O Colégio Pedro II e a institucionalização da geografia escolar no Brasil Império

Genylton Odilon Rêgo da Rocha

Resumo


Neste texto buscar-se-á discutir a institucionalização da geografia no currículo das escolas brasileira, tomando por base os currículos que foram prescritos para o Imperial Colégio de Pedro II, instituição criada em 1837, na cidade do Rio de Janeiro. Friso que optei por discorrer sobre a história da geografia escolar, em um período que o currículo prescrito para o Imperial Colégio de Pedro II deveria padronizar nacionalmente (pelo menos era esta a intenção), a seleção cultural considerada, segundo os legisladores brasileiros, digna de ser assimilada pelas novas gerações. Portanto, o período por nós estudado se estende de 1837 - data de criação do colégio - até a década de 80 do século XIX, quando se proclama a República no Brasil. Para que pudéssemos identificar e analisar o currículo prescrito para a disciplina geografia - e aqui fazemos uma ressalva de que nossa análise será restrita ao currículo prescrito ou explícito, o que torna a análise do currículo que foi efetivado nas salas de aula a principal lacuna que deixaremos nesta pesquisa -, realizamos o levantamento e seleção de bibliografias que se reportam ao período estudado, e, sobretudo, de textos escritos de caráter oficial e técnico - as leis que normatizaram o ensino naquele colégio e os conteúdos programáticos fixados pelo legislativo brasileiro ou pela congregação do referido estabelecimento de ensino. Este material foi objeto de uma descrição analítica, ou seja, sobre o mesmo realizamos um estudo mais aprofundado à luz do referencial teórico que tem norteado meus estudos. O que se segue são partes significativas de meus achados.


Palavras-chave


Currículo; Historia das disciplinas escolares; Geografia escolar; Colégio Pedro II; Século XIX.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. R. P. História da instrução pública no Brasil (1500-1889) - história e legislação. São Paulo: EDUC/INEP, 1989.

BARBOSA, R. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da educação pública. In: Obras Completas de Rui Barbosa. Vol. X, Tomo II. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1946.

BROC, Numa. L’établissement de la géographie en France: diffusion, institutions, projets (1870-1890). Annales de géographie, Paris, n. 459, p. 545-568, 1974.

CAPEL, Horácio. Filosofia y ciencia en la geografía contemporánea. 3ª ed. Barcelona: Barcanova, 1988.

CHIZZOTTI, Antonio. As origens da instrução pública no Brasil. Dissertação (Mestrado em Educação)-Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 1975.

GONÇALVES, V. T. V. O liberalismo demiurgo - estudo sobre a reforma educacional projetada nos pareceres de Rui Barbosa. Tese (Doutorado em Educação)-Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 1994

HAIDAR, Maria de Lourdes M. O ensino secundário no império brasileiro. São Paulo: EDUSP / Grijalbo, 1972.

ISSLER, Bernardo. A geografia e os estudos sociais. 253f. Tese (Doutorado em Geografia)-Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 1973.

PALÁCIOS, S. L. Q. Geografia y educación publica en los orígenes del territorio y la nación (Argentina, 1863-1890). Tesis (Licenciatura en Geografía)-Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires, 1992.

ROCHA, Genylton O. R. A trajetória da disciplina geografia no currículo escolar brasileiro (1838-1942). 297 f. Dissertação (Mestrado em Educação), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1996.

SANTOS, Lucíola L.C.P. História das disciplinas escolares: perspectivas de análise. Rev. Teoria e Educação (Porto Alegre), n. 2, l990.

______. História das disciplinas escolares: outras perspectivas de análise. ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 6., 1994, Goiânia. Anais... Goiânia: Cegraf-UFG,1994, p.158-165.

SEGISMUNDO, Fernando. Excelências do Colégio Pedro II. Rio de Janeiro: Colégio Pedro II, 1993.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

Documentos Consultados

BRASIL. Decreto de 2 de dezembro de 1837. Convertendo o Seminário de São Joaquim em colégio de instrução secundária, com a denominação de Colégio de Pedro II, e outras disposições.

______. Regulamento nº 8 de 31 de janeiro de 1838. Contém os Estatutos para o Colégio de Pedro II.

______. Regulamento nº 62 de 1º de fevereiro de 1841. Altera algumas das disposições do Regulamento nº 8 de 31 de janeiro de 1838, que contém os Estatutos do Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 1.331-A de 17 de fevereiro de 1854. Aprova regulamento para reforma do ensino primário e secundário no Município da Côrte.

______. Decreto nº 1.556 de 17 de fevereiro de 1855. Aprova o regulamento do Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 2.006 de 24 de outubro de 1857. Aprova o regulamento para os colégios públicos de instrução secundária do Município da Côrte.

______. Decreto nº 2.883 de 1º de fevereiro de 1862. Altera os regulamentos relativos ao curso de estudos do Imperial Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 4.468 de 1º de fevereiro de 1870. Altera os regulamentos relativos ao Imperial Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 6.130 de 1 de março de 1876. Altera os regulamentos do Imperial Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 8.051 de 25 de março de 1881. Altera os regulamentos do Imperial Colégio de Pedro II.

______. Decreto nº 981 de 8 de novembro de 1890. Aprova o regulamento da instrução primária e secundária do Distrito Federal.

______. Decreto nº 1.075 de 22 de novembro de 1890. Aprova o regulamento para o Ginásio Nacional.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: