Seminário ‘Narrativas Olímpicas’ terá participação de atletas e ex-atletas profissionais

Publicado em

Cartela Seminario EF blog 680x375

Às vésperas das Olímpiadas de Tóquio, que acontecem de 23 de julho a 8 de agosto, os professores de Educação Física do Campus Humaitá II realizam o seminário “Narrativas Olímpicas”.

Foram convidadas para o evento, que acontece em 7 de julho, quatro mulheres, atletas e ex-atletas, que vão compartilhar suas experiências como atletas e a importância do esporte para as suas vidas: Caroline Hildebrandt (nado sincronizado), Barbara Chianca Timo (Judô), Evelyn dos Santos (atletismo) e Mariana Nery Brochado (natação).

O seminário será das 8:00 às 16:30, pela plataforma Google Meet, e é destinado a toda comunidade escolar do Colégio Pedro II. Para participar, é preciso preencher o formulário abaixo.

Preencha aqui o formulário de inscrição.

Acesse aqui para assisitir pelo YouTube.

Confira o tema e horário de cada palestra no cartaz abaixo:

Narrativas olímpicas

O evento conta com o apoio da Pró-reitora de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura (Propgpec), do Departamento de Educação Física do Colégio Pedro II e da Direção do Campus Humaitá II.

Todos os participantes do evento pelo Google Meet receberão certificados emitidos pela Propgpec.

Confira no vídeo abaixo um pouco da performance das atletas:

https://www.youtube.com/watch?v=SnW5J4HBYOs

Saiba mais sobre as palestrantes:

Caroline Trancoso Hildebrandt – Foi atleta de Nado Sincronizado da Seleção Brasileira e do Clube de Regatas do Flamengo. Em 2006, foi escolhida pelo Comitê Olímpico Brasileiro para receber o PRÊMIO BRASIL OLÍMPICO de melhor atleta do Nado Sincronizado Brasileiro.

Carol conquistou três medalhas de bronze em Jogos Pan-Americanos, no Pan de 2007, na cidade do Rio de Janeiro, conquistou o bronze no dueto e em equipes. E foi bronze por equipe nos Jogos Pan-Americanos de 2003, em Santo Domingo, na República Dominicana, ajudando o Brasil a voltar ao pódio no Nado Sincronizado 40 anos depois da conquista da medalha de bronze do Pan de 1963, em São Paulo.

Ela ingressou na seleção brasileira em 1999, na categoria juvenil, passando para a seleção adulta no ano de 2002.  Pela seleção conquistou doze medalhas de ouro em campeonatos sul-americanos nos anos de 1999, 2001, 2002, 2003, 2004 e 2006.

Foi finalista nos campeonatos Mundiais por equipe, na categoria adulta, em Barcelona-2003, Montreal-2005, e Melbourne-2007. No ano de 2006, na Russia, obteve o sétimo lugar na prova de dueto, no FINA Synchronised Swimming World Trophy 2006, em Moscou, que foi a melhor colocação do dueto brasileiro em competições até aquela data.

Em 2004, foi escolhida pelo Comitê Olímpico Brasileiro, juntamente com o atleta Diego Hipólito, da Ginástica Artística, para participar do Olympic Youth Camp, durante as Olimpíadas de Atenas, em 2004, onde cada País presente às Olimpíadas, poderia levar dois jovens atletas para participar do evento.

Foi finalista no Mundial Júnior de 2001, em Seattle, e conquistou a medalha de bronze no Pan Júnior (American Cup), no ano de 2000, em Tallahassee.

Caroline foi várias vezes Campeã Estadual e Brasileira, no Nado Sincronizado, sempre competindo pelo  C.R. do Flamengo, onde tem seu nome eternizado na Calçada da Fama do Clube.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Caroline_Hildebrandt

Bárbara Chianca Timo –  A desportista, nascida no Rio de Janeiro, que se naturalizou portuguesa, em janeiro de 2019, vai disputar os JOGOS OLÍMPICOS DE TOKIO 2020, adiado para esse  ano, por Portugal.

Bárbara Timo conquistou, em março de 2019, a sua primeira medalha por seu novo País, ficando com a medalha de ouro no GRAND PRIX de Tbilisi, na Geórgia, no peso até 70 kg, a carioca derrotou, na final, a alemã Laura Vargas Koch, bronze olímpico nos Jogos do Rio 2016.

A ex-atleta do C. R. do Flamengo e do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo, que está desde 2018 competindo pela equipe do S.L. Benfica, de Lisboa, conquistou a medalha de prata no WORLD JUDO CHAMPIONSHIP TOKYO 2019, no Japão, lutando por Portugal, na categoria 70kg.

Bárbara tem várias medalhas em campeonatos brasileiros e inúmeras conquistas internacionais onde podemos destacar: Prata na Copa Pan-Americana, em 2014, em Barbados; Prata no Aberto de Montevidéu, em 2015, no Uruguai; Bronze, no Panamerican Open Buenos Aires, em 2015, na Argentina; e Bronze no EUROPEAN JUDO CHAMPIONSHIP 2021, em Lisboa.

