A espacialização da Covid-19 no contexto dos desastres ‘naturais’: uma contribuição para a Educação

Leandro Redin Vestena, Carla Luciane Blum Vestena

Resumo


Este trabalho apresenta uma reflexão acerca da contribuição da Geografia, em especial, da espacialização, na conscientização do perigo, vulnerabilidade e risco da COVID-19, no contexto educacional. A espacialização de casos de COVID-19, possibilita abordar os conteúdos da Geografia e os determinantes de risco a desastre associado a COVID-19, visando a sensibilização e conscientização ambiental. Na prática educacional, a espacialização auxilia no desenvolvimento de uma percepção do risco a COVID-19, e, consequentemente, na adoção de atitudes e procedimentos de segurança que impactam na redução do risco a desastre. Assim como, traz uma reflexão de como a escola poderia auxiliar na orientação e minimização dos impactos do COVID-19, uma vez que, a escola está dissolvida. A Geografia e a Educação contribuem para minimizar vulnerabilidades e riscos da COVID-19, pois subsidia ações que reduzem os danos.


Palavras-chave


Ensino de Geografia; Pandemia; Risco; Percepção.

Texto completo:

PDF

Referências


ADGER, W. Neil. Vulnerability. Global Environmental Change, v. 16, n. 3, p. 268-281, ago. 2006.

AMARAL, Rosangela; GUTJAHR, Mirian Ramos. Desastres naturais. Cadernos de Educação Ambiental. São Paulo: IG / SMA. 2011. 100p.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A metodologia da problematização em três versões no contexto da didática e da formação de professores. Rev. Diálogo Educ., v. 12, n. 35, p.101-18, 2012.

BERG, Juliana; VESTENA, Carla Luciane Blum; COSTA-LOBO, Cristina. Criatividade e autonomia em tempo de pandemia ensaio teórico a partir da pedagogia social. Revista internacional de educación para la justicia social (RIEJS), v. 9, n. 3, p. 1-13, 2020.

BORDERS, A. M.; KENNEDY, Carrie H. Intervenções psicológicas depois de desastres ou traumas. In: KENNEDY, Carrie H.; ZILLMER, Eric A. Psicologia militar. Biblioteca do Exército, 2009. p.405-430.

BRASIL. Ministério da Saúde. COVID19: Painel Coronavírus. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2020a.

______. Ministério da Saúde. COVID19: Painel Coronavírus. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020b.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Legislação Informatizada - Lei nº 12.608, de 10 de Abril de 2012 - Publicação Original. Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil – PNPDEC. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil - SINPDEC e o Conselho Nacional de Proteção e Defesa Civil – CONPDEC. Autoriza a criação de sistema de informações e monitoramento de desastres. Disponível em: . Acesso em: 16 nov. 2019.

BROOKS, Samantha K.; WEBSTER, Rebecca K.; SMITH, Louise. E.; WOODLAND, Lisa; WESSELY, Simon; GREENBERG, Neil; RUBIN, Gideon James. The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. The Lancet, London, v. 395, p. 912-920, march 14, 2020.

CASTRO, Antônio Luiz Coimbra de. Glossário de defesa civil estudos de riscos e medicina de desastres. 2ª ed. Revista e Ampliada. Brasília: Ministério do Planejamento e Orçamento, 1998. 173p.

CFP. CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Subjetividade e desastres: a contribuição possível da psicologia. Jornal do Federal. Brasília, ano 18, v. 81, p. 8-9, abr. 2005.

CUTTER, Susan L.; BORUFF, Bryan J.; SHIRLEY, W. Lynn. Social Vulnerability to Environmental Hazards. Social Science Quarterly. v. 84, n. 2, June 2003.

EM-DAT. The Emergency Events Database. Centre for Research on the Epidemiology of Disasters - CRED. Database. Disponível em: . Acesso em: 19 maiO 2020.

FERGUSON, Neil M.; LAYDON, Daniel; NEDJATI GILANI, Gemma; IMAI, Natsuko; AINSLIE, Kylie; BAGUELIN, Marc; ... GHANI, Azra C. Report 9: impact of non-pharmaceutical interventions (NPIs) to reduce COVID19 mortality and healthcare demand. Imperial College COVID-19 Response Team, 16 March 2020. Disponível em: . Acesso em: 15 maiO 2020.

HEWITT, Kenneth. Regions of risk: a geographical introduction to disasters. Harlow: Addison Wesley Longman, 1997.

HUANG, R. H., LIU, D. J., TLILI, A., YANG, J. F.; WANG, H. H. Handbook on facilitating flexible learning during educational disruption: The chinese experience in maintaining undisrupted learning in COVID-19 outbreak. Institute of Beijing Normal University. Version 1.2, march, 2020. Disponível em:< https://iite.unesco.org/wp-content/uploads/2020/03/Handbook-on-Facilitating-Flexible-Learning-in-COVID-19-Outbreak-SLIBNU-V1.2-20200315.pdf.>. Acesso em: 20 abr. 2020.

