CARTOGRAFIA E O PAPEL DOS MUNDOS FICTÍCIOS: estudantes como mapeadores

Deyse Cristina Brito Fabrício

Resumo


Na atualidade verifica-se um aumento de livros e jogos com mapas de mundos fictícios. Muitos desses mapas estão no cotidiano dos estudantes e podem entrar em contexto escolar. Este texto consiste na apresentação de atividades educativas para o Ensino Médio, por meio da criação de mapas de mundos fictícios nas aulas de Geografia. As atividades foram realizadas numa escola pública do município de Campinas-SP, com o objetivo de implicar alunos e alunas para a temática da cartografia e suas reverberações no cotidiano. Após as atividades, os estudantes foram entrevistados, contando as histórias que levaram à criação de seus próprios mapas. Escolhemos alguns desses mapas para a discussão da inserção dos estudantes no ciberespaço e as formas de narrativas dele derivadas.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/grgcp2.v4i8.2239

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: