Trabalho docente, desigualdades educacionais e capitalismo de desastre: impactos da pandemia de coronavírus na educação

Nelson Diniz, Bruno França

Resumo


Neste artigo, apresenta-se uma reflexão sobre alguns dos impactos da pandemia de coronavírus na educação básica brasileira, levando em conta, em primeiro lugar, processos que podem deslocar a própria definição da educação como direito social. Sugere-se, além disso, o que se entende como os pressupostos do debate sobre a Educação a distância (EaD) diante da suspensão das atividades escolares presenciais. Em seguida, são problematizadas as relações entre modernização tecnológica e eficiência do trabalho docente. Por último, consideram-se as condições de acesso à EaD no Brasil. Conclui-se enfatizando que a atual pandemia catalisa tendências de crise e de reestruturação do trabalho docente.


Palavras-chave


Trabalho Docente; Desigualdades Educacionais; Educação a Distância; Coronavírus.

Texto completo:

PDF

Referências


AGLIETTA, Michel. Shareholder value and corporate governance: some tricky questions. Economy and Society, v. 29, n. 1, p. 146-159, 2000.

CHAVES, Vera Lúcia Jacob. O ensino superior privado-mercantil em tempos de economia financeirizada. In: Educação contra a barbárie: por escolas democráticas e pela liberdade de ensinar. São Paulo: Boitempo, 2019.

CHRISTOPHERS, Brett. Revisiting the urbanization of capital. Annals of the Association of American Geographers, v. 101, n. 6, p. 1347-1364, 2011.

DAVIS, Mike. The monster at our door: the global threat of avian flu. New York; London: The New Press, 2005.

GOTHAM, Kevin Fox. The secondary circuit of capital reconsidered: globalization

and the U.S. real estate sector. American Journal of Sociology, v. 112, n. 1, p. 231-275, 2006.

GRISA, Gregório Durlo. É hora de agir na educação, mesmo que de maneira remota. NEXO, 06 maio 2020. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2020.

HARVEY, David. Justice, nature and the geography of difference. Oxford: Blackwell, 1996.

JESSOP, Bob. Knowlegde as a fictitious commodity: insights and limits of a polanyian perspective. In: BUGRA, A. e AGARTAN, K. REading Karl Polanyi for the Twenty-First Century: market economy as a political project. Nova York: Palgrave Macmillan, 2007.

KLEIN, Naomi. A doutrina do choque: a ascensão do capitalismo de desastre. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

KNOP, Marcelo Ferreira Trezza. Exclusão digital, diferenças no acesso e uso de tecnologias de informação e comunicação: questões conceituais, metodológicas e empíricas. Caderno Eletrônico de Ciências Sociais, v. 5, n. 2, p. 39-58, 2017.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Volume 3, Tomo 2. O processo

global da produção capitalista. São Paulo: Abril Cultural, 1986.

______. O capital: crítica da economia política. Livro 1. O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2011.

PALLUDETO, Alex Wilhans Antonio; ROSSI, Pedro. O capital fictício: revisitando uma categoria controversa. Texto para discussão n. 347, Campinas, IE-Unicamp, 2018.

POLANYI, Karl. A grande transformação: as origens da nossa época. Rio de Janeiro, Elsevier, 2012.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1986.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SOJA, Edward. Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/grgcp2.v7i13.2507

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: