CPII 180 anos: trabalho em equipe fortalece ações da Proen e o processo de ensino e aprendizagem

 

A Pró-Reitoria de Ensino (Proen) responde por grande parte da atividade fim do Colégio Pedro II, uma vez que a coordenação pedagógica referente ao Ensino Básico está sob sua responsabilidade. Para dar conta de todo esse processo político-pedagógico, que abrange desde as turmas da Educação Infantil ao Proeja, passando pelo Ensino Fundamental, Médio e Técnico, a Proen conta com uma estrutura composta por duas diretorias voltadas para o ensino-aprendizagem, uma específica para o atendimento ao estudante e uma que se ocupa do corpo docente.


Confira o Relatório de Atividades da Proen 2014/1017


Benefícios


 

FOTO 1: Aluna recebe auxílio uniforme FOTO 2: Equipe da Seção de Assistência ao Educando se reúne com famílias de estudantes beneficiados


A Diretoria de Assuntos Estudantis (DAE) gerencia quatro seções: Nutrição Escolar; Bibliotecas e Salas de Leituras; Educação Especial; e Assistência ao Educando. “O CPII entende que é necessário um suporte para o processo de aprendizagem, incluindo nutrição adequada, bons livros e materiais didáticos de qualidade, além da atenção às necessidades específicas”, observou a diretora Maria Célia Soares Ferreira.


Criada em junho 2014 pela Portaria 3.820, a Seção de Assistência ao Educando (SAE) realiza um trabalho até então inédito no CPII: a concessão de benefícios a estudantes em situação de vulnerabilidade, como auxílios permanência, emergencial, material escolar, óculos/lente, tecnologia assistiva, material e uniforme escolar, livros (Francês, Sociologia e paradidático).


Em 2015, foram divulgadas chamadas internas para a concessão de seis auxílios, beneficiando 531 estudantes. Em 2016, o número de auxílios subiu para nove, e mais 1943 alunos foram contemplados. No ano letivo de 2017 a previsão é de que 5.770 benefícios sejam concedidos.


Auxílios concedidos no período 2015/2017


Viagens


 

FOTO 1: Equipe de alunos do CPII que participou do QUANTA 2016, na Índia   FOTO 2: Iago Rosa, ex-aluno do Campus Centro, recebe certificado pela medalha de bronze conquistada em prova de Matemática/categoria Sênior da IYMC


A Seção de Assistência ao Educando recebe uma verba própria do Ministério da Educação (MEC), que possibilita ainda aos alunos da instituição participar de eventos acadêmicos dentro e fora do país. Entre 2014 e 2017, o CPII gastou R$ 1,3 milhão em ajudas de custo destinadas a 520 alunos que realizaram 45 viagens para destinos nacionais, como São Paulo, Minas, Pernambuco, Goiás, Rio Grande do Sul, e internacionais: França, Espanha, Dinamarca, Argentina, Portugal e Índia.


Viagens realizadas pelos estudantes do CPII no período 2015/2017

Recentemente, 16 estudantes, dez do Campus Engenho Novo II e seis de São Cristóvão III, viajaram para a Índia, onde participaram da International Youth Convention on Commerce & Economics (IYCCE), uma olimpíada de Matemática aberta a estudantes da Educação Básica de todo o mundo.


Esta não foi a primeira vez que estudantes do CPII participam de competições na Índia. Em 2016, sete alunos do Campus Centro foram selecionados para a Internacional Young Matematics’ Convention (IYMC). Nesse mesmo ano, oito alunos do Campus Engenho Novo II e sete do Campus Niterói também viajaram para o país asiático, onde disputaram com estudantes do mundo todo a olimpíada QUANTA.


No ano passado uma aluna do Campus Engenho Novo II ganhou destaque na mídia por conta da International Brain Bee Championship, olimpíada de neurociências da qual participou na Dinamarca. Tanto Lorrayne Isidoro como a professora do campus que a orientava viajaram para Copenhague com recursos da SAE. Hellen Valério, aluna do Campus Niterói, repetiu o feito de Lorrayne e viajou para Washington (EUA), onde participou da edição deste ano da competição.


Transição


FOTO1 e 2: A Defei promoveu a capacitação de professores do Creir em  Linguagens de Informática e Artes Visuais em 2014


Implementar a política de interação do ensino e da aprendizagem nas transições da Educação Infantil para a primeira etapa do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) e desta para a segunda fase (6º ao 9º ano), promovendo nesse processo a adequação da idade-série, é uma das principais atribuições da Diretoria de Ensino Fundamental Anos Iniciais e Educação Infantil (Defei).


