DIÁLOGOS COM SHERLOCK HOLMES: RECEPÇÃO DO DETETIVE BRITÂNICO EM MEDIAÇÕES DE LEITURA NO ENSINO MÉDIO

Marcos Pereira, Epaminondas de Matos Magalhães

Resumo


Este trabalho visa apresentar parte do estudo de caso apresentado ao Programa de Pós-Graduação – Mestrado em Ensino, do Instituto Federal de Mato Grosso e da Universidade de Cuiabá que teve como escopo a mediação de leitura literária numa turma de primeiro ano do ensino médio, partindo dos pressupostos apontados por Aguiar e Bordini (1988). Durante o desenvolvimento da pesquisa, dentre outras temáticas, foi possível perceber o fascínio provocado pela figura de Sherlock Holmes junto aos jovens leitores, fato que legitima a criação centenária de Conan Doyle e mostra que suas obras podem ser exploradas como potencializadoras da leitura nos jovens.

Palavras-chave


leitura; Ensino Médio; gênero policial; Sherlock Holmes

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

AGUIAR, Vera Teixeira de (coord.). Era uma vez... na escola: formando educadores para formar leitores. Belo Horizonte: Formato Editorial, 2001.

AGUIAR, Vera Teixeira de; BORDINI, Maria da Glória. Literatura: a formação do leitor: alternativas metodológicas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997a.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoievski. Rio de janeiro: Forense Universitária, 1997b.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. São Paulo: Perspectiva, 1987. ____________. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BESSA, Maria Cristina. Panorama da Literatura Norte Americana: dos primórdios ao período contemporâneo. São Paulo: Alexa Cultural, 2008.

BOGDAN, Roberto C.; BIKLEN Sari Knopp. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora LTDA, 1999.

BOILEAU, Pierre; NARCEJAC, Thomas. Romance policial. São Paulo: Ática, 1991.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bretrand Brasil, 1998.

CANDIDO, Antonio. A Personagem do Romance. In:___. A Personagem de Ficção. São Paulo: Editora Perspectiva, 2007.

_______________. Vários escritos. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2011.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo, Editora UNESP, 2009.

COELHO, Nelly Novaes. Literatura Infantil: teoria, análise e didática. São Paulo: Moderna, 1997.

COENGA, Rosemar. Literatura e letramento literário: diálogo. Cuiabá: Carlini & Caniato, 2010.

COMPAGNON, Antoine. O leitor. In:___. O demônio da Teoria. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

COSSON, Rildo. Letramento literário. São Paulo: Contexto, 2009.

ECO, Umberto. Seis passeios pelos bosques da ficção. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

FONSECA, Maria Nilma Goes da; GERALDI, João Wanderley. O Circuito do livro e a escola. In: GERALDI, João Wanderley, et al. (Org.). O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2008.

FORSTER, Edward Morgan. Aspectos do romance. São Paulo: Globo, 2005.

FOUCAMBERT, Jean. A criança, o professor e a leitura. Porto Alegre: Artes Médicas, 2002.

FREITAG, Barbara. Cidade e violência. Disponível em: http://vsites.unb.br/ics/sol/itinerancias/grupo/barbara/cidade_violencia.pdf Acesso em: 30 ago. 2016.

FREITAS, Adriana. Romance policial: origens e experiências contemporâneas. Revista Contra Cultural, Universidade Federal Fluminense, 2011. Disponível em: http://www.uff.br/revistacontracultura/Adriana%20Freitas_artigo_romance_policial.pdf Acesso em: 28 ago. 2016.

GERALDI, João Wanderley, et al. (Org.). O texto na sala de aula. São Paulo: Ática, 2008.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008.

JAMES, P. D. Segredos do romance policial: história das histórias de detetives. São Paulo: Três Estrelas, 2012.

JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. São Paulo: Ática, 1994.

KLINGER, Leslie S. In: DOYLE, Arthur Conan. A volta de Sherlock Holmes. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

KLINGER, Leslie S. O mundo de Sherlock Holmes In: DOYLE, Arthur Conan. As aventuras de Sherlock Holmes - contos. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

LAJOLO, Marisa. O texto não é pretexto. In: AGUIAR, Vera Teixeira de. et al. (Org.) Leitura em crise na escola: alternativas do professor. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.

LLOSA, Mario Vargas. La verdad de las mentiras. Livro digital. Alfaguara, 2016.

MAIA, Angela Maria dos Santos. O texto poético: leitura na escola. Maceió: EDUFAL, 2001.

MASSI, Fernanda. O romance policial místico-religioso: um subgênero de sucesso [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2015.

MASSI, Fernanda; CORTINA, Arnaldo. A constituição narrativa dos romances policiais mais vendidos no Brasil no século XXI: canônica ou inovadora? Estudos linguísticos, v. 38, set-dez, p. 521-530, São Paulo, 2009.

MEIER, Bruno. Ler obras juvenis ou best-sellers é apenas o começo de uma longa e produtiva convivência com os livros. in VEJA ed. 2217, ano 44, nº 20, 2011.

MURANO, Edgard. A retórica do detetive. Ensaio. Revista Língua Portuguesa, ano 05, nº 67, maio, 2011.

PAULINO, Graça; COSSON, Rildo. Letramento literário: para viver a literatura dentro e fora da escola. In: ZILBERMAN, Regina; RÖSING, Tânia. (Orgs.). Escola e leitura: velha crise, novas alternativas. São Paulo: Global, 2009.

PENNAC, Daniel. Como um romance. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

PETIT, Michèle. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Editora 34, 2013.

PIGLIA, Ricardo. O último leitor. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

POE, Edgar Allan. Assassinatos na Rua Morgue e outras histórias. São Paulo: Saraiva, 2006.

POE, Edgar Allan. Histórias extraordinárias. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.

QUAGLIA, Ilda. Entre versos e rimas: Um estudo da recepção de poemas por pré-adolescentes. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual De Maringá, 2000. Disponível em: http://www.ple.uem.br/defesas/def_ildaquaglia.htm. Acesso em: 10 nov. 2017.

REIMÃO, Sandra Lúcia. O que é Romance Policial. São Paulo: Brasiliense, 1985.

ROSENFELD, Anatol. Literatura e Personagem. In: A Personagem de Ficção. São Paulo: Editora Perspectiva, 2007.

SAMPIERI, Roberto Hernández, et al. Metodología de la investigación. Atlacomulco: McGRAW - HILL Interamericana de México, S.A., 1997.

SILVA, Alexander Meireles da. Literatura Inglesa para brasileiros. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2005.

TODOROV, Tzvetan. A literatura em perigo. Rio de Janeiro: DIFEL, 2009

_______________. Poética da prosa. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

YAMANE, Sara Yuri. Romance policial: um degrau na formação do leitor. VIII Congresso Nacional de Educação - EDUCERE, 2008, p. 10763 - 10768. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2008/anais/pdf/780_812.pdf Acesso em: 18 fev. 2017.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.

YUNES, Eliana (Org.). Pensar a leitura: complexidade. São Paulo: Loyola, 2014.

ZILBERMAN, Regina; SILVA, Ezequiel Theodoro. Literatura e pedagogia: ponto e contraponto. São Paulo: Global, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v4i2.2418

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.