JOGOS ELETRÔNICOS: POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Dionny Felipe, Fernando Jardim Isidoro, Flávio Pereira Pires, Frank Cardoso

Resumo


Os jogos eletrônicos estão cada vez mais presentes no dia a dia, e vem ganhando mais espaço na sociedade, o jogo entretêm e fascina milhares de crianças, pois o é lúdico e desperta interesse. A Base Nacional Comum Curricular traz como unidade temática, jogos e brincadeiras e objeto de conhecimento jogo eletrônicos nas aulas de Educação Física. O objetivo geral é compreender os jogos eletrônicos como possibilidade de ensino e aprendizagem, no desenvolvimento dos conteúdos nas aulas de Educação Física. Abordarmos no referencial teórico o conceito tecnológico, métodos sociais, valores, os Jogos Eletrônicos e a Base Nacional Comum Curricular, a inserção dos dispositivos eletrônicos nas práticas das aulas de Educação Física. Realizou-se uma pesquisa de campo com abordagem qualitativa e quantitativa visando à participação de 17 professores do ensino fundamental da disciplina de Educação Física no município de São Mateus, Estado do Espirito Santo, o questionário com 8 questões foi enviado por meio de um link via google forms. As respostas obtidas mostraram as dificuldades encontradas pelos professores no desenvolvimento do conteúdo.


Palavras-chave


Aprendizagem, Educação Física, Jogos Eletrônicos e Tecnologias

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, João Serapião de. Significado do jogo no ensino de conceitos para a leitura e escritura a deficientes mentais com condições de alfabetização. RIDEP, vol.1, N°11, 2001.

AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE. Diretrizes do ACSM para os testes de esforço e sua prescrição. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014

ANDERS, M. et al. As good as the real thing? ACE Fitness Matters, v. 1, 2008. Disponível em: https://www.acefitness.org/getfit/studies/WiiStudy.pdf. Acessado em: 05 set. 2017

ANTUNES, C. Ludopedagogia: guia didático para prática de ensino e metodologia. São Paulo. Editora do Brasil, 1974.

Brasil. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017.

DZEWALTOWSKI, P. Wii Fit a promising tool for all ages. Medical Express, Kansas EUA, 2009. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2017.

FARIA, E.R. de. Jogos Eletrônicos nas aulas de Educação Física. Escola de Educação Básica da Universidade Federal de Uberlândia - ESEBA/UFU. 2006.

FINCO, M. D.; FRAGA, A. B. Rompendo fronteiras na Educação Física através dos videogames com interação corporal. Motriz, Rio Claro, v.18, n.3, p.533-541, 2012.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: O jogo como elemento da cultura. São Paulo: Perspectiva, 2007.

KENSKI, V.M. O Impacto da Mídia e das Novas Tecnologias de Comunicação da Educação Física. Revista Motriz - Volume 1, Número 2, p. 129-133, Rio Claro, SP, Dezembro/1998.

KNECHTEL, Maria do Rosário. Metodologia da pesquisa em educação: uma abordagem teórico-prática dialogada. Curitiba: Intersaberes, 2014.

LUIS ,I.C. et al, Investigação, narrativa e formação continuada de professores de educação física: possibilidades para pratica colaborativa. Jphseduc. v.27, 3 2721, 2016.

LIEBERMAN, D. Dance games and other exergames: what the research says. University of California Santa Barbara, 2006. Disponível em: Acessado em: 15 out. 2017

MINAYO,M.C.S. (Org) Pesquisa Social: Teoria Método e Criatividade. 13.ed. Petrópolis – RJ: Vozes, 1999

MOURA, A.; CARVALHO, A. Peddy-paper literário mediado por telemóvel. Educação, Formação & Tecnologias, v.2, N.2, p. 22-40, nov. 2009b.

NEIRA, M. G.; UVINHA, R. R. Cultura Corporal: diálogos entre educação física e lazer. Petrópolis, Vozes, 2009.

ROSINI, A. M. As novas tecnologias da informação e a educação a distância. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

SANCHOTENE, M. U.; MOLINA NETO, V. Práticas pedagógicas: entre a reprodução e a reflexão. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 31, p. 59-78, 2010.

SANDRI, S. de F. Professores de Educação Física: (Des)Motivados nas práticas pedagógicas das escolas públicas estaduais de Francisco Beltrão/PR, 2007.

SELL K., LILLIE T., TAYLOR J.. Energy expenditure during physically interactive video game playing in male college students with different playing experience. J Am Coll Health. 2008. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18400662Acessado em 05 nov. 2017

VALE, Ana Maria do. Educação popular na escola pública. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v7i1.3619

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.