Atividades lúdicas relacionadas a questões hídricas: inclusão de abordagens CTS no currículo de Biologia do Ensino Médio.

Priscila de Souza Machado, José Hugo Campos Ribeiro, Thiago Pereira da Silva, Mike Taber, Elizabeth Bozoti Pasin

Resumo


A crise hídrica é um problema ambiental que vem exigindo mais atenção da sociedade, e o emprego de atividades lúdicas têm se mostrado promissor para a contextualização e para estimular o desenvolvimento crítico dos alunos em aulas de Ciências e Biologia. O trabalho teve como objetivos elaborar e analisar atividades lúdicas sobre questões hídricas, como estratégias com abordagem CTS no currículo da disciplina Biologia no Ensino Médio. Foram desenvolvidas três dinâmicas em aulas de 3a série do Ensino Médio. Foi detectado que, apesar da maioria dos estudantes ter consciência do gasto de água em atividades cotidianas individuais, ainda existe uma carência de informações, principalmente sobre consumo coletivo e indireto de água e sobre os impactos das mudanças climáticas sobre a escassez hídrica. Sugere-se discussões em aula sobre atividades que geram consumo de água apontando suas vantagens e impactos socioambientais.


Palavras-chave


Gestão hídrica; ensino de Biologia; estratégias didáticas; abordagens CTS.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, L. F.; FREIRE, L. Proposta de sequência didática para gestão de águas no ensino de Biologia. Revista da SBEnBio/Associação Brasileira de Ensino de Biologia, n. 7, p. 4667- 4678, 2014. Disponível em http://www.sbenbio.org.br/wordpress/wpcontent/

uploads/2014/11/R0879-1.pdf. Acesso em março de 2016.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos e cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos. Brasília. 1997.

BRASIL. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC, 1999.

BRASIL. Ministérios da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. PCN+ Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, SEMTEC, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Conselho Nacional da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

FRANKLIN, S.; PEAT, M.; LEWIS, A. Non-traditional interventions to stimulate discussion: the use of games and puzzles. Journal of Biological Education, n.37, v.2, p. 79-84, 2003. Disponível em http://chronicle.umbmentoring.org/wpcontent/uploads/2015/04/benefits.pdf. Acesso em outubro de 2015.

REBOUÇAS, A. C. Água no Brasil: abundância, desperdício e escassez. Bahia Análise & Dados. Salvador, v. 13, n. ESPECIAL, p. 341-345, 2003. Disponível em http://www.bvsde.paho.org/bvsacd/cd17/abundabras.pdf. Acesso em setembro de 2015.

SANTOS, W. L. P. & MORTIMER, E. F. Uma Análise de Pressupostos Teóricos da Abordagem CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no Contexto da Educação Brasileira. Ensaio - Pesquisa em educação em Ciências, v. 2, n.2, p. 133-162, 2002. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/epec/v2n2/1983-2117-epec-2-02-00110.pdf. Acesso em outubro de 2015.

SILVA, V.F; CARNEIRO-LEÃO, A. M. A; JÓFILI, Z. M. S. A contribuição dos jogos didáticos na formação de conceitos abstratos da Biologia. Revista SBEnBio/Associação Brasileira de Ensino de Biologia, n.5, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v1i2.819

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.