Planejamento participativo em Geografia: contribuições de John Dewey

Thiago Bogossian, Emanoel Daflon

Resumo


A aula de Geografia é vista por muitas crianças e adolescentes como possibilidade de conhecer melhor o mundo. Nossa disciplina oferece oportunidade para aprender sobre diferentes espaços e lugares do planeta e muitos dos nossos alunos já chegam à escola com diversos questionamentos sobre esses lugares.  Na maior parte das vezes suas questões são expressas por meio de perguntas, que revelam um profundo apetite de querer entender como ou por que certos fenômenos ocorrem. Baseado em pressupostos teóricos e epistemológicos do pedagogo estadunidense John Dewey que propunha uma pedagogia em que os estudantes eram agentes ativos na busca do conhecimento, o presente artigo argumenta que as perguntas e indagações dessas crianças e adolescentes podem servir como ferramenta para aproximá-las de uma etapa do processo pedagógico que é tradicionalmente reconhecida como exclusiva dos professores: o planejamento de ensino. Para tanto, revisitamos notas autoetnográficas de nossas práticas de planejamento participativo em uma escola privada de Niterói. Com esse artigo pretendemos inspirar educadores do campo da Geografia e de outros saberes para incluir melhor a voz e a participação ativa das crianças e adolescentes no processo pedagógico.


Palavras-chave


Pedagogia Ativa; Democracia; Dewey; Planejamento; Participacão.

Texto completo:

PDF

Referências


CAVALCANTI, Lana. Pensar pela Geografia: ensino e relevância social. Goiânia: C&A Alfa Comunicação, 2019.

BOURDIEU, Pierre A Escola conservadora e as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria A.; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de Educação. Petrópolis: Vozes, 1998.

DEWEY, John. Experiência e Educação. Trad: Anísio Teixeira. 3a ed. São Paulo: Companhia Editora Educacional, 1979.

DEWEY, John. Democracy and Education. Project Gutenberg, 2008. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Cortez, 1993.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

GANDIN, Danilo. Planejamento como prática educativa. São Paulo: Loyola, 1983.

GANDIN, Danilo. A prática do planejamento participativo. Petrópolis: Vozes, 2000.

GANDIN, Danilo. A posição do Planejamento Participativo entre as Ferramentas de Intervenção na Realidade. Currículo sem fronteiras, v. 1, n. 1, p. 81-95, jan./jun. 2001. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

HOWLETT, John. Progressive education: a critical introduction. London: Bloomsbury Academic, 2013.

NODDINGS, Nel. Philosophy of Education. Fourth Edition. Boulder: Westview Press, 2016.

PADILHA, Paulo Roberto. Planejamento Dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez, 2001.

SANTOS, Claudinete Maria dos; FERRI, Lúcia Maria Correa Gomes; MACEDO, Mara Elisa Capovilla Martins de. O planejamento participativo da escola como prática inovadora. Cadernos de Educação, Pelotas n. 41 p. 175-187, jan./abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

SAVIANI, Demerval. Escola e Democracia. São Paulo: Cortez, 1999.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. O Planejamento como Méthodos da Práxis Pedagógica. In: Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e projeto político-pedagógico. 20ª ed. São Paulo: Libertad Editora, 2010. p. 35-64.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/grgcp2.v7i14.2877

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2358-4467

 

Licença Creative Commons

Indexada em: