Muita cor e ritmo marcam evento de Caxias


Alunos fizeram releitura do Parangolé de Hélio Oiticica

O encontro da música com as artes visuais resultou em um evento cheio de cor e ritmo que aconteceu nesta quinta-feira (21), no auditório do Campus Duque de Caxias. Intitulado “Qual é o Parangolé: corpo, ritmo e ginga nas artes”, o evento foi uma realização dos Departamentos de Música,  Desenho e Artes Visuais e  Sociologia do Colégio Pedro II que teve como tema agregador o Carnaval e suas implicações no conceito de brasilidade.


Durante quase duas horas, as turmas do 1° ano do Ensino Médio do campus apresentaram o resultado de um semestre de aprendizado. Ao ritmo, mais precisamente o samba, trabalhado nas aulas de música, juntaram-se releituras da obra do artista carioca Hélio Oiticica, morto em 1980, conteúdo repassado nas aulas de artes visuais.


Parangolé


Na gíria Parangolé significa lábia, mas na apropriação do artista carioca o termo ganhou movimento e cor, como explica a professora de artes visuais de Duque de Caxias Janaína Laport. “Oiticica realizou uma performance que propõe a cor acontecendo no espaço. Vestindo o Parangolé, o participante acontece na obra de arte.”

 

O Parangolé surgiu a partir da experiência de Oiticica com a comunidade do Morro da Mangueira (RJ) e com integrantes da escola de samba de mesmo nome. Espécie de fantasia feita com camadas de panos coloridos, como estandartes, capas, bandeiras e tendas, o Parangolé precisa do movimento para ser de fato uma obra de arte.


Releitura


Na releitura da obra de Oiticica os alunos de Duque de Caxias realizaram performances utilizando temáticas variadas, que eles definiram como Parangolés conceituais: desigualdade social; ditadura da beleza feminina; relacionamentos; dualidade; liberdade de ser feliz; arte e miséria; e razão versus emoção. Tudo ao som de músicas conhecidas, interpretadas pelos próprios estudantes.


O chefe do Departamento de Música do Colégio Pedro II, Roberto Stepheson, destacou o alto nível das apresentações. “Os professores e alunos estão de parabéns porque souberam conectar de forma perfeita as artes visuais com a música”, observou.

 


Apresentações de capoeira marcaram o evento


Capoeira


Durante o evento, houve apresentação de capoeira e de samba de roda por parte de integrantes do Centro Cultural Raízes Brasileiras, ONG de Duque de Caxias. Antes da apresentação, Mestre Monge, responsável pelo grupo, falou da importância deste ritmo genuinamente brasileiro e do trabalho que desenvolve com crianças e jovens do município.

 

 

 

Coordenaria de Comunicação Social

­

Acessos Hoje:5734  Total Acessos:10320588