A POSSIBILIDADE DE UMA PRÁTICA LÚDICO-DIALÓGICA NA REFLEXÃO DO TEMA DROGAS NAS ESCOLAS PÚBLICAS.

Reynaldo Soares Coelho dos Santos

Resumo


 

RESUMO

Em face da precocidade do uso de drogas e da falta de ações educativas eficazes, este trabalho visa contribuir com uma reflexão sobre os discursos sociais das drogas, contextualizando a posição do sujeito e suas condições sócio-históricas, socioeconômicos e socioculturais. Para isso, por meio de dinâmicas lúdico-dialógicas, que visem à construção de um saber sobre o tema drogas a partir dos alunos de escolas públicas. Este tema em torno de um debate das drogas nas escolas, visa uma perspectiva dialógica em detrimento das palestras informativas, e principalmente em relação aos discursos dominantes sobre as drogas. Diante da falta de recursos educativos participativos e motivacionais para abordar esse tema nas escolas, este estudo pretende fornecer subsídios para o progresso de estratégias metodológicas sobre a discussão do uso de drogas no espaço das escolas públicas.

 

 


Palavras-chave


Escola. Drogas. Prevenção.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABRAMOVAY, Miriam; CASTRO, Mary Garcia. Drogas nas Escolas: versão resumida. Brasília: UNESCO. Rede Pitágoras, 2005.

ACSELRAD, G. org. A educação para a autonomia: construindo um discurso democrático sobre as drogas. In: Avessos do prazer: drogas, Aids e direitos humanos [online]. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2005, pp. 183-212. Disponível em:

. Acesso em: 03 jun. 2018.

ADADE, Mariana; MONTEIRO, Simone. Educação sobre drogas: uma proposta orientada pela redução de danos. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 40, n. 1, p. 215-230, jan./mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 agosto 2015.

ALMEIDA, Cleide Rita Silvério. Drogas: uma abordagem educacional. São Paulo: Editora Olho d‟Água, 2000.

BERGSON, H. M. O riso: ensaio sobre a significação da comicidade. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Temas Transversais – Saúde. In: Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em:

o-a-8o-series>. Acesso em: 06 maio 2018.

______. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2018.

______. Lei 11.343, de 23 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - SISNAD; prescreve medidas para prevenção do uso indevido e outras providências. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2018.

CAILLOIS, Roger. Os Jogos e os Homens: a máscara e a vertigem. Tradução de Maria Ferreira; revisão técnica de tradução de Tânia Ramos Fortuna. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

CARLINI-COTRIM, B.; ROSEMBERG, F. Os livros didáticos e o ensino para a saúde: o caso das drogas psicotrópicas. Revista Saúde Pública [online], Vol. 25, nº 4, pp. 299-305, 1991. . Acesso em: 10 jun.2018.

CHARBONNEAU, Paul-Eugène. Drogas: prevenção, escola. São Paulo: Paulinas, 1988.

CHATEAU, Jean. O jogo e a criança. Tradução de Guido de Almeida. São Paulo: Summus, 1987.

ECO, Umberto. O nome da rosa. Trad. Aurora Fornoni Bernardini e Homero Freitas de Andrade. São Paulo: Folha de São Paulo, 2003.

ÉSQUILO, SÓFOCLES, EURÍPIDES E ARISTÓFANES. Teatro Grego. 3ª ed. Trad.

Jaime Bruna. São Paulo: Editora Cultrix LTDA.

FOUCAULT, MICHEL. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 7ª ed. Rio de Janeiro. Edições Graal, 1985.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 49ª edição – Rio de Janeiro. Paz e Terra, 2010 [1968].

______. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 55ª edição. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017 [1996].

HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. Tradução de João Paulo Monteiro. Estudos/dirigidos por J. Guinsburg. 8ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2017.

MALHEIROS, Irene de Jesus Andrade; ALVES, Silvio. Uma Proposta Pedagógica sobre Prevenção ao Uso Indevido de Drogas. In: VIII CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE. III CONGRESSO IBERO-AMERICANO SOBRE VIOLÊNCIAS NAS ESCOLAS – CIAVE, 6 a 9 de outubro, 2008, Curitiba. Anais... Curitiba, PUCPR, 2008. Disponível em: Acesso em: 03 set. 2015.

MONTEIRO, Simone Souza et al. Educação, prevenção e drogas: resultados e desdobramentos da avaliação de um jogo educativo. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 24, n. 83, p. 659-678, agosto 2003. Disponível em: . Acesso em: 05 set. 2015.

MÜLLER, Ana Cláudia; PAUL, Cátia Lucila; SANTOS, Nair Iracema Silveira dos. Prevenção às drogas nas escolas: uma experiência pensada a partir dos modelos de atenção em saúde. Estudos de Psicologia. Campinas, vol. 25, n. 4, pp. 607-616, out.-dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 01 fev 2019.

NOTO, Ana Regina & GALDUROZ, José Carlos F. O uso de drogas psicotrópicas e a prevenção no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [online], vol. 4, n. 1, pp. 145-151, 1999. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2007.

PLATÃO. Apologia de Sócrates; O banquete/Platão. São Paulo: Martin Claret, 2017.

SOERENSEN, Claudiana. A carnavalização e o riso segundo Mikhail Bakhtin. Revista Travessias, v. 5, n. 1, 2011. Disponível em: . Acesso em: 07 jun. 2018.

WELLER, Wivian. A atualidade do conceito de gerações de Karl Mannheim. Revista Sociedade e Estado. Vol. 25, n. 2, maio/agosto, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v6i3.2719

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.