Mangás, jovens e escola: desafios e possibilidades para o ensino de geografia

Vagner Limiro Coelho, Iara Vieira Guimarães

Resumo


O presente texto é fruto dos resultados de pesquisa acerca das potencialidades dos mangás em contribuição ao processo de ensino de geografia. Nosso objetivo é argumentar sobre a intrínseca relação entre os jovens estudantes e esse artefato midiático global num contexto escolar específico, verificando possibilidades desse artefato para esse processo de ensino em nível fundamental. Nos baseamos em revisão bibliográfica sobre a temática abordada, aplicamos questionários semifechados e realizamos grupos focais como principais abordagens metodológicas para a pesquisa. Entendemos que os mangás alcançam o público jovem de estudantes colaboradores da pesquisa, e são passíveis de interpretação e relações geográficas. Entretanto verificamos que para um efetivo uso desse artefato, seja necessário valorizar os conteúdos básicos de geografia e o ensino formal, essenciais em meio a um processo educativo lúdico e atrativo.


Palavras-chave


Jovens; Mangás; Escola; Cultura Midiática; Ensino de Geografia.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMO, H. W. Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil, 2007. In: FÁVERO, Osmar; SPÓSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo; NOVAES, Regina Reys. Juventude e contemporaneidade. Brasília: UNESCO / MEC / ANPED, 2007. p.73-92.

BONIFÁCIO, S. F. História em quadrinhos: análises sobre a história ensinada na arte sequencial. 221 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba – PR, 2005.

CAVALCANTI, L. de S. Ensino de Geografia e diversidade: construção de conhecimentos geográficos escolares e atribuição de significados pelos diversos sujeitos do processo de ensino. In: CASTELLAR, S. (Org.). Educação geográfica teorias e práticas. São Paulo: Contexto, 2006. p. 66-78.

DAYRELL. J. O jovem como sujeito social. Rev. Bras. Educ., n. 24, p.40-52. dez. 2003.

DAYRELL, J.; GOMES, N. L. A juventude no Brasil. Belo Horizonte: Observatório da juventude, 2009. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2012.

EISNER, W. Quadrinhos e arte sequencial. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

GASPARIN, G. Classe C ganha 39,5 milhões de pessoas, diz FGV. G1, 27 jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 fev. 2014.

GUIMARÃES, I. V. Os artefatos midiáticos, a pesquisa e o ensino de Geografia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICA DE ENSINO DE GEOGRAFIA. 12., 2013, João Pessoa. Anais... João Pessoa: UFPB, 2013.

GUIMARÃES, S.; SILVA Jr, A. F. Ser jovem no Brasil: trajetórias juvenis no campo e na cidade. Campinas, SP: Alínea, 2012.

MELO, K. C. Uma linguagem alternativa no ensino escolar: as histórias em quadrinhos na mediação do ensino e aprendizagem da Geografia. Revista Eletrônica Ateliê Geográfico, Universidade Federal de Goiás, v. 7, n. 1, p. 260-283, abr. 2013.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

NOVAES, R. Juventude e sociedade: jogos de espelhos. Sentimentos, percepções e demandas por direitos e políticas públicas. Revista Sociologia Especial–Ciência e Vida, São Paulo, out. 2007.

RAMA, A. Os quadrinhos no ensino de Geografia. In: RAMA, A; VERGUEIRO, W. (Org.) Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2010. p. 87-116.

SILVA, C. R.; SILVA, P. C. Juventude e cultura: reflexões acerca das culturas juvenis no currículo escolar. Revista do Difere, v. 2, n. 3, ago. 2012.

SILVA, E. I. A linguagem dos quadrinhos na mediação do ensino de Geografia: charges e tiras de quadrinhos no estuda da cidade. 214 f. Tese (Doutorado em Geografia)-Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Goiás, Goiânia – GO, 2010.

VERGUEIRO, W. A linguagem dos quadrinhos: uma “alfabetização” necessária. In: RAMA, A; VERGUEIRO, W. (Org.) Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2010. p. 31-64.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: