METODOLOGIAS DE ENSINO DESENVOLVIDAS POR PROFESSORES DA EJA E A PERMANÊNCIA NA ESCOLA

Tânia Paula da Silva, Maria Fernanda dos Santos Alencar

Resumo


Este texto busca compreender as metodologias de ensino desenvolvidas por professores da Educação de Jovens e Adultos e sua relação com a permanência dos estudantes da EJA na escola, considerando a seguinte questão “De que modo a metodologia de ensino desenvolvida pelos professores da EJA influenciam a permanência de jovens e adultos na escola”? Para fundamentar nossa pesquisa, acolhemos as contribuições da abordagem qualitativa, tendo como instrumentos de investigação a observação junto aos docentes e o questionário aberto com os estudantes da EJA. Após essa trajetória, concluímos que as metodologias de ensino influenciam na permanência dos estudantes da EJA na escola considerando o desenvolvimento e a preocupação com práticas que busquem a motivação e o reconhecimento do estudante como um ser de saber e de possibilidades.


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos. Metodologias de Ensino. Permanência na escola.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, Maria Fernanda dos Santos; SILVA, Marcos Antônio da. A Organização Curricular da Educação de Jovens e Adultos do Campo e o Atendimento ao Paradigma da Educação do Campo em Pernambuco. In: LIMA, Iranete; SILVA, Janssem Felipe da; FERREIRA, Michele Guerreiro. Diálogos da Educação do Campo, Recife: Ed. UFPE, 2018.

ARROYO, M. G. Passageiros da noite: do trabalho para a EJA: itinerários pelo direito a uma vida justa. Petrópolis: Vozes, 2017.

ARROYO, M. G. Currículo: território em disputa. Petropólis, RJ: Vozes, 2011.

ARAUJO, Jose Carlos Souza.Do quadro negro à lousa virtual: técnicas, tecnologia e tecnicismo. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.) Técnicas de ensino: Novos tempos, novas configurações. Campinas: Papirus, 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BRASIL. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: DF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Educação Básica. Parecer n.11, de 09 de junho de 2000. Brasília: MEC, 2000. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Disponível em: . Acesso em 21 abr. 2019.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. tradução de Moacir Gadotti e Lillian Lopes Martin. – Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. Coleção Educação e Comunicação vol. 1.

________. Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, Moacir.MOVA por um Brasil Alfabetizado / Moacir Gadotti. – São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2008 – (Série Educação de Adultos; 1).

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social / Antônio Carlos Gil. – 6. ed. – São Paulo: Atlas, 2008.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: síntese de indicadores 2019. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/saire/panorama. Acesso em: 20 de novembro de 2019.

MINAYO, Cecília de Souza; DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 34. ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2105.

BRASIL. RESOLUÇÃO Nº 3, DE 15 DE JUNHO DE 2010. Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos nos aspectos relativos à duração dos cursos e idade mínima para ingresso nos cursos de EJA; idade mínima e certificação nos exames de EJA; e Educação de Jovens e Adultos desenvolvida por meio da Educação a Distância. MEC/CNE/CEB, 2010.

Disponivel em http://confinteabrasilmais6.mec.gov.br/images/documentos/resolucao032010cne.pdf. Acesso em 21.abril2019

OLIVEIRA, Inês Barbosa. Reflexões acerca da organização curricular e das práticas pedagógicas na EJA. Educar. Curitiba. n. 29, p 83-100, 2007.

OSORIO, A. Educação Permanente e Educação de Adultos. Lisboa: Horizontes Pedagógicos, 2003.

PEREIRA, Antonio. Os Novos Sujeitos da EJA e da Educação Social: As Pessoas em Situação de Vulnerabilidade Social. EDUCERE-XII Congresso Nacional de Educação. PUCPR, 2015. Disponível em https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21013_8371.pdf. Acesso em 20abril2019;

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v7i2.2614

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.