Professores de Francês do CPII participam de evento no Colégio Franco-Brasileiro

 


Heloisa Azevedo, coordenadora do Franco-Brasileiro, e os professores Ana Cândida Brandão (Humaitá II), Kamila Carvalho (Centro/Niterói), Maria Gabriela Braga (São Cristóvão II), Luiz Paulo Monteiro (Realengo II), Sabrina Dugast, representante pedagógica da Hachette Fle, Daisy Elísio (Centro), Mariana Apoteker (Realengo II) e Flávia Durão (CHumaitá II)

 

No dia 16 de maio, os professores de Francês do Colégio Pedro II participaram do ateliê “A Motivação: Fator de Êxito na Aprendizagem”, realizado pela representante pedagógica da editora de livros francófonos Hachette Fle, Sabrina Dugast. O evento aconteceu no Colégio Franco-Brasileiro e reuniu professores de Francês de diferentes instituições de ensino básico do Rio de Janeiro.

 

O tema do ateliê foi sobre a motivação e como despertá-la nos estudantes, para facilitar e melhorar a aprendizagem de Francês. O evento contou com a presença da coordenadora do Franco-Brasileiro, Heloisa Azevedo.

 

“Estamos buscando, continuamente, modificar nossas práticas, para que os estudantes se envolvam e desenvolvam, em conjunto, atividades que possam fortalecer o espirito de equipe e o trabalho colaborativo em cada turma”, ressaltou a chefe do Departamento de Francês do CPII, Diva Rocha.

 

A Hachette Fle é uma editora internacional de língua estrangeira francesa (FLE) com um catálogo de mais de 900 títulos de papel e digitais e que publica métodos e materiais pedagógicos para o ensino da língua francesa para não-francófonos.

 

O que disseram...

Maria Gabriela Braga, professora de Francês do Campus São Cristóvão II:

"No ateliê, vimos que, quando um professor propõe um jogo de perguntas e respostas para que os estudantes interajam e movimentem-se pela sala, falando em Francês uns com os outros, essa atividade permite ao adolescente circular pelo ambiente, sem permanecer sentado por horas. Isso pode aumentar seu interesse em participar das aulas e em aprender mais e melhor. A variedade de recursos e tarefas pode atender as necessidades de uma turma heterogênea, considerando-se as inteligências múltiplas (conceito de Gardner) dos estudantes, que têm diferentes capacidades e habilidades. Além disso, desenvolver atividades cuja finalidade tem uma utilidade real para os estudantes pode ser motivador. Aprender a preencher uma ficha de apresentação em Francês, por exemplo, para participar de um videogame é uma situação real." 

 

Ana Cândida Brandão, professora de Francês do Campus Humaitá II:

"O ateliê colocou em foco diferentes componentes de uma aula motivadora de língua estrangeira: os temas abordados, a variedade dos suportes, a utilidade do que é apresentado, as modalidades de trabalho (individual, em grupos, em dupla), o nível dos alunos, o intercultural, a progressão etc. Revimos conceitos que enfatizam que as atividades curtas e variadas são as mais apropriadas para crianças e adolescentes."

 

 

 

Comunicação Social

Acessos Hoje:104  Total Acessos:1732942