A Música e o seu Ensino na Escola Regular: adequação ou novo paradigma?

Roberto Stepheson

Resumo


Este artigo traz reflexões sobre o papel da música e, como resultado das conexões por ela estabelecidas, sobre os rumos e possibilidades da educação musical na escola regular e na transformação social em pleno século XXI. Para tanto, promove breves diálogos entre educadores e pesquisadores, tais como Keith Swanwick, Stuart Hall, Moema Craveiro Campos, Christopher Small, entre outros. A mídia e a globalização são alguns dos temas enfocados que interferem diretamente no ensino da música, passando pelo fazer musical, pelo educando, enquanto ser hábil no manejo da sintaxe musical, pelo prazer no aprender, pela motivação e ainda pela composição, como instrumento imprescindível na construção e na solidificação de conceitos relevantes na aprendizagem musical, que convergem, por fim, para um novo panorama e um novo paradigma do ensino da música.

Palavras-chave


Música; educação musical; ensino da música; paradigma musical.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Ana Mae. Ludicidade e escola. “A arte no contexto da escola”. Revista Nós da Escola. Rio de Janeiro, ano 4, no.43, p. 8, 2006.

CAMPOS, Moema Craveiro. A educação musical e o novo paradigma. Rio de Janeiro: Enelivros, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 10ª ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2005.

HETTINGER, E. (org.). Fontes da música. Tradução de Tannheimer J. Santos: Livraria Martins Fontes Editora, 1978.

NETTL, Bruno. “Heartland excursions: ethnomusicological reflections on schools of music “. Urbana: University of Illinois Press. (Cópia processada eletronicamente de trechos selecionados. Trad. Guilherme Werlang. Rio de Janeiro: Laboratório de Etnomusicologia, 2002), 1995.

NOGUEIRA, Marcos. “Da natureza interdisciplinar da pesquisa científica em música”. In: COLÓQUIO DE PESQUISA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA DA UFRJ, 5., 2004. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Escola de Música, 2006. p. 11-14.

PERRENOUD, Philippe. Pedagogia diferenciada: das intenções à ação. Tradução de Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

PETROCELLI, . “Ludicidade e indústria do lazer. A música na escola”. Revista Nós da Escola. Rio de Janeiro, ano 4, no.40, pp. 41-43, 2006a.

______. Sons nossos de cada dia. Ouvidos abertos à imaginação. Revista Nós da Escola. Rio de Janeiro, ano 3, no.31, pp. 27-33, 2006b.

SANTOS, Regina Márcia Simão. “Impasses no ensino de música: desafios à concepção de currículo e ao tratamento de programas”. Pesquisa e Música – Revista do Conservatório Brasileiro de Música. Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 43-76, 1998.

______. ‘“Melhoria de vida” ou “fazendo a vida vibrar”: o projeto social para dentro e fora da escola e o lugar da educação musical”. Revista da Associação Brasileira de Educação Musical. Porto Alegre, n. 10, p. 59-64, mar. 2004.

SCHAFER, R. Murray. O ouvido pensante. Tradução de Marisa Trench de O. Fonterrada, Magda R. Gomes da Silva e Maria Lúcia Pascoal. São Paulo: Fundação UNESP, 1991.

SMALL, Christopher. “1997 El musicar: un ritual en el espacio social”. Transcultural de música n. 4. . Acesso em: 11 set. 2006.

STOKES, Martins. “Globalization and the politics of world music”. In: CLAYTON, Martin; HERBERT, Trevor; MIDDLETON, Richard (eds.). The cultural study of music. Nova York: Routledge. 2003; pp. 297-308.

SWANWICK, Keith. Ensinando música musicalmente. Tradução de Alda Oliveira e Cristina Tourinho. São Paulo: Editora Moderna, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


      ISSN 2594-407X

 

                                       URL: https://cp2.g12.br/ojs/index.php/interludio

                                           email: interludiorevista@hotmail.com

 

                                     Publicação do Departamento de Educação Musical (DEM)

                                                         em parceria com 

                       Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (PROPGPEC)

                                                   Pró-Reitoria de Ensino (PROEN)

                                                         

 Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.