Trajetórias do currículo de geografia que se ensina a jovens e adultos trabalhadores

Enio Serra dos Santos

Resumo


O trabalho tem como objetivo proceder a uma breve análise das concepções de geografia escolar presentes no ensino fundamental para jovens e adultos trabalhadores. Para tanto, traz como referência diferentes abordagens curriculares que vêm marcando a trajetória histórica da Educação de Jovens e Adultos (EJA): o currículo supletivo, o currículo crítico e o currículo por competências. Ao elucidar as características dessas abordagens, a educação geográfica é analisada em materiais didáticos e propostas curriculares de EJA, revelando então as políticas de currículo que têm marcado o ensino/aprendizagem de geografia nessa modalidade, uma vez que tais materiais e propostas veiculam discursos vigentes no país e criam verdades ao oficializar saberes e legitimar posturas. Para efeito da análise, é utilizado o conceito de recontextualização, desenvolvido por Basil Bernstein, como categoria que dá suporte às reflexões acerca da produção do conhecimento geográfico escolar. Embora todas as propostas e materiais examinados tenham sido elaborados para alunos jovens e adultos, nota-se profunda diferença entre eles no que tange às tendências teórico-metodológicas adotadas. Essas diferentes interpretações sobre a geografia a ser ensinada redundam em uma pluralidade de concepções e práticas, muitas vezes antagônicas entre si, que têm marcado a trajetória da geografia escolar na EJA.


Palavras-chave


Geografia Escolar; Educação de Jovens e Adultos; Propostas Curriculares; Materiais Didáticos.

Texto completo:

PDF

Referências


BELTRAME, Zoraide Victorello. Geografia: os continentes. Curso supletivo, vol. 2. 2ª ed. São Paulo: Ática, 1989.

BERNSTEIN, Basil. A estruturação do discurso pedagógico: classe, códigos e controle. Petrópolis: Vozes, 1996.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CEB 11/2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. In: SOARES, Leôncio. Educação de Jovens e Adultos. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

_______. Ministério da Educação. Exame Nacional de Certificação das Competências de Jovens e Adultos. Livro Introdutório: Documento básico: ensino fundamental e médio. Brasília: MEC: INEP, 2002a.

BRASIL. Ministério da Educação. Exame Nacional de Certificação das Competências de Jovens e Adultos. História e geografia, ciências humanas e suas tecnologias: livro do professor: ensino fundamental e médio. Brasília: MEC/INEP, 2002b.

_______. Ministério da Educação. Exame Nacional de Certificação das Competências de Jovens e Adultos. História e geografia: livro do estudante: ensino fundamental. Brasília: MEC: INEP, 2002c.

DINIZ, Souza. História – Geografia (supletivo). São Paulo: Editora Washington, s/d.

MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico?: por uma epistemologia crítica. São Paulo: Contexto, 2006.

PORTO ALEGRE. Secretaria Municipal de Educação. Em busca da unidade perdida: totalidades de conhecimento: um currículo em educação popular. Cadernos Pedagógicos, nº 8, Porto Alegre, Secretaria Municipal de Educação, 1997.

_______. A práxis na construção do currículo do SEJA. In: SILVA, Luiz Heron da (Org.). Escola cidadã: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 1999.

RUMMERT, Sonia M. A educação de jovens e adultos trabalhadores brasileiros no século XXI. O “novo” que reitera antiga destituição de direitos. In: _____. Gramsci, trabalho e educação: jovens pouco escolarizados no Brasil actual. Lisboa: Universidade de Lisboa, 2007. (Cadernos Sísifo: 4).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: