A Música no Colégio Pedro II: espaço curricular e “relações de vizinhança” (1838-1855)

Gilberto Vieira Garcia

Resumo


Esta palestra é um recorte da pesquisa de mestrado que concluí em 2014, intitulada “Tão sublime quanto encantadora arte: o ensino de música no Imperial Collegio de Pedro II (1838-1858)”, realizada no programa de pós-graduação em Educação, da PUC-Rio, sob orientação da professora Patrícia Coelho. Recorte delimitado nesta ocasião pelo interesse em se compreender qual foi a importância da música no Colégio Pedro II, durante as suas primeiras décadas, tratando especificamente do seu lugar no currículo e das suas “relações de vizinhança” com as letras, o desenho, a religião, a dança e a ginástica.

 


Palavras-chave


História da Educação Musical; Colégio Pedro II; Brasil Império.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, A. (1967). Francisco Manuel da Silva e seu tempo, 1808-1865: uma fase do passado musical do Rio de Janeiro à luz de novos documentos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, V.I e V.II.

CHERVEL, A. (1990). História das disciplinas escolares: reflexão sobre um campo de pesquisa. Teoria e educação. Porto Alegre, v.2, p. 177-229.

COLLEGIO DE PEDRO 2º. Mapa das faltas dos professores – Arquivo Nacional (AN), Série Educação, notação: IE4 4, IE4 35, IE4 34, IE4 33, IE4 32, IE4 32 e IE4 30.

___________. Exposição dos inconvenientes e defeitos encontrados pelos respectivos Professores nos diferentes ramos de ensino, acompanhados das observações do reitor. AN, Série Educação, notação: IE4 29, 1841.

CUNHA JUNIOR, C.F.F. (2008). O Imperial Collegio de Pedro Segundo e o Ensino Secundário da Boa Sociedade Brasileira. Rio de Janeiro: Apicuri.

________, (2012). Saberes escolares do ensino secundário brasileiro no século XIX: O caso do Imperial Collegio de Pedro Segundo. Cadernos de História da Educação. Uberlândia, v. 11, p. 51-70.

FUBINI, E. (2008). Estética da Música. Lisboa: Edições 70.

GARCIA, Gilberto (2014). Tão sublime quanto encantadora arte: o ensino de música no Imperial Collegio de Pedro II (1838-1858). Dissertação de Mestrado. Departamento de Educação da PUC-Rio, 2014.

GINZBURG, C. (1989). “Sinais: Raízes de um paradigma indiciário”. In: ____. Mitos, Emblemas e Sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras.

NITHEROY, REVISTA BRASILIENSE – SCIENCIAS, LETTRAS, E ARTE. Paris: Dauvinet Fontaine, Libraires, Tomo Primeiro, n° 1, p. 160-183.

PENNA, F.A. (2008). Sob o nome e a capa do Imperador: a criação do Colégio de Pedro II e a construção do seu currículo. Dissertação de Mestrado-Programa de Pós-Graduação em Educação- Universidade Federal do Rio de Janeiro.

VECHIA, Ariclê ; LORENZ, Karl Michael (org), (1998). Programa de Ensino da Escola secundária Brasileira (1850-1951). Curitiba: Ed. Do Autor, 1998.

______________ (2011). O debate ciências versus humanidades no século XIX: reflexões sobre o ensino de ciências no Collegio de Pedro II. In: GONÇALVES NETO, W.; MIGUEL, M.E.B.; FERREIRA NETO, A. (orgs.), Práticas escolares e processos educativos: currículo, disciplinas e instituições escolares (séculos XIX e XX). Vitória: EDUFES, p. 115-152.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


      ISSN 2594-407X

 

                                       URL: https://cp2.g12.br/ojs/index.php/interludio

                                           email: interludiorevista@hotmail.com

 

                                     Publicação do Departamento de Educação Musical (DEM)

                                                         em parceria com 

                       Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (PROPGPEC)

                                                   Pró-Reitoria de Ensino (PROEN)

                                                         

 Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.