83, 2009. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2019.

VILELA, Carolina Lima; FERREIRA, Stella Mendes. Construção do conhecimento e jogos didáticos: uma experiência com o sétimo ano do ensino fundamental. ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICA DE ENSINO DE GEOGRAFIA. 13., 2017, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2017. p. 1468-1480. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2019.

YOUNG, Michel. O Futuro da Educação em uma sociedade do conhecimento: o argumento radical em defesa de um currículo centrado em disciplinas. Revista Brasileira de Educação, v. 16, n. 48, p. 609-623, set./dez. 2011. Disponível em: . Acesso em: 02 abr. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: