A CULTURA LÚDICA AMAZÔNICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: SUAS FACES E INTERFACES NO JOGO DA APRENDIZAGEM CRIATIVA

Ana Hilguen Marinho Pereira

Resumo


RESUMO

 O texto apresenta considerações a respeito da cultura lúdica como instrumento de criatividade para o ensino-aprendizagem da Educação Física escolar, bem como, apresenta levantamento da literatura referente à cultura lúdica da região amazônica como maneira de fomentar práticas criativas e de valorização dos jogos e brincadeiras da Região Amazônica no cotidiano das aulas de Educação Física. Utilizamos como instrumento de coleta de dados a revisão bibliográfica sistemática, onde foram analisados artigos, teses e livros, publicados em revistas eletrônicas e/ou sites de pesquisa, bem como outros de acervo pessoal. A análise foi feita a partir de breve leitura dos resumos, após a seleção dos que caberiam aos objetivos do estudo, todos os materiais foram organizados de acordo com as categorias criadas anteriormente: cultura lúdica – jogo e aprendizagem – criatividade e Educação Física – cultura lúdica amazônica.

Palavras-Chave: Cultura Lúdica; Cultura Lúdica Amazônica; Criatividade; Educação Física Escolar. 


Palavras-chave


EDUCAÇÃO FÍSICA; EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR; CULTURA CORPORAL;

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Célia Sandra Carvalho de. A utilização dos jogos como recurso didático no processo ensino-aprendizagem da matemática nas séries iniciais no estado do amazonas. 119f. Dissertação (mestrado) – Universidade do Estado do Amazonas. Programa de pós graduação em Educação e Ensino de Ciências do Amazonas. Manaus, UEA, 2009.

ALBUQUERQUE, Maria do Socorro Craveiro de. DREVES, Aleta Tereza. MOREIRA, Ramalho. Lima, Alessandra Viana de. A cultura lúdica de idosos de rio branco/ac: redescobrindo a vida. 3ºCONCENO- Anais do Evento. Belém, 2010.

ALVES, Luciana. BIANCHIN, Maysa Alahmar. O jogo como recurso de aprendizagem. Revista Psicopedagogia. [online]. Vol.27, n.83, pp. 282-287, São Paulo, 2010. Disponível em:. Acesso em: Novembro de 2014.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo, Edições 70, 2011.

BECKER, Bertha K. A Amazônia na Estrutura Espacial do Brasil. in R. Bras. Geog. Rio de Janeiro. Ano 36. N.0 2. P. 3-107. Abr./Jun. 1974.

BROUGÈRE, Gilles. Lúdico e educação: novas perspectivas. Linhas Críticas, Brasília, v.8, n.14, jan./jun. 2002.

_________________.A criança e a cultura lúdica. Rev. Fac. Educ., São Paulo , v. 24, n. 2, Julho. 1998. Disponível em:

pid=S0102-25551998000200007&lng=en&nrm=isso>.Acesso em 13 Janeiro de 2015.

CAMPOS, Luciana M. L.; BORTOLOTO, T. M.; FELÍCIO, A. K. C. A produção de jogos didáticos para o ensino de ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Unesp – Campus de Botucatu. p. 47-60, 2002. Disponível em: .Acesso em novembro de 2014.

CAVALCANTI, Joana. A criatividade no processo de humanização. Saber (e) Educar. Vol.11. P. 89–98. 2006.

DOURADO, Ana Cristina Dubeux. Edição Especial História da infância e direitos da criança. Salto para o Futuro/TV Escola. Ano XIX – Nº 10 – Setembro/2009.

FRANCO, Claudia. Brinquedoteca atalaense (AM):criação de um espaço lúdico e de preservação cultural. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, vol.11, Nº2. p.128-131. 2003

GANASSIM, Ariel Alexandrino. RONDINI, Carina Alexandra. O que é o que é? Criatividade para sala de aula... Anais V CIPSI - Congresso Internacional de Psicologia Psicologia: de onde viemos, para onde vamos? Universidade Estadual de Maringá ISSN 1679-558X, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 4° ed, Atlas. São Paulo, 1994.

GOUVÊA, Elizabete Gaspar. Cultura Lúdica Conformismo e Resistência nas vivências das brincadeiras Infantis na escola. 188f. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Estado do Pará. Mestrado em Educação Núcleo de Pesquisa e Pós-Graduação. Belém, Pará. 2011.

MARCONI, Marina de Andrade. LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. 6ªedição. Editora Atlas S.A. São Paulo – 2007.

NASCIMENTO, Shirley Silva do. CARVALHO, Nazaré Cristina. Saberes lúdicos de crianças quilombolas na Amazônia. XXI EPENN Encontro de Pesquisa Educacional do Norte e Nordeste – UFPE, Anais do Evento. 2013.

PINTO, Raimundo Inácio da Costa. “Os jogos e as brincadeiras de rua pulando o muro das escolas públicas da cidade de Maués no Amazonas”. 200 f. Dissertação (mestrado) - Universidade de Sorocaba. Programa de pós-graduação em Educação stricto sensu. Sorocaba, SP, 2006.

REIS, Emerson dos. RIBEIRO, Giovani. Contribuição ao estudo das dimensões da criatividade e sua relação com o ensino de tecnologia. Sinergia, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 31-37, jan./jun. 2010.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educ. Soc., Campinas, vol. 26, n. 91, p. 361-378, Maio/Ago. 2005. Disponível em . Acesso em novembro de 2014.

SILVA, Claudete do Socorro Quaresma da; CARVALHO,Nazaré Cristina. A cultura e a educação amazônica na arte dos brinquedos de miriti. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 27, p. 17-32, jan./abr. 2012.

TIBEAU, Cynthia C. Pasqua M. Entraves para a compreensão da criatividade no ensino e na formação do profissional de Educação Física. Revista Digital EFdeportes - Buenos Aires - Año 8 - N° 51 - Agosto de 2002. Disponível em: Acesso em: 27 de janeiro de 2015.

WECHSLER, Solange Muglia. Criatividade na cultura brasileira: uma década de estudos. Revista Portuguesa de Psicologia: teoria investigação e prática, 6(1), p215-227, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v4i1.1199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.