A diretora Leda Aló lembra que cabe ainda à Defei apoiar a gestão dos campi e do Creir e incentivar e promover a formação continuada dos professores. “Entre outras atividades, coordenamos e viabilizamos a realização de concursos e processos seletivos para estudantes e professores, buscamos novos recursos didáticos, projetos, cursos e programas nos diferentes setores do MEC, supervisionamos a execução das propostas curriculares e providenciamos o atendimento das necessidades de pessoal e material nos campi e Creir”, destacou Aló.


Ponte


A Diretoria de Ensino Fundamental Anos Finais e Ensino Médio (Defem) se ocupa do  processo pedagógico que envolve essas duas etapas da aprendizagem, em parceria constante com as Direções-Gerais dos campi e com chefias dos departamentos pedagógicos. “Fazemos uma ponte entre a Proen, os campi e professores”, ressaltou a diretora Maria de Lourdes Jeanrenaud.



FOTO 1: Docentes participam do Seminário Práticas Pedagógicas Inovadoras, promovido pela Defem  FOTO 2: Professora de Informática Educativa Márcia Valpassos apresenta durante o seminário projeto desenvolvido no Campus Engenho Novo II



Essa parceria já rendeu muitos projetos, alguns ainda em execução, como o Reforço Escolar, que beneficia alunos do 6º ano à 2ª série com aulas de reforço, em diversas disciplinas. Outros projetos ainda serão implementados, como é o caso do Classe de Adequação Idade Série (CAIS), previsto para ser iniciado no ano letivo de 2018. “Nós visamos o atendimento diferenciado do aluno que apresenta defasagem idade-série”, explicou Maria de Lourdes.


Segundo a diretora, serão criadas turmas específicas para a conclusão do Ensino Fundamental em dois anos. “Esse é um projeto com prazo; seu término será em 2021”, ressaltou.


Outro projeto de destaque, de acordo com Maria de Lourdes, é o de Monitoria, que começou em 2015 com 38 monitores para seis disciplinas. Em 2017, esse número saltou para 150 vagas, distribuídas em 13 disciplinas. 


Projeto de Monitoria - 2015/2017


“A monitoria possibilita ao aluno uma vivência acadêmica diferenciada em termos de pesquisa e aprofundamento dos conteúdos, além da socialização desse conhecimento para os colegas”, explicou a diretora.


Docentes


Edson Martins, Leda Aló, Maria Célia Soares, Eliana Myra e Maria de Lourdes Jeanreanaud


A Diretoria de Planejamento Acadêmico e Controle é a responsável pela distribuição de docentes nos campi e Creir. O levantamento das necessidades de professores é feito junto às Diretorias-Gerais dos campi e às chefias dos departamentos pedagógicos. Além da distribuição dos docentes, esse estudo indica a necessidade de realização de novos concursos e processos seletivos.


Quantitativo de docentes do CPII/BPEq


Segundo o diretor de Planejamento Acadêmico e Controle, Edson Martins, o CPII está em dia hoje com o Banco de Professor Equivalente (BPEq), um quantitativo de docentes determinado pelo Ministério da Educação (MEC) para o colégio. Esse banco é elaborado para atender os campi/Creir, os departamentos pedagógicos e o colégio como um todo.


“Esse acompanhamento dos docentes é constante, uma vez que lidamos com professores com cargas horárias distintas: dedicação exclusiva, 40 horas e 20 horas, além dos professores substitutos, contratados para cumprir 40 horas semanais”, explicou o diretor.

 


Equipe de servidores da Proen


Concursos


A pró-reitora Eliana Myra destaca ainda a atuação da Proen na realização dos concursos para docentes e acesso de novos alunos, este último anual.  “Neste ano, também fomos responsáveis pelo concurso de técnico-administrativos, concluído recentemente, e agora estamos coordenando o processo seletivo simplificado para contratação de tradutor/intérprete de língua brasileira de sinais”, ressaltou.


“A estrutura da Proen é muito grande, damos conta de muitas atividades e implementamos muitas ações e projetos ao longo do ano letivo. Por isso, contar com uma equipe afinada é essencial para realizar todo esse trabalho e oferecer as condições necessárias para o funcionamento dos campi e Creir”, enfatizou Eliana.

 

 


CPII 180 anos: Modernização de bibliotecas e salas de leitura melhora atendimento ao público

CPII 180 anos: colégio alia tradição a nova visão de gestão e transparência

CPII 180 anos: comunidade tem participação inédita em nova política pedagógica e institucional

CPII 180 anos: colégio abre as portas à comunidade externa com projetos para todas as idades

CPII 180 anos: trajetória que se confunde com a história do ensino no Brasil

 

 

 

Assessoria de Comunicação Social

 

Acessos Hoje:1215  Total Acessos:1930943