Site de estudos para o ENEM tem curadoria de professor do CPII

 

Depois do Percurso Educativo de Matemática, a TV Escola, emissora vinculada ao Ministério da Educação, lança nesta quinta, 5, o segundo módulo de aprofundamento de estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), desta vez em língua portuguesa. Plataforma digital desenvolvida para os estudantes que se preparam para o Enem, o Percurso Educativo apresenta todas as questões do exame desde 2012, divididas por conteúdo pedagógico, pelo grau de dificuldade e pela incidência percentual dos temas em todos os exames.

 

Elaborados por meio de projeto da TV Escola que complementa o programa Hora do Enem, os percursos – em matemática, língua portuguesa e, em breve, nas demais disciplinas – não apenas apresentam o caminho para resolução de exercícios, mas servem de apoio a qualquer pessoa interessada em estudar. Além das questões do Enem, a plataforma oferece links para videoaulas, materiais pedagógicos e múltiplos conteúdos de aprofundamento dos estudos.

 

O percurso de língua portuguesa foi desenvolvido com a curadoria do professor do Colégio Pedro II, Luiz Guilherme Barbosa, consistindo em um roteiro de estudos dividido em três caminhos – texto, gramática e literatura. As seções foram organizadas com base na Matriz de Referência do Enem, em consonância com a prática curricular da escola brasileira.

 

O grau de dificuldade de cada questão foi medido especialmente para a elaboração desse percurso educativo. Questões de compreensão textual ou que requerem a aplicação de um conceito ao texto são consideradas fáceis, enquanto as que demandam maior concentração na leitura, mobilizando mais de um texto ou conceito, são consideradas médias. Já as questões que exigem habilidade de leitura ou conhecimento prévio complexos, em geral sob perspectiva interdisciplinar, foram classificadas como difíceis.

 

Transformação – Para o professor Barbosa, o aprendizado da língua portuguesa e o estímulo à leitura também fundamentam o compromisso da escola em formar pessoas engajadas na transformação do mundo. “Um cidadão letrado deve ser alguém competente para ler, escrever, falar e escutar em diversas situações de comunicação, da mais formal à mais informal”, explica. “Ele conhece os gêneros textuais e também as regras da gramática normativa, mas principalmente é autor de um discurso que procura fazer justiça ao seu desejo e ao desejo do outro, no contexto de uma sociedade democrática”, afirma.

 

O investimento em leitura é notório na prova do Enem, que praticamente seleciona um novo texto para cada questão da área de linguagens, códigos e suas tecnologias. Textos literários estão muito presentes nas questões, inclusive naquelas que não tratam de conhecimentos de história ou composição relacionada à literatura. Imagens publicitárias, infográficos e tirinhas também testam frequentemente a leitura de elementos não verbais.

 

Além disso, diversas questões preveem a análise comparada de textos, o que exige do estudante o desenvolvimento de modos de construção argumentativa do material. Assim, além de conhecer algumas regras de funcionamento da gramática do português, é preciso chegar ao Enem sabendo reconhecer estratégias argumentativas, dominando a teoria das funções da linguagem ou compreendendo a formação histórica do português brasileiro.

 

Questões – As questões referentes ao texto incluem o estudo de gêneros textuais, linguagem não verbal, estratégias argumentativas, funções da linguagem, coesão textual e relações de intertextualidade. As de gramática se debruçam sobre três áreas: norma-padrão, variação linguística e patrimônio linguístico. Por fim, as questões referentes à literatura estão concentradas em duas perspectivas: a história da literatura no Brasil e a organização do texto em função dos gêneros literários.

 

A história da literatura está organizada de modo a refletir de maneira equilibrada a quantidade de questões referentes a cada momento literário. A literatura do período colonial e a literatura do século 19, com baixa incidência de questões no Enem, reúnem as categorias históricas dos estilos barroco, arcadismo, romantismo, realismo, naturalismo, parnasianismo e simbolismo. A maior parte da prova é centrada nas literaturas dos séculos 20 e 21, que reúnem pré-modernismo, modernismo e literatura contemporânea. Outras questões que não preveem o conhecimento da história literária são organizadas em função do gênero ao qual pertencem os textos objetos propostos: teatro, poesia e narrativa.

 

Assim como no percurso de matemática, a plataforma de estudos de língua portuguesa pretende tornar mais clara a organização das provas do Enem para que o candidato produza um caminho de estudo condizente com os saberes que são requeridos na resolução das questões. “No fundo, o que está em questão é um outro modo de estudar língua portuguesa, que responda com maior rigor às propostas elaboradas pelos parâmetros e orientações curriculares vigentes, em busca da autonomia do estudante na produção dos saberes”, resume o professor Luiz Guilherme Barbosa.

 

Clique aqui para conhecer mais sobre os Percursos Educativos.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do MEC

 

Acessos Hoje:21241  Total Acessos:5629325