PERSPECTIVAS DE PROFESSORES SOBRE A RELAÇÃO COM O USO DA QUADRA ESPORTIVA NO DESENVOLVIMENTO DE CONTEÚDOS NÃO ESPORTIVOS

Juliana Laís Santos, Lilian Aparecida Ferreira

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar as perspectivas de docentes de Educação Física sobre a relação do uso da quadra esportiva no desenvolvimento de conteúdos não esportivos nas aulas. A metodologia, orientada pela abordagem qualitativa, foi balizada pela pesquisa descritivo-interpretativa. A coleta de dados se deu meio de entrevistas semiestruturadas com 20 professores que atuavam em escolas públicas nos anos finais do ensino fundamental e/ou ensino médio em cidades do interior de São Paulo. Encontramos um embate ainda em construção, mesclando aqueles que disseram que não haveria necessidade de quadras poliesportiva nas escolas para o desenvolvimento das aulas de Educação Física, outros muito favoráveis à formalização do espaço para os esportes institucionalizados, e uma grande maioria que convive com os espaços das quadras esportivas em suas escolas e os ressignificam de acordo com as características dos diversos conteúdos que ensinam.


Palavras-chave


Educação Física Escolar; Quadra Esportiva; Arquitetura escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


AGBENYEGA, J. S. Developing the understanding of the influence of school place on students’ identity, pedagogy and lea rning, visually. International Journal of Whole Schooling, Austrália, v. 4, n. 2, p. 52 - 66, 2008. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ834296.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

AMBROGI, I. H. Reflexões sobre os usos do espaço como garantia para a criação de meninos e meninas pequenas. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n.2 (65), p.63-73, mai./ago. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pp/v22n2/v22n2a06.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

BAURU. Currículo comum para o ensino fundamental municipal de Bauru. Organizadora: Thaís Cristina Tezani. Secretaria Municipal de Educação. Bauru: Prefeitura Municipal de Bauru, 2013.

RANGEL-BETTI, I. C. Esporte na escola: Mas é só isso, professor? Motriz, Rio Claro, 1999, v.1, n.1, p. 25-31, jun. 1999. Disponível em: http://files.cursoeducacaofisica.webnode.com/200000088-60238611e0/ESPORTE%20NA%20ESCOLA%20-%20IRENE%20RANGEL.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

BETTI, M. Educação Física e sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

BRACHT, V. A Educação Física no Ensino Fundamental. Anais... I Seminário nacional: currículo em movimento – Perspectivas Atuais. Belo Horizonte, novembro de 2010.

BRACHT, V. A criança que pratica esporte respeita as regras do jogo...capitalista. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Brasília, v.7, n.2, p.62-68, 1986. Disponível em: https://sitealanrocha.files.wordpress.com/2009/07/a-crianca-que-pratica-esporte.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Educação Física (1ª a 4ª série). Brasília: MEC/SEF, 1997.

BROOKS, C. Space and consequences: the impact of different formal learning spaces on instructor and student behavior. Journal of Learning Spaces, Minnesota, v.1, n.2, p.1-10, 2012.

Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1152694.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020

BUFFA, E. Pesquisas sobre Arquitetura e Educação: aspectos teórico -metodológicos. In: BUFFA, E. Cultura Escolar e História das Práticas Pedagógicas. Paraná: Editora Universidade Tuiutí, 2008, p. 63-72. Disponível em: https://app.utp.br/cadernosdepesquisa/pdfs/cad_pesq5/5_pesquisas_cp5.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

CARVALHO, F. F. La naturaleza del espacio en la Educación Fisica franciscana. Acción Motriz, Espanha, n. 09, p. 37-47, jul./dez., 2012. Disponível em: http://www.accionmotriz.com/documentos/revistas/articulos/9_3.pdf.

Acesso em: 27 de nov. de 2020.

DEPIERE, Adriana S. A importância da Educação Física Escolar. Trabalho de conclusão de curso. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2011.

ELALI, G. A. O ambiente da escola: uma discussão sobre a relação escola-natureza em educação infantil. Revista Estudos de Psicologia, São Paulo, v.8, n.2, p.309-319, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epsic/v8n2/19047.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

FARIA, A. L. G. O espaço físico como um dos elementos fundamentais para uma pedagogia da educação infantil. In: FARIA, A.L.G., PALHARES, M.S. (orgs.). Educação infantil pós LDB: rumos e desafios. Campinas: Autores Associados, 1999, p.67-97.

FERREIRA, L. A. O professor de Educação Física no início de carreira: análise da aprendizagem profissional a partir da promoção de um programa de iniciação à docência. Tese (Doutorado em Educação). São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, 2005.

FORQUIN, J. C. Escola e Cultura: as bases sociais e epistemologias do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FRAGO, A. V.; ESCOLANO, A. Currículo, Espaço e Subjetividade: Arquitetura como programa. 2ª ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2001.

FREIRE, J.B. Educação Física de corpo inteiro: teoria e prática da educação física escolar. São Paulo: Scipione, 1989.

GHIRALDELLI JÚNIOR, P. Educação Física Progressista: A Pedagogia Crítico-Social dos Conteúdos e a Educação Física Brasileira. São Paulo: Loyola, p.20, 1991.

GIGLIO, S. S.; NUNES, M. L. F. Reflexões sobre a regulação e a heterotopia nas aulas de Educação Física: Pro-Posições, Campinas, v. 29, n. 3, p. 590-610, set/dez. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/pp/v29n3/0103-7307-pp-29-3-0590.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Editora Atlas, 1999.

GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

GOUVÊA, G. R. Aulas de educação física em espaços arquitetônicos diferenciados. Trabalho de conclusão de curso (Graduação) – Departamento de Educação Física e Motricidade Humana, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

KUNZ, E. Educação Física: ensino e mudança. Ijuí: Unijuí, 1991.

MEDINA, J. P. S. A Educação Física cuida do Corpo... e Mente. Campinas: Papirus, 1983.

MELATTI, S. P. P. C. A arquitetura escolar e a prática pedagógica. Dissertação (Mestrado em Educação e Cultura). Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Joinville, 2004.

PICHI, S. Cultura corporal de movimento. In: GONZALEZ, F. J.; FENSTERSEIFER, P. E. (Orgs.). Dicionário crítico de Educação Física. 3ª ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2014, p. 163-165.

SÃO PAULO. Proposta Curricular do Estado de São Paulo: Educação Física. São Paulo: SEE, 2008.

SÃO PAULO. Secretaria da Educação. Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, códigos e suas tecnologias. São Paulo: SE, 2011. 260 p.

SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez Editora, 1992.

SOARES, C. L. Imagens da educação no corpo: estudo a partir da ginástica francesa no século XIX. Campinas: Autores Associados, 1998.

SOUZA LIMA, M. W. Espaços Educativos: usos e construções. Brasília, MEC, p.31, 1998.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Editora Atlas, 1987.

VAGO, T. M. Início e fim do século XX: maneiras de fazer educação física na escola. Cadernos CEDES, Campinas, v. 19, n. 48, p. 31-50, ago. 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ccedes/v19n48/v1948a03.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.

VARGAS, C. P.; MOREIRA, A. F. B. A crise epistemológica na Educação Física: Implicações no trabalho docente. Cadernos de pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 146, p. 408-427, maio/ago. 2012.

Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/v42n146/06.pdf. Acesso em: 27 de nov. de 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v5i2.3037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.