Além disso, conquistou quatro medalhas de bronze em competições do circuito mundial de GRAND SLAM de Judô e duas medalhas de ouro e uma de prata em competições de GRAND PRIX do Judô. É também dela o título de CAMPEÃ MUNDIAL UNIVERSITÁRIA pela conquista da medalha de ouro na UNIVERSÍADE 2017, no Taipei, em Taiwan.

Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/B%C3%A1rbara_Timo

Evelyn Carolina de Oliveira dos Santos – Atleta Olímpica, com participação nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012, a velocidade está no sangue dela, ela é filha de Nelson Rocha dos Santos e Sheila de Oliveira, velocistas brasileiros que brilharam nas pistas de atletismo nos anos de 1970 e 1980.

Nos Jogos de Londres 2012, ela competiu nos 200 metros rasos, onde não conseguiu se classificar às finais da prova, e no revezamento 4×100 metros rasos feminino, quando a equipe composta pela atleta e pelas velocistas Ana Cláudia Lemos,  Franciela Krasucki e Rosângela Santos quebrou o recorde sul-americano nas eliminatórias da prova, com um tempo de 42s55, e indo para a final com a sexta colocação. Na final, o revezamento brasileiro fez 42s91 e terminou em 7º lugar.

Nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, fez parte, como atleta reserva, da equipe que obteve a quarta colocação no revezamento 4×100 metros rasos, e que posteriormente, no ano de 2016, recebeu a medalha de bronze com a desclassificação, por doping, da equipe da Rússia, campeã da prova nas Olimpíadas de Pequim.

Evelyn é detentora até hoje do Recorde Sul-americano no revezamento 4×100 metros rasos com a marca conseguida em Moscou, no Campeonato Mundial de Atletismo de 2013, quando a equipe feminina quebrou o recorde sul-americano nas semifinais do revezamento 4×100 metros com o tempo de 42s29. Foi uma conquista muito especial para a atleta, pois foi ali, naquele mesmo local, que seu pai foi finalista no revezamento 4×100 metros, nas Olimpíadas de Moscou, em 1980.

Várias vezes Campeã Estadual, Brasileira e Sulamericana, Evelyn tem como suas melhores marcas individuais o tempo de 11s36 nos 100 metros rasos e o de 22s76 nos 200 metros.

Em 2008, ela venceu os 200 metros rasos no Troféu Brasil de Atletismo, um resultado excepcional para a atleta, pois com a marca obtida, de 23s08, ela alcançou o índice que lhe garantiu a vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008.

Em 2012, nos Jogos Ibero Americanos, realizados na Venezuela, Evelyn conquistou também duas Medalhas de Ouro, uma na prova de 200 metros rasos e a outra no revezamento 4×100 metros, além de uma de Medalha de Prata na prova de 100 metros rasos.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Evelyn_dos_Santos

Mariana Nery Brochado – A ex-nadadora e recordista da Seleção Brasileira e do C.R. Flamengo conquistou em sua carreira vários títulos de Campeã Estadual, Brasileira e Sul-americana de natação. Mariana, que também estabeleceu cinco recordes sul-americanos e vários recordes brasileiros,  tem seu nome eternizado na Calçada da Fama do Clube de Regatas do Flamengo.

Participou do Campeonato Pan-Pacífico de Natação, no ano de 2003, em Yokohama, no Japão, quando foi finalista e bateu o recorde sul-americano dos 200 metros livre, com a marca de 2m01s45. No revezamento 4×200 metros livre, foi à final, terminando em quinto lugar e batendo o recorde sul-americano com a marca de 8m15s80.

No mesmo ano, representou o Brasil no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 2003, em Barcelona, na Espanha, um dos três mundiais que disputou, quando chegou à semifinal dos 200 metros livre, superando o recorde sul-americano ao marcar 2min01s17, sua melhor marca em piscina longa em toda a carreira.

 Mariana conquistou duas medalhas nos Jogos Pan-Americanos de 2003, na República Dominicana, foi prata no revezamento 4×200 metros livre e bronze nos 200 metros livre.

Nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, ajudou o revezamento brasileiro dos 4×200 metros livre a chegar à primeira final olímpica na história da natação feminina brasileira, terminando em sétimo lugar, estabelecendo novo recorde sul-americano (8min05s29), tanto nas eliminatórias quanto na final, ao lado de Joanna Maranhão, Monique Ferreira e Paula Baracho, recorde este que durou uma década para ser superado. Também nessa Olimpíada, disputou a prova de 200 metros livre não alcançando a classificação para  a final.

Participou do Campeonato Mundial de Natação em Piscina Curta de 2006, em Xangai, e foi finalista dos 400 metros livre, terminando em oitavo lugar. Nessa competição, Mariana bateu o recorde sul-americano nas eliminatórias da prova e, na final, voltou a superar o recorde novamente, com 4m07s21.  Também obteve a nona posição no revezamento 4×200 metros livre.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mariana_Brochado

 

 

Logo TELEGRAM Rodapé Comunicação

 

 

 

 

 

 

Assuntos:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Tema desenvolvido pela Comunicação Social do Colégio Pedro II para WordPress