ENTRE BÚFALOS E BORBOLETAS: DANÇANDO REFLEXÕES SOBRE CORPO E GÊNERO NO COTIDIANO A PARTIR DA FIGURA DE OYÁ-IANSÃ

Tulani Pereira da Silva

Resumo


Este artigo apresenta uma pesquisa que relaciona o terreiro ao protagonismo feminino nos aspectos corpo, dança, identidade, resistência e negritude. Relatamos uma das etapas de construção da cena Oyá – parte do espetáculo de dança intitulado Divinas –, cuja criação versa sobre as divindades e entidades femininas das religiões afro-brasileiras, associadas ao cotidiano feminino na contemporaneidade. Nela, abordamos o arquétipo da orixá Iansã e suas representações simbólicas no imaginário coletivo, caracterizando um feminino empoderado. Em conformidade com as demandas reivindicadas pelos movimentos sociais e a expansão do campo artístico como potência comunicativa, justificamos a relevância deste trabalho nas discussões sobre sexismo na atualidade. Propomos discutir, do ponto de vista artístico, sobretudo pela ótica do corpo e da dança, essas relações de gênero segundo aspectos culturais, confrontando os papéis sociais atribuídos ao feminino que partem de uma visão dominadora da mulher. Utilizamos metodologicamente a pesquisa bibliográfica, iconográfica e audiovisual, além das vivências em terreiros de candomblé e umbanda, valendo-nos da experiência insider, juntamente à descrição dos processos de construção da cena do espetáculo, bem como as discussões que permeiam as relações étnico-raciais no campo artístico, cultural e social desses temas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2595-8682