Zoocentrismo didático: Análise quantitativa de gravuras em livros didáticos brasileiros de Biologia do Ensino Médio

Hugo José Coelho Corrêa de Azevedo, Eric Vinaud de Melo, Natália de Paula Sá, Cristiane Pereira Ferreira, Rosane Moreira Silva de Meirelles

Resumo


O zoocentrismo se tornou uma forte corrente filosófica e ideológica nos séculos XX e XXI, denotando questões acerca do bem-estar animal e políticas sobre os mesmos. Contudo, o zoocentrismo didático se caracteriza por uma predileção e massificação das representações animais no ensino, negligenciando as demais formas de vida e seus componentes abióticos. Sendo os dados, até o momento, inferidos por pesquisas estadunidenses, esta pesquisa objetivou realizar um levantamento quantitativo das imagens com representações animais em todas as coleções dos livros aprovados pelo Programa Nacional do Livro Didático no triênio de 2018-2020 para o ensino médio regular. Os dados coletados apresentaram um espectro percentual entre 44% e 59% de figuração animal nas coleções utilizadas neste estudo, sugerind demasia acerca destas representações. Além disso, 7 das 10 coleções mostraram uma taxa acima de 50%, sugerindo uma tendência zoocêntrica nos livros didáticos brasileiros. Conclui-se assim, que o Ensino em Biociências brasileiro no que tange aos livros didáticos para o Ensino Médio,  estão inseridos em uma possível  tendência e contexto zoocêntrico dado o alto percentual de figuração animal presente, podendo ser nocivo para a construção de uma visão holística e crítica acerca da biodiversidade nacional dos demais seres vivos  e compreensão dos mesmos enquanto pertencentes à biosfera.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v5i3.3056

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.