CPII promove 1ª Mostra de Cinema Indígena

 

Nos dia 14, 17 e 21 de novembro acontece a 1ª Mostra de Cinema Indígena - Cine Tekoha  do Colégio Pedro II. O Cine Tekoha põe em tela a relação dos povos da floresta com o audiovisual. Os curtas-metragens exibidos, produzidos  por povos indígenas do Brasil e da América Latina, expõem diferentes modos de vida, de fazer e de saber – colocando em destaque lutas e tradições desconhecidas.

 

"A mostra é um convite e uma provocação para ver e ouvir a partir de outras cosmovisões. Os curtas-metragens ao trazerem os idiomas e a cultura de seu povo constituem um importante diálogo entre os povos indígenas, os alunos do Colégio Pedro II e sua comunidade externa", ressaltou a professora idealizadora do projeto, Sabrina Alvernaz. A professora destacou ainda que a mostra propõe um diálogo transdisciplinar entre Literatura, Educação Musical, Sociologia e História.

 

O Cine Tekoha acontece no Campus Tijuca II (dia 14/11, às 16h30), no Campus Engenho Novo II (dia 17/11, às 14h30) e no Campus Humaitá II (dia 21/11, às 16h30). Nos três dias do evento, os estudantes poderão entrar em contato com o cineasta guarani Alberto Alvares, de A dança sagrada.

 

Confira as sinopses dos curtas exibidos:

 

Tekoha - Som da terra (Rodrigo Arajeju e Valdelice Veron)

Doc | 20 min | 2017 | Brasil

O agronegócio avança sobre corpos-terras indígenas no Mato Grosso do Sul. A luta para recuperar as terras sagradas, a essência da vida na nossa cosmovisão. O luto pelo genocídio Kaiowa e Guarani no Brasil.

 

Mudanças climáticas do Xingu (Kuikuro)

Doc | 3 min | 2017 | Brasil

Como os kuikuro percebem a mudança no clima.

 

ZAHY - uma fábula sobre o Maracanã (Felipe Bragança)

5 MIN | 2012 | BRASIL

Zahy Guajajara, 23 anos, é umas das líderes indígenas de uma aldeia criada ao lado do Maracanã, no antigo Museu do Índio, no Rio de Janeiro, ameaçado de demolição. Esse vídeo criado a quatro mãos com Felipe Bragança, Zahy, pajé e contadora de histórias de sua aldeia, lança um novo olhar sobre o local onde viveu e resistiu.

 

A canoa de Ulises (Diego Fio)

 15 MIN | 2016 | Argentina

Itaeté e Ulises, um idoso e um adolescente guaranis, estão construindo uma canoa na selva. Itaeté tenta impregnar no garoto o legado tradicional, mas ele não está muito interessado. Sua vocação é a música; ele é rapper.

 

Ava Marangatu (Genito Gomes)

14 MIN | 2016 | Brasil

No Guaiviry, terra tradicional Guarani e Kaiowá, dois jovens saem para caçar no resto de mata que ainda permanece.

 

A dança sagrada (Alberto Alvares)

25 MIN | 2017 | BRASIL

O curta revela a espiritualidade e conexão das belas palavras do povo guarani, da Tekoha Jey, com Nhanderu.

 

 

 

 

Setor de Comunicação do Campus Engenho Novo II

Assessoria de Comunicação Social

 

Acessos Hoje:1216  Total Acessos:1930944