Educação Musical na Diversidade: contribuição da cultura escola

Thelma Sydenstricker Alvares

Resumo


Este artigo discute a relação entre desigualdade social e exclusão, defendendo a igualdade na diferença. Debate a Educação Musical na Diversidade, entendendo as diferenças como expressão, e não distorção, da natureza humana. Propõe uma educação que estimule o diálogo da comunidade escolar com ações que promovam o movimento coletivo do grupo, a reflexão crítica e o protagonismo dos alunos. Ressalta a urgência dessas ações tendo em vista o aumento de manifestações homofóbicas, racistas e de casos de violência contra a mulher, entre outros, no Brasil.


Palavras-chave


Educação Musical na Diversidade; cultura escolar; empoderamento

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARES, Thelma; AMARANTE, Paulo. Educação musical na diversidade: um caminho para a ressignificação do sujeito em sofrimento psíquico. In: ALVARES, Thelma; AMARANTE, Paulo (Orgs.). Educação Musical na Diversidade: construindo um olhar de reconhecimento humano e equidade social em Educação. Curitiba: CRV, 2016, p. 17-42.

ALVES, Rubem. A escola com que sempre sonhei sem imaginar que pudesse existir. Campinas: Papirus, 2001.

BIROLI, Flávia. Gênero e desigualdades: limites da democracia no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

CANDAU, Vera Maria. “Ideias-força” do pensamento de Boaventura Santos e a Educação Intercultural. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.32, n.1, p. 15-34, 2016.

__________________ (Org.) Educação Intercultural e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª Ed. Rio de janeiro, Paz e Terra, 1987.

____________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

HARGREAVES, David; MIELL, Dorothy; MACDONALD, Raymond. What are musical identities and why they are important? In: HARGREAVES, David, MIELL, Dorothy and MACDONALD, Raymond (Orgs.) Musical identities, 1-20. Oxford: Oxford University Press, 2004.

KUENZER, Acacia Z. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, J. C. et al. (Orgs.) Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores associados, 2002.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais. Investigações em psicologia social. 7. Ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

NATIVIDADE, Marcelo; OLIVEIRA, Leandro de. As novas guerras sexuais: diferença, poder religioso e identidade LGBT no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2013.

SALGADO, José Alberto; ALVARES, Thelma. Refletindo sobre práticas musicais educativas, diferença e emancipação. In: ALVARES, Thelma; AMARANTE, Paulo (Orgs.). Educação Musical na Diversidade: construindo um olhar de reconhecimento humano e equidade social em Educação. Curitiba: CRV, 2016, p. 17-42.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


      ISSN 2594-407X

 

                                       URL: https://cp2.g12.br/ojs/index.php/interludio

                                           email: interludiorevista@hotmail.com

 

                                     Publicação do Departamento de Educação Musical (DEM)

                                                         em parceria com 

                       Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (PROPGPEC)

                                                   Pró-Reitoria de Ensino (PROEN)

                                                         

 Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.