KOBIYAMA, Masato; CHECCHIA, Tatiane; SILVA, Roberto Valmir; SCHRÖDER, Paulo Henrique; GRANDO, Ângela; REGINATTO, Gisele Marilha Perreira. Papel da comunidade e da universidade no gerenciamento de desastres naturais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE DESASTRES NATURAIS, 1, 2004, Florianópolis. Anais... Florianópolis: GEDN/UFSC, 2004. p. 834-846. (CD-ROM)

LAVELL, Allan. Degradación ambiental, riesgo y desastres urbanos. Problemas y conceptos: hacia la definición de una agenda de investigación. In: FERNÁNDEZ, María Augusta (Compiladora) Ciudades en riesgo: degradación ambiental, riesgos urbanos y desastres. 1996. p. 12-42.

MAIA, Lucas. O conceito de meio técnico-científico-informacional em Milton Santos e a não-visão da luta de classes. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 4, p.175-196, dez. 2012.

MARANDOLA JR., Eduardo; HOGAN, Daniel Joseph. Vulnerabilidade do lugar vs. Vulnerabilidade sociodemográfica: implicações metodológicas de uma velha questão. R. Bras. Est. Pop., Rio de Janeiro, v. 26, n. 2, p. 161–181, jul./dez. 2009.

MARCELINO, Emerson Vieira. Desastres naturais e geotecnologias: conceitos básicos. Santa Maria: CRS/INPE, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 mar. 2019.

MCNALLY, Richard J.; BRYANT, Richard A.; EHLERS, Anke. Does early psychological intervention promote recovery from posttraumatic stress? Psychological Science in the Public Interest, v. 4, n. 2, p. 45-79, 2003.

MEIRA, Dalvana; BERG, Juliana; VESTENA, Carla Luciane Blum. Vulnerabilidade ou vulnerabilidades? Um ensaio sobre esta ambiguidade no contexto educacional. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 5, p. 26559-26568, may 2020.

MELO, Cecilia; SANTOS, Felipe Almeida dos. As contribuições da psicologia nas emergências e desastres. Psicólogo informação, v. 15, n. 15, p. 169-181, 2011.

PARANHOS, Mariana Esteves; WERLANG, Blanca Susana Guevara. Psicologia nas Emergências: uma Nova Prática a Ser Discutida. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 35, n. 2, abr./jun. 2015.

PNUD. PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Brasília: PNUD, Ipea, FJP, 2013. 96p.

PNUD. PROGRAMA DE LAS NACIONES UNIDAS PARA EL DESARROLLO. La reducción de riesgos de desastres: Un desafío para el desarrollo. Dirección de Prevención de Crisis y de Recuperación, 2004. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2019.

ROBAINA, Luís Eduardo de Souza; OLIVEIRA, Edson Luiz de Almeida. Bases conceituais para o estudo de áreas de risco em ambientes urbanos. In: ROBAINA, Luís Eduardo de Souza; TRENTIN, Romario (Org.). Desastres Naturais no Rio Grande do Sul. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013. p. 21-35.

SANTOS, Milton. Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo: Hucitec, 1998. 190p.

SCHEUREN, J-M.; WAROUX, O. le Polain de; BELOW, R.; GUHA-SAPIR, D.; PONSERRE, S. Annual disaster statistical review the numbers and trends 2007. Centre for Research on the Epidemiology of Disasters (CRED): Université Catholique de Louvain, 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 mai. 2016.

SORIANO, Érico; VALENCIO, Norma. Riscos, incertezas e desastres associados às barragens: os riscos referentes à Itaipu Binacional. In: VALENCIO, Norma; SIENA, Mariana; MARCHEZINI, GONÇALVES, Victor Juliano Costa. (Org.). Sociologia dos desastres – construção, interfaces e perspectivas no Brasil. São Carlos: RiMa Editora, 2009. 147p.

TOBIN, Graham A.; MONTZ, Burrell E. Natural hazards: explanation and integration. New York: The Guilford Press, 1997. 388p.

UNESCO. Redução do risco de desastres nos currículos escolares: estudos de casos de trinta países. France, p. 218, 2012. Disponível em: . Acesso em: 5 abr. 2017.

VEDOVELLO, Ricardo; MACEDO, Eduardo Soares de. Deslizamento de encostas. In: SANTOS, Rozely Ferreira dos (Org.). Vulnerabilidade ambiental: desastres naturais ou fenômenos induzidos? Brasília: MNA, 2007. p. 75-94.

VESTENA, Leandro Redin. Desnaturalização dos desastres: Em busca de comunidades resilientes. Curitiba: CRV, 2017. 116p.

VESTENA, Leandro Redin; GEFFER, Edivaldo; ALMEIDA, Deivana Eloisa Ferreira de; VESTENA, Carla Luciane Blum. Percepção ambiental sobre as causas das inundações, Guarapuava-PR: Em busca da cidade resiliente. Revista do Departamento de Geografia – USP, v. 28, p. 280-294, 2014.

VIEIRA, Rafaela, MÜLLER, Carla Kopper; MARCHI, Thalita Lussoli. Projeto “Defesa civil na escola”: uma avaliação desta ação na Educação Ambiental para gestão de riscos de desastres naturais em Blumenau/SC. REA – Revista de estudos ambientais, Blumenau, v. 19, n. 1, p. 44-60, jan./jun. 2017.

WHO. World Health Organization. Coronavirus disease (COVID-19) situation dashboard. Disponível em: . Acesso em: 30 maio 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/grgcp2.v7i13.2525

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: