A Matriz Cultural Africana sob a Ótica de Elementos Geométricos Presentes em sua Arte – Implementando a Lei 10.639/2003

Kosme dos Santos

Resumo


Este é um artigo através do qual contemplamos a Geometria, as Artes Visuais, a Arquitetura e a História, tendo como sujeito o homem africano trazido para o Brasil na condição de escravo. Nele fazemos alusão à hodierna situação dos afrodescendentes em nosso país e elegemos a Educação como veículo propício para promover a democratização das relações étnico-raciais e as transformações que se fazem necessárias ao bem da cidadania de todos os envolvidos. Por acreditarmos que o conhecimento da arte e da geometria africana pode contribuir para a efetivação das políticas de afirmação que acenam para as mudanças desejadas, relatamos uma experiência que realizamos no Colégio Pedro II – Rio de Janeiro, e finalizamos delineando atividades que estamos a iniciar em nosso projeto de dedicação exclusiva nessa instituição, objetivando ir ao encontro dos objetivos supracitados. 


Palavras-chave


Desenho, Arte, Lei-10639/2003, Africanidades, Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALENCAR, Francisco; CARPI, Lúcia Ramalho; RIBEIRO, Marcus Venicio Toledo. História da Sociedade Brasileira. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1996.

ARAÚJO, Emanoel; MOURA, Carlos Eugênio Marcondes. Afro-Brasilianische uma Zeitgenössische Kunst = Art in Afro-Brasilian Religion = Arte e Religiosidade Afro-brasileira. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1994.

BORGES, Roberto Carlos da silva; BORGES, Rosane. (Orgs.). Mídia e Racismo. Petrópolis, RJ: DP et Alii; Brasília, DF: ABPN, 2012. Disponível em Acesso em: 22/11/2016.

COLÉGIO PEDRO II. Disciplinas do Departamento de Desenho e Artes Visuais – Desenho. 2014. Disponível em Acesso em: 22/11/2016.

MEC. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: DF/SEPPIR/SECAD, 2004. Disponível em: http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2012/10/DCN-s-Educacao-das-Relacoes-Etnico-Raciais.pdf. Acesso em: 22/11/2016.

CUNHA Jr, Henrique. Geometria, Geometrização e Arte Afro-islâmica. 2013. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/24350. Acesso em 22/11/2016.

GUIMARÃES, José de. África e Africanias – Espíritos e Universos Cruzados. São Paulo: Museu AfroBrasil, 2006.

GLYCÉRIO, Carolina; SALEK, Silvia. DNA mapeia origem de brasileiros na África. São Paulo/Londres, 2007. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2007/05/070502_sub_estudo_pena_cg.shtml. Acesso em: 22/11/2016.

ROONEY, Anne. A História da Matemática – Desde a Criação das Pirâmides até a Exploração do Infinito. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda., 2012.

SASAOKA, Silvia; MENEZES, Marizilda dos Santos. Grafismos no Projeto Botuáfrica. UNESP – Universidade Estadual Paulista, 2014 Disponível em: http://www.educacaografica.inf.br/revistas/vol-18-numero-02-2014. Acesso em:22/11/2016.

SILVEIRA, Sandra Beatriz Morais da. Cultura Afro-brasileira, uma perspectiva para a Educação. Porto Alegre, 2010. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/29301. Acesso em: 22/11/2016.

SODRÉ, Muniz. Claros e Escuros: Identidade, povo e mídia no Brasil. Petrópolis: Vozes, 1999.

SOUZA, Alcídio Mafra de. Artes Plásticas na Escola. Rio de Janeiro: Bloch, 1974.

TEMBO, MWIZENGE. Myths of the Word – Legends of Africa. New York: Metro Books, 1996.

UFRJ. Simetrias Axiais: Pontos Simétricos. 2015. Disponível em: http://www.im.ufrj.br/dmm/projeto/projetoc/precalculo/sala/conteudo/capitulos/sim11.htm. Acesso em: 22/11/2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/ceb.v2i1.983

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-2879 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.