Trajetórias de Clio: França e Brasil (1870-1945)

Wolney Vianna Malafaia

Resumo


Esse artigo pretende enfocar a construção da disciplina História no Brasil, primeiramente como disciplina integrante dos currículos de ensino primário e secundário; posteriormente, dentro de um quadro mais amplo do processo de formação dos cursos universitários na década de 1930. Efetivamente, convém lembrar o profundo vínculo existente entre a disciplina História e os debates políticos e as transformações econômicas e sociais verificadas nas sociedades nessas diferentes épocas.  No caso brasileiro, mais especificamente, a afirmação da República e, posteriormente, a construção de uma nova base política hegemônica, a partir de 1930, produzem a necessidade de se repensar o papel do historiador e da história como disciplina.  Tal necessidade vem a ser complementada com a reestruturação dos cursos superiores no Brasil e o advento das universidades.  Nesse momento, convém destacar a relação Brasil/França nos debates produzidos na sociedade francesa, com imediata repercussão nos meios intelectuais brasileiros, e porque, é justamente nesse período, década de 1930, que vieram ao Brasil as Missões Francesas, com o objetivo de participar da construção dos nossos cursos superiores, em maior medida na cidade do Rio de Janeiro, então capital federal, e, em segundo lugar, em São Paulo, que já se constituía como centro econômico do país.


Palavras-chave


Formação de professores; Formação de historiadores; França; Brasil; Colégio Pedro II

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.