A EDUCAÇÃO INFANTIL E SEU HISTÓRICO OLHAR PARA E PELAS INF NCIAS BRASILEIRAS: COMO FICA SEU LUGAR DE FALA EM TEMPOS DE PANDEMIA?

Débora Luiza Chagas de Freitas, Tatiane Silva Pereira Gontijo

Resumo


Neste artigo, escrito sob o desassossego da pandemia causada pelo COVID-19, observamos e exploramos as possibilidades de atuação da Educação Infantil em diálogo com este tempo. Partimos do que a filósofa Djamila Ribeiro (2017) precisa como “lugar de fala”, enquanto professoras da Educação Infantil da Rede Pública de Belo Horizonte, para revelar as inquietudes e questionamentos acerca do que é, ou será,possível à Educação Infantil para mediar o aprendizado, atender e garantir algumas demandas das crianças (e suas famílias) durante esse período em que nossos pequenos e pequenas estão em casa – ou sem a possibilidade de ir à escola – devido às interdições ao seu uso pelos riscos de aglomeração e propagação da COVID-19. Realizamos uma pesquisa exploratória do tema “Educação Infantil e a Pandemia” com o objetivo de articular conhecimentos e dialogar com as aflições dos docentes da primeira infância. Por meio das reflexões de Boaventura de Sousa Santos (2020), Loris Malaguzzi (1999) e José Ortega y Gasset (1967) e, igualmente, fundamentado pela legislação e documentos normativos da área, o presente estudo recorreu à interlocução entre reflexões e práticas para pensar possibilidades que não abram mão da perspectiva pedagógica de conhecimento e reconhecimento das infâncias. Buscou-se abrir caminhos e, ao fim, começar a responder a pergunta do professor Boaventura de Sousa Santos (2020, p.5): “Que potenciais conhecimentos decorrem da pandemia do coronavírus?”.

Palavras-chave


Pandemia; Comunidade Escolar; Mediação; Primeira Infância

Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Daniel. Crianças, já para fora. Palestra proferida no TED Talks. Porto Alegre (Brasil), jun. 2015. Disponível em:. Acesso: 04 abr. 2020.

BENJAMIN, Walter (1913-32). Reflexões sobre a criança, o brinquedo, a educação; tradução de Marcus Vinicius Mazzari, São Paulo: Duas Cidades, Editora 34, 2009.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: . Acesso: 01 abr. 2020.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988, 292 p. Disponível em: . Acesso: 04 abr. 2020.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Publicada no Diário Oficial da União em 23 de dezembro de 1996. Brasília. Disponível em: . Acesso: 03 abr. 2020.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: introdução. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. v.1. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Publicado no Diário Oficial da União, Brasília, 18 de dezembro de 2009. Seção 1. Disponível em: . Acesso: 03 abr. 2020.

BRINCAR com as crianças é essencial no isolamento, dizem especialistas. ND+ notícias de Santa Catarina, 2020. Disponível em: . Acesso: 09 jun. 2020.

CRUZ, Priscila e MONTEIRO, Luciano (org). Anuário Brasileiro da Educação Básica. São Paulo: Todos pela Educação e Ed. Moderna, 2019. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2020.

DALBEN, ngela e NOGUEIRA, Adriana. [Webinar] Contextos possíveis frente aos impactos da Covid-19; transmitido às 18h30 do dia 10 jun. 2020. Disponível em: . Acesso: 10 jun. 2020.

GASSET, J. O. Meditações do Quixote (1914). Tradução de G. M. Kujawski. São Paulo: Ibero-Americano, 1967.

GUTTON, Philippe. O brincar da criança: estudo sobre o desenvolvimento infantil; tradução de Sonia Fuhrmann. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

HUIZINGA, Johan (1938). Homo ludens: o jogo como elemento da cultura; tradução de João Paulo Monteiro. São Paulo: Perspectiva, 2014.

LOCKE, John (1960). Ensaio Acerca do Entendimento Humano. São Paulo: Martins Fontes - selo Martins, 2012. 828p.

MALAGUZZI, Loris. História, ideias e filosofia básica. In: EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As Cem Linguagens da Criança: a abordagem de Reggio Emilia na educação da primeira infância; tradução de Dayse Batista. Porto Alegre: Artmed, 1999. p.59-104.

MELO, Ana Cláudia Figueiredo Brasil Silva (org). Proposições Curriculares para a Educação Infantil: fundamentos. Belo Horizonte: SMED, 2015. 136p. (Desafios da Formação, v.1)

______. Proposições Curriculares para a Educação Infantil: eixos estruturadores. Belo Horizonte: SMED, 2015. 190p. (Desafios da Formação, v.2)

RIBEIRO, Djamila. O que é: lugar de fala? Belo Horizonte: Letramento, 2017. 112p. (Feminismos Plurais)

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus [E-book] 1.ed. São Paulo: Boitempo, 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.