Juventude e grafite de muros: discursos, sociabilidades e a ação

Marcelo da Silva Araújo

Resumo


Objetivando realçar uma reflexão sobre os conceitos de cidade, cultura, juventude e imagem artística do grafite, o artigo discute as práticas e formas de associação de grafiteiros de muros de São Gonçalo/RJ. Baseado em minha dissertação de mestrado, intitulada Vitrines de concreto na cidade: juventude e grafite em São Gonçalo, as conclusões aqui apresentadas destacam, através de uma abordagem etnográfica, a heterogeneidade dos jovens observados e a consequente pluralidade de estilos e de comportamentos.


Palavras-chave


Juventude; Grafite de muros; Cultura urbana; Educação

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Marcelo da Silva. Vitrines de concreto na cidade: juventude e grafite em São

Gonçalo, RJ, EBA/UFRJ, 2003. Dissertação (Pós-Graduação em Artes Visuais), 224p, il.

BRAGA, Maria Nelma Carvalho. O município de São Gonçalo e sua história, 2ª ed., São

Gonçalo, Falcão, 1998.

FORTUNA, Felipe. A maldição do grafito. Jornal do Brasil, Caderno B, 18/09/1988.

MAFESOLI, Michel. O poder dos espaços de celebração. Revista Tempo Brasileiro, RJ, nº 116,

jan.-mar.1994.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever. Revista de

Antropologia, SP, vol. 39, nº 1, 1996.

ROSE, Tricia. Um estilo que ninguém segura: política, estilo e cidade pós-industrial no hip hop.

HERSCHMANN, Micael (org.). Abalando os anos 90 - funk e hip hop, globalização,

violência e estilo cultural, RJ: Rocco Artemídia, 1997.

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. NUNES, Edson de Oliveira (org.). A aventura

sociológica - objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social, RJ: Zahar,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2447-0694

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.