A DANÇA COCO NO CHÃO DA ESCOLA

Flávio Campos de Morais, Gleiciely Nascimento Henrique, Thais Maria da Silva, Adriano Florêncio da Silva

Resumo



 A dança se legitima como objeto de estudo e ensino da Educação Física e suas contribuições pedagógicas e culturais vêm sendo investigadas, contribuindo para sua valorização como conteúdo no processo ensino/aprendizagem na escola e, no presente estudo, tem a dança coco entendida como manifestação folclórica que traduz as expressões da cultura de nossa sociedade. Objetivou-se propor uma alternativa de materialização da dança coco enquanto conteúdo da Educação Física numa perspectiva de ampliação dos saberes socioculturais e educacionais dos escolares. Para a coleta de dados utilizamos roteiro de perguntas, anotações das vivências e transcrição das respostas dos alunos. Como resultado, concluímos que os alunos que participaram da vivência, conseguiram ampliar seus horizontes conceituais sobre a dança coco e a prática pedagógica tornou-se significativa quando o novo conteúdo foi incorporado às estruturas de conhecimento dos alunos passando a adquirir significado para ele ao manter relação com a sua vivência. 


Palavras-chave


Educação, Escola, Educação Física, Dança Coco.

Texto completo:

PDF

Referências


AYALA. Maria Ignez Novais. Os cocos: uma manifestação cultural em três momentos do século XX. Revista de Estudos Avançados. SP, v.13 n.35, 1999. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9471. Acesso em: 03 de janeiro de 2021.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Educação Física, Brasília: MEC, 1998.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases. Lei nº 9.394/96. Brasília,1996.

CASTRO, Maria lúcia et al. A socialização da dança na escola: um caminho para encantar a educação infantil. Encontro: Revista de Psicologia, SP, v. 14, n. 21, p. 37-49, 2011. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/renc/article/view/2493. Acesso em: 04 de abril de 2021.

DEMO, Pedro. Aprendizagem no Brasil: ainda muito por fazer. Porto Alegre: Mediação, 2004.

LEFEVRE, F e LEFEVRE, A. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: Educs; 2003.

MARQUES, Isabel A. Dançando na escola. São Paulo – 6ªed.Cortez, 2018.

NANNI, Dionisia. Dança educação: pré escola à universidade. 5ª ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2008.

PERES, Silvana G. et al. Recursos simbólicos e imaginação no contexto da contação de histórias. Psicologia Escolar e Educacional, SP, v 22, n. 1, 2018.

RODRIGO, M. J. e ARNAY, J. Conhecimento cotidiano, escolar e científico: representação e mudança – a construção do conhecimento escolar. São Paulo, SP: Ática, v.1, 1998, p.135-68.

SACRISTÁN, J. G. e GÓMEZ, A. I. P. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SILVA, Daniel José da. Arquitetura Pedagógica da Sustentabilidade: Manual de Formação. Pedagogia do encantamento. Florianópolis: GTHidro/UFSC, 2018. 122 p. Disponível em: www.gthidro.ufsc.br e www.tsga.ufsc.br. Acesso em: 11 de junho de 2021.

SILVA, Janssen F. Avaliação na perspectiva formativa reguladora: pressupostos teóricos e práticos. Porto Alegre: 3ª edição Mediação, 2010. 96p.

STRAZZACAPPA, M. MORANDI, C. Entre a Arte e a Docência: a formação do artista da dança. 4ª Edição. Campinas, SP: Papirus, 2012.

MORAIS, Flávio Campos de; HENRIQUE, Gleiciely Nascimento; DA SILVA, Thais Maria; SILVA,

Adriano Florência da.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

TOSCANO, Fernanda. Coco de Roda: Origem e resistência – Jornal A Verdade/coco-de-roda-origem-e-resistencia> Recife, 2012.Acesso em 11 de junho de 2021.

VERDERI, Erica B. Dança na escola: uma abordagem pedagógica. São Paulo: Phorte, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v6i1.3381

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.