EDITORIAL

José Mauro de Sá Oliveira

Resumo


Houve tempo em que o professor de Educação Física não era considerado capaz de produzir material teórico com qualidade, porque se julgava que sua experiência profissional estava limitada aos aspectos motores, visto ser a sua aula predominantemente prática.

A partir de 1980, os professores tiveram oportunidades de ingressar em cursos de pós-graduação strictro sensu, no Brasil e no exterior, e a produção de conhecimentos teóricos tornou-se mais consistente, passando a apoiar academicamente a intervenção pedagógica.

Os dois momentos pelos quais a Educação Física passou, trouxeram situações opostas, pois quando se considerava a aula prática como único meio de desenvolver os conteúdos, o professor que buscava alicerçar sua atuação em bases teóricas era considerado sem vontade ou capacidade para dar aulas práticas. Por outro lado, no segundo momento (1980), a lógica se inverteu e parecia que o professor de Educação Física considerado bom era aquele que só ministrava aulas teóricas ou se dedicava apenas a produção de artigos e papers. Felizmente, temos superado esta dicotomia e caminhamos para um equilíbrio, em que se entende que a teoria e a prática são indissociáveis.

Nesta direção, hoje temos a imensa satisfação de apresentar à comunidade de professores que militam na Educação Física Escolar, mais um veículo de divulgação de trabalhos que retratam o cotidiano do “chão da quadra”, assim como produções acadêmicas que levam a reflexão e mesmo o autoquestionamento da nossa práxis.

Na primeira edição da revista digital Temas em Educação Física Escolar, temos artigos que contemplam a confecção do currículo com inspiração no multiculturalismo; que apresentam um estudo sobre os caminhos e descaminhos da avaliação em nossa disciplina e que discutem as questões de gênero que perpassam nas aulas de Educação Física.

Há ainda, a apresentação de relatos de experiências que focam a participação da Educação Física em um projeto interdisciplinar, orientado para alfabetização; a apresentação de exemplos de atividades utilizadas em aula para promover a inclusão dos alunos com necessidades especiais ou não e o relato das vivências e percepções dos professores que participaram do Programa de Residência Docente, realizado no Colégio Pedro II, com apoio da CAPES.

O Departamento de Educação Física do Colégio Pedro II venceu o desafio de publicar a revista, graças ao compromisso, empenho e dedicação dos integrantes do grupo de trabalho responsável por todas as etapas da criação deste veículo.

Esperamos contribuir para engrandecer o debate dos temas relativos à Educação Física Escolar.

 

 José Mauro de Sá Oliveira

Chefe do Departamento de Educação Física do Colégio Pedro 


Palavras-chave


Educação Física Escolar

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33025/tefe.v1i1.627

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2525-5916